Ceará 1 x 1 Santos

Data: 08/08/2018, quarta-feira, 19h30.
Competição: Campeonato Brasileiro – 20ª rodada (antecipada)
Local: Estádio Presidente Vargas, em Fortaleza, CE.
Árbitro: Marcelo de Lima Henrique
Auxiliares: Michael Correia e Silbert Faria Sisquim.
Cartões amarelos: Edinho, Leandro Carvalho e Ricardinho (C); Jean Mota (S).
Gols: Arthur (33-2) e Jean Mota (41-2).

CEARÁ
Everson; Fabinho, Tiago Alves, Luiz Otávio e João Lucas; Edinho, Richardson e Calyson (Luydi); Juninho Quixadá (Ricardinho), Felipe Azevedo (Leandro Carvalho) e Arthur
Técnico: Lisca

SANTOS
Vanderlei; Victor Ferraz, Luiz Felipe, Gustavo Henrique e Jean Mota; Alison, Diego Pituca (Bryan Ruiz) e Carlos Sánchez (Gabriel Calabres); Rodrygo, Bruno Henrique e Yuri Alberto (Gabriel).
Técnico: Cuca



Santos joga mal, mas arranca empate com o Ceará e sai do Z-4

O Santos arrancou um empate em 1 a 1 com o Ceará na noite desta quarta-feira, em Fortaleza, em jogo antecipado da 20ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O Peixe foi mal, acabou dominado na maior parte da partida, mas volta para casa com um ponto conquistado. O Vovô abriu o placar com Arthur, aos 33 minutos do segundo tempo, depois de várias tentativas e grandes defesas de Vanderlei. E aos 41 minutos, quando a derrota parecia inevitável, o alvinegro empatou.

Alison, da intermediária, cruzou na área e Jean Mota, lateral-esquerdo, apareceu para marcar de peito. Na comemoração, o jogador provocou a torcida do Ceará. Ele estava no rival Fortaleza antes de vir para a Vila Belmiro.

O Santos sai da zona do rebaixamento e vai para a 15ª colocação, com 18 pontos. O Ceará segue como vice-lanterna, com 15 pontos. Na próxima rodada, o Peixe visitará o Atlético-MG. O Vovô receberá o Atlético-PR.

O jogo

O Ceará dominou todo o primeiro tempo. O Santos, acuado, foi envolvido e torceu para o árbitro apitar pela última vez antes do intervalo.

O Vovô fez valer o fator casa e foi para cima do Peixe desde os primeiros minutos. Arthur foi o destaque e obrigou o goleiro Vanderlei a fazer duas boas defesas em finalizações de fora da área. Juninho Quixadá ainda acertou o travessão.

O Santos não criou uma chance clara sequer. Na defesa, Gustavo Henrique, Alison e Jean Mota marcaram muito mal. Rