Guarani 0 x 1 Santos

Data: 01/05/1999, sábado, 16h00.
Competição: Campeonato Paulista
Local: Estádio Brinco de Ouro da Princesa, em Campinas, SP.
Público: 9.503 pagantes
Árbitro: Paulo César de Oliveira
Cartões amarelos: Gustavo Nery, Ânderson, Jean, Zetti e Marcos Basílio (S); Luciano Baiano e Eduardo Luís (G).
Expulsão: Emerson Leão (S).
Gol: Viola (17-1).

GUARANI
Gléguer; Marinho, Marcelo Sousa e Eduardo Luís; Rubens Cardoso (Rafael), Luciano Baiano, Arinélson (Cezar), Silvinho e Renatinho; Róbson Ponte e Jajá (Rodrigo).
Técnico: Estevam Soares

SANTOS
Zetti; Ânderson Lima, Argel, Claudiomiro e Gustavo Nery; Marcos Assunção (Marcos Bazílio), Narciso, Jorginho e Rodrigo Fabri (Caíco); Alessandro (Jean) e Viola.
Técnico: Emerson Leão



Santos vence com gol de Viola e choro de Leão

O Santos venceu ontem o Guarani por 1 a 0 e disparou na liderança do Grupo 4 do Campeonato Paulista. O time santista tem agora 23 pontos.

Corinthians e União Barbarense, os vice-líderes da chave, têm dez pontos a menos e jogam hoje -contra Mogi Mirim e Portuguesa Santista, respectivamente.

O jogo começou truncado, com muitas faltas, especialmente por parte do Guarani, que fazia marcação individual em Alessandro.

O Guarani, precisando da vitória para seguir com chances de classificação, começou mais ofensivo, mas atacava desordenadamente.

O Santos, aproveitando os espaços deixados pelo lado direito da defesa do Guarani, utilizou bem o meia-atacante Rodrigo no primeiro tempo por aquele setor.

De seus pés, aos 17min, saiu o cruzamento para Viola marcar de cabeça. O atacante justificou assim sua condição de titular da equipe – o técnico Leão o tinha deixado no banco recentemente.

O time santista, seguindo o estilo palmeirense, criou muitas chances com bolas alçadas à área.

Depois de um chute perigoso de Rodrigo, aos 21min, quase Narciso e, depois, Viola marcaram em duas bonitas cabeçadas.

No final do primeiro tempo, o técnico Leão foi expulso pelo árbitro. O juiz Paulo César de Oliveira entendeu que o treinador santista estava reclamando, mas Leão alega ter só falado com seus jogadores na beirada do gramado. Ele assistiu a segunda etapa das tribunas.

No segundo tempo, o Guarani começou mais agressivo, mas permitia perigosos contra-ataques aos jogadores santistas.

Se, no primeiro tempo, o time de Campinas ameaçou o gol de Zetti apenas em chutes de longa distância, na segunda etapa, Rafael perdeu ótima chance na frente do goleiro santista logo aos 3min. Essa, porém, foi a melhor oportunidade de gol do Guarani. O Santos esteve, durante todo o restante da partida, muito mais perto de marcar.

Aos 5min, o volante Narciso, que chegou a discutir com Zetti no intervalo, quase ampliou com outra forte cabeçada.

Cinco minutos depois, o lateral-direito Ânderson apoiou o ataque e chutou com perigo ao gol de Gléguer, goleiro que acabou sendo um dos destaques do jogo.

A última chance de o Guarani empatar aconteceu aos 36min, quando Rodrigo escorou a bola, que raspou o gol de Zetti.

O zagueiro Argel ainda quase marcou de cabeça aos 42min. Ele tem contrato praticamente fechado com o Porto, de Portugal.

Clube tenta anular julgamento de técnico

A diretoria do Santos entrou ontem com um pedido na Federação Paulista de Futebol (FPF) para tentar anular o julgamento de Leão, técnico do time.
Leão afirma que reclamava do jogador Narciso, e não do juiz Paulo César de Oliveira.

