Santos 0 x 1 Cruzeiro

Data: 16/11/2014, domingo, 17h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 34ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 4.094 pagantes
Renda: R$ 126.115,00
Árbitro: Alinor Silva da Paixão (MT)
Auxiliares: Cristhian Passos Sorence (GO) e Fabio Rodrigo Rubinho (MT).
Cartões amarelos: Lucas Lima e Alison (S); Henrique (C).
Gol: Ricardo Goulart (07-2).

SANTOS
Aranha; Cicinho, Neto, Bruno Uvini e Caju (Zeca); Alison, Renato e Lucas Lima; Rildo (Thiago Ribeiro), Robinho e Gabriel (Jorge Eduardo).
Técnico: Enderson Moreira

CRUZEIRO
Fábio; Ceará, Manoel, Bruno Rodrigo e Samudio; Nilton, Lucas Silva (Henrique) e Marquinhos; Ricardo Goulart (Willian Farias), Willian (Éverton Ribeiro) e Marcelo Moreno.
Técnico: Marcelo Oliveira



Ricardo Goulart marca e Cruzeiro bate o Santos na Vila para consolidar liderança

Gol único marcado no início do segundo tempo deu vitória ao líder do campeonato que mantém boa distância para rivais

Engasgado com o Cruzeiro após a eliminação na semifinal da Copa do Brasil, o Santos não conseguiu por em prática seus planos de vingança neste domingo. O time paulista acabou perdendo por 1 a 0 para os mineiros na Vila Belmiro, em partida válida pela 34ª rodada do Campeonato Brasileiro. O gol foi anotado por Ricardo Goulart no segundo tempo.

O resultado levou o Cruzeiro, líder do torneio, a 70 pontos, ficando ainda mais perto do bicampeonato. Já o Santos permaneceu na parte intermediária da tabela do Brasileirão, com os mesmos 46 pontos da rodada anterior, e a série dos alvinegros sem vitórias aumentou para seis jogos.

O jogo

O início de partida na Vila Belmiro pareceu promissor, com as duas equipes saindo para jogo. Entretanto, os dois times encontraram dificuldades para entrar na área adversária, criando poucas oportunidades claras de gol.

Quem mais se mostrava ineficiente era o líder do campeonato. Com Éverton Ribeiro no banco, a equipe mostrou pouco entrosamento e abusou de cruzamentos para a área no primeiro tempo. A melhor chance veio em um chute de Nilton de fora da área, que passou perto do gol de Aranha e levou perigo.

Enquanto isso, o Santos se saia melhor, com uma envolvente troca de passes entre Robinho, Lucas Lima e Gabriel. Em uma das jogadas do trio, Gabriel teve a bola do primeiro tempo: saiu frente a frente com Fábio, tentou driblar o goleiro e foi alcançado por Manoel. Na hora do chute, o atacante, já com ângulo reduzido, se desequilibrou e mandou sem força para fora.

Na volta para o segundo tempo, a partida voltou muito mais truncada em relação ao primeiro. Foram sete minutos de muita entrega no meio de campo e pouca técnica, até que Ricardo Goulart avançou em velocidade, tabelou com Willian e chutou com categoria para abrir o placar.

Melhor no duelo até então, o Peixe pareceu sentir o baque do gol cruzeirense. As boas tabelas que estava conseguindo até o momento deram lugar a erros de passe e faltas desnecessárias no restante do segundo tempo. Os toques também foram substituídos por cruzamentos na área. Por outro lado, o Cruzeiro, sem pressa, rodava a bola na defesa.

Enderson Moreira ainda tentou fazer mudanças no time, promovendo a entrada de Thiago Ribeiro, Zé Carlos e Jorge Eduardo, respectivamente no lugar de Rildo, Caju e Gabriel. Mas as alterações surtiram pouco efeito e a vitória cruzeirense se manteve. Ainda houve tempo para um milagre de Fábio: em cobrança de falta de Robinho, Neto alcançou a bola, mas parou no goleiro celeste.

Já na casa dos 40 minutos, era visível o cansaço da equipe paulista, que pouco conseguiu produzir. Observando o Cruzeiro prender a bola no ataque, por pouco o Santos não cedeu o segundo gol: Willian Farias, dentro da área, mandou no travessão, já aos 46.