Santos 2 x 0 Mogi Mirim

Data: 21/04/1999, quarta-feira.
Competição: Campeonato Paulista
Local: Estádio Wilson Fernandes de Barros, em Mogi Mirim, SP.
Árbitro: Romildo Correia (SP).
Gols: Alessandro (07-1) e Rodrigão (13-1).

MOGI MIRIM
Anselmo; Paulão, Marcelo Batatais, Alexandre (Ariel) e Ronaldo; Márcio, Misso, Luis Mário e Rogerinho (Fábio Paulista); Tiago (Kempis) e Alex.
Técnico: José Carlos Serrão

SANTOS
Zetti; Ânderson Lima, Argel, Claudiomiro e Gustavo Nery; Marcos Assunção, Narciso, Jorginho (Aristizábal) e Rodrigo Fabri (Marcos Bazílio); Alessandro e Rodrigão (Lúcio).
Técnico: Emerson Leão



Santos derrota o Mogi e segue líder

O Santos venceu ontem à tarde o Mogi Mirim por 2 a 0, no estádio Wilson de Barros, em Mogi Mirim. O resultado mantém o Santos na liderança isolada do Grupo 4, com 17 pontos. Já o Mogi Mirim permanece na quarta colocação, com cinco pontos, ao lado do Guarani.

O Santos dominou toda a partida e soube aproveitar as falhas do sistema defensivo do Mogi Mirim.

A equipe de Leão fez os dois gols na primeira etapa, com o atacante Alessandro, aos 7min, e depois com Rodrigão, aos 13min.

No primeiro gol, o meia Jorginho cruzou da esquerda, e o atacante Alessandro marcou de cabeça. No segundo, o lateral Ânderson cruzou da direita, e Alessandro arrumou para o atacante Rodrigão chutar forte e ampliar. A bola passou por baixo do goleiro Anselmo.

Na segunda etapa, o Mogi Mirim começou pressionando. Nos dez primeiros minutos, o time da casa teve pelo menos quatro chances de gol, mas o ataque não demonstrou objetividade.

A partir dos 15min, o Santos começou a recuperar o domínio da partida com jogadas rápidas articuladas por Jorginho.

Aos 15min, o meia fez uma boa jogada e deixou Rodrigão próximo ao gol, mas o atacante chutou a bola na rede pelo lado de fora.

A partir da metade do segundo tempo, o Santos passou a cadenciar as jogadas com toques de bola e bloquear as tentativas de ataque do Mogi Mirim.

A partida caiu de rendimento, com o Santos anulando as jogadas do adversário e aproveitando os contra-ataques.

Aos 42min, no entanto, o atacante Kempes conseguiu driblar o zagueiro Argel e chutou forte na esquerda da grande área, mas o goleiro Zetti conseguiu evitar o gol.

Após o jogo, Leão disse que seu time poderia ter vencido por um placar de maior vantagem se não desperdiçasse as oportunidades de gol. “Fomos merecedores da vitória e reconquistamos a confiança necessária para o Santos.”

Para o técnico, o time ganhou confiança para disputar o clássico contra o Corinthians, no domingo.



Santos muda para retornar às origens (Em 21/04/1999)

O Santos quer transformar o jogo contra o Mogi Mirim, hoje, em Mogi, no retorno às “origens”.

Na avaliação do técnico Emerson Leão e dos jogadores mais experientes, o time perdeu no sábado para o Barbarense por ter abandonado sua principal qualidade, o futebol solidário, de “pegada” e marcação forte sobre o adversário.

A primeira providência adotada ontem pelo técnico foi promover antes do treinamento uma reunião de 35 minutos com os jogadores, no gramado do CT do clube.

A segunda foi modificar a equipe. O zagueiro Andrei saiu para a entrada de Claudiomiro, recuperado de contusão. Na lateral direita, Michel perdeu o lugar para Ânderson, de quem havia conquistado a posição. O outro zagueiro, Jean, sai para o retorno, após suspensão, do titular Argel.

Jean e Michel, que recentemente defenderam a seleção brasileira sub-23, voltam para o banco de suplentes. Andrei nem viajará.

“Temos de voltar à nossa origem, de raça, disposição e fibra. Fomos bem no Rio-São Paulo porque nossa equipe marcava, falava muito em campo. O time deu uma acomodada”, afirmou Argel.

Para Leão, o problema já havia se manifestado em jogos anteriores, mas se acentuou na partida de Santa Bárbara, na qual, segundo ele, “tudo estava errado”.

“Acho que houve uma mudança momentânea de comportamento tático. Por isso, perdemos nossas origens por 24 horas”, afirmou o treinador.

A única mudança no Mogi Mirim deve ser a substituição de Nelsinho por Ronaldo na defesa da equipe.

Ânderson busca reabilitação

O lateral-direito Ânderson ganhou hoje a oportunidade de recuperar a condição de titular da posição no Santos, depois de um mês na reserva de Michel.

Após ter sido convocado por Wanderley Luxemburgo para a seleção brasileira em 98, Ânderson sofreu uma lesão muscular, que o manteve afastado por quatro meses. Ao se recuperar, em fevereiro, ele recebeu de volta a condição de titular, apesar do bom desempenho de Michel.

Após uma série de atuações irregulares em nove partidas consecutivas (pelo Rio-São Paulo, a Copa do Brasil e o Campeonato Paulista), Ânderson foi novamente sacado do time, para a volta de Michel, que acabou sendo convocado para a seleção brasileira sub-23.

Ele atribuiu as fracas atuações às consequências psicológicas provocadas pela lesão. Especialista em cobranças de faltas e escanteios, o jogador disse ter retornado à equipe sem a mesma confiança para bater com força na bola.

Segundo o lateral, a lesão atingiu 70% de um músculo da coxa direita e quase o obrigou a se submeter a uma cirurgia. “Quando voltei, ainda sentia dores, que incomodavam”, afirmou.

Sobre a disputa com Michel pela posição, Ânderson disse pretender ratificar sua nova condição com um bom desempenho no jogo de hoje, em Mogi Mirim. “Sempre fui titular do Santos. Se saí, é porque estava faltando alguma coisa, e respeitei a posição do professor (Leão)”, declarou.