A transferência do zagueiro Argel para o Porto está quase certa. Ele deve jogar no time português no segundo semestre, e a duração prevista do contrato é de seis anos.

Ontem, no jogo entre Guarani e Santos, a FPF distribuiu, pela primeira vez no campeonato, almofadas como brinde para os torcedores do Guarani.
Essa já era uma promessa do presidente da federação, Eduardo José Farah, desde o início do campeonato.

A FPF pretende, nos próximos jogos, fornecer o brinde a todos os torcedores presentes.



Buracos preocupam o Santos em Campinas

O gramado do estádio Brinco de Ouro da Princesa resume as preocupações dos jogadores do Santos na partida de hoje à tarde, às 16h, contra o Guarani, em Campinas.

Os santistas temem que os buracos e a irregularidade do terreno provoquem contusões e prejudiquem o futebol da equipe. Foi no gramado do Brinco de Ouro que em 98 o atacante Aristizábal, ao pisar em um buraco, sofreu uma lesão nos ligamentos do joelho direito. A contusão o deixou fora do time por quase sete meses.

“A gente costuma falar que lá (no Brinco de Ouro) tem uns cinco tipos de grama. É um campo com muitos buracos”, diz o lateral Ânderson, que já defendeu o Guarani.

Segundo ele, a lista de “vítimas” do gramado inclui, além de Aristizábal, o zagueiro Sangaletti e o meia-atacante Amoroso, também ex-jogadores do clube de Campinas. “Todos tiveram problemas nos ligamentos cruzados”, disse.

O lateral Gustavo Nery pretende se prevenir contra eventuais defeitos do gramado fazendo, antes da partida, um exame da região do campo onde vai atuar.

“Quando entrarmos para bater bola, já vou fazer um pequeno reconhecimento do gramado, para ver onde estão os buracos. A gente tem de ter cuidado para pisar.”

Além de alertar contra o risco de contusões, o reconhecimento prévio do campo também serve para que o desempenho técnico dos atletas não seja tão prejudicado, segundo o atacante Alessandro.

“Eu, que jogo em velocidade, já sei como é. Às vezes, você vai conduzir uma bola na corrida, driblando, e ela bate na canela. Em um cruzamento, se a bola quicar, já sai tudo errado”, afirmou.

O time terá uma única alteração em relação à equipe que iniciou a partida na vitória de 4 a 2 sobre o Corinthians. É a presença do atacante Viola desde o início do jogo.

O técnico Leão acredita que, por não correr risco de rebaixamento e não ter pretensões de classificação, o Guarani evitará a retranca.

“O Guarani está com o único objetivo de fazer boas apresentações. Joga aberto, com atacantes bem ofensivos, permitindo espaços ao adversário”, afirmou.

Aristizábal retorna ao Brinco

O colombiano Aristizábal, 27, volta hoje pela primeira vez, após quase oito meses, ao gramado do Brinco de Ouro, onde sofreu a mais grave lesão da sua carreira.

Em 2 de setembro do ano passado, recém-contratado pelo Santos, ele torceu o joelho após pisar em um buraco numa partida contra o Guarani. O jogo, pelo Brasileiro-98, terminou empatado (1 a 1).

“Nunca gostei desse campo. O Guarani tem um bom estádio, mas o gramado é ruim”, afirmou o atacante, que ficou quase sete meses afastado devido à contusão.

Guarani tenta manter chances

O Guarani tenta manter suas chances de classificação às semifinais do Paulista contra o Santos.

Para o técnico do time, Estevam Soares, uma vitória hoje deixa a equipe com chances matemáticas. O Guarani ocupa o quarto lugar do Grupo 4, com oito pontos. Apenas dois times se qualificam por chave.

Soares fez duas alterações na equipe que entra em campo hoje. Ele confirmou a saída do goleiro Pitarelli, que falhou nos últimos jogos, e escalou Gléguer. O lateral Rubens Cardoso volta aos titulares depois de cumprir suspensão.