Santos 1 x 0 Botafogo

Data: 21/02/1999, domingo, 18h30.
Competição: Torneio Rio São Paulo
Local: Estádio Morumbi, em São Paulo, SP.
Público: 11.064 pagantes
Renda: R$ 76.780,00
Árbitro: Reinaldo Ribas (RJ)
Cartões amarelos: Zetti, Marcos Assunção e Marcos Bazílio (S); Bandoch, Ronildo e Sérgio Manoel (B).
Gol: Marcos Assunção (06-2).

SANTOS
Zetti; Ânderson Lima, Argel, Jean e Gustavo Nery; Marcos Assunção (Bechara), Marcos Bazílio, Jorginho (Rodrigão) e Alessandro; Camanducaia (Eduardo Marques) e Viola.
Técnico: Emerson Leão

BOTAFOGO
Wagner; César Prates, Edimar, Bandoch e Ronildo (Paulo Cesar); Gálio, Reidner, Fábio Augusto (Mílson) e Sérgio Manoel; Zé Carlos e Bebeto.
Técnico: Valdyr Espinosa



Santos, com três atacantes, só faz um gol

Equipe vence o rival carioca e pode empatar no Maracanã, nesta quarta, para ir à decisão do Rio-São Paulo

O Santos venceu o Botafogo por 1 a 0 ontem, no Morumbi, na primeira partida das semifinais do Torneio Rio-São Paulo, e agora precisa de um empate para garantir a vaga para as finais.

As duas equipes voltam a se enfrentar na próxima quarta-feira, às 21h40, no Maracanã, no Rio. Se o Santos perder por um gol de diferença, a decisão será nos pênaltis.

Com uma formação inédita, usando três atacantes -Viola, Alessandro e Camanducaia-, o Santos tomou a iniciativa do jogo.

A primeira oportunidade concreta do Santos, no entanto, só veio aos 13min, em uma cobrança de falta frontal de Marcos Assunção. A bola passou rente à trave superior do goleiro Vágner.

Aos 17min, Alessandro recebeu cruzamento na área, tocou para trás para Viola, que se livrou da marcação de Edimar em uma virada rápida e chutou para o gol. Vágner fez uma grande defesa.

O goleiro Zetti fez sua primeira defesa aos 20min, após chute certeiro de Zé Carlos. Antes disso, o Botafogo tinha conseguido apenas um lance de perigo a seu favor, aos 13min, com Bebeto, em uma falha de Argel provocada pelo campo escorregadio devido à chuva forte que havia atingido o Morumbi 15 minutos antes do início da partida.

Em outra falta frontal, aos 28min, Marcos Assunção chutou forte na trave. A bola tocou em Argel e sobrou para Jorginho, que chutou por cima do gol.

O Santos fez seu gol aos 7min do segundo tempo, em um rebote que sobrou para Marcos Assunção. Viola tinha finalizado antes, com um chute forte que o goleiro botafoguense rebateu.

O Botafogo passou a explorar ainda mais os contra-ataques na expectativa de empatar a partida, mas foi o Santos quem criou mais oportunidades até o final do jogo.

O Santos, que já estava desfalcado de Claudiomiro, contundido na última sexta-feira, corre o risco agora de ficar também sem Marcos Assunção, que teve de deixar o gramado devido a uma luxação no ombro aos 40min da etapa final.



Santos busca uma vaga com 3 atacantes (em 21/02/1999)

Time encara partida de hoje contra Botafogo, no Morumbi, como decisiva, e Leão opta por formação ofensiva

O Santos elegeu a partida de hoje contra o Botafogo, no Morumbi, como decisiva para suas pretensões de ir à final do Rio-São Paulo. Por isso, o técnico Leão deverá optar por uma formação inédita, com três atacantes -Camanducaia, Viola e Alessandro.

Devido ao regulamento da competição, o time será obrigado a decidir a vaga no Rio, embora tenha terminado a fase de classificação como primeiro do Grupo 1, e o Botafogo, como segundo do 2.

“Para o Santos as coisas são sempre mais difíceis e complicadas”, afirmou o meia Jorginho.

Com a nova formação, Leão diz que está tentando tornar o ataque santista mais veloz. A opção por Camanducaia, em lugar do meia Eduardo Marques, é uma tentativa de implantar nos dois extremos do ataque o mesmo futebol agressivo que vem sendo praticado por Alessandro.

O técnico considera Camanducaia uma “cópia” de Alessandro, embora o último se encontre em boa fase, e o primeiro, não.

Os dois deverão desempenhar funções semelhantes, atuando como pontas -abertos pelas extremidades quando o Santos estiver no ataque, mas voltando para bloquear as descidas dos laterais adversários quando o time não tiver a posse da bola.

“É a chance da minha vida”, disse Camanducaia, que neste ano só conseguiu atuar no segundo tempo dos jogos do Santos.

Além da chance de se firmar, Camanducaia também voltará a enfrentar o Botafogo com a camisa do Santos pela primeira vez desde o Brasileiro-95.

Naquele ano, na decisão contra a equipe carioca, o atacante marcou um gol, anulado pelo árbitro Márcio Rezende de Freitas (MG) -decisão que custou ao Santos o título de campeão.

Para Alessandro, o jogo também terá um significado especial. Ele completará cem jogos pelo Santos, nos quais marcou 30 gols.

O desfalque santista poderá ser o zagueiro Claudiomiro, que se contundiu na sexta. Na lateral esquerda, Leão aprovou o desempenho de Gustavo contra o Palmeiras e pretende mantê-lo na equipe.

Viola dedica gols a Leão

O atacante Viola credita ao técnico Leão, “um cara fundamental em minha vida”, o fato de ter sido o destaque na última partida, contra o Palmeiras, quando voltava a jogar, após uma fratura no nariz.

Repórter – Os problemas com arbitragens refletiram no ânimo de vocês?
Viola – De maneira alguma. Temos de trabalhar e fazer nosso papel, porque somos bem pagos para isso. Se o Santos está ou não (sendo deliberadamente prejudicado), não levaremos isso para campo.

Repórter – Você já recuperou sua forma?
Viola – Ter marcado dois gols (contra o Palmeiras) foi uma maravilha, mas não quero esse reconhecimento só para mim. Quero para todos os meus companheiros. O Leão, por exemplo, é um cara fundamental em minha vida, em minha profissão, porque me orienta a todo instante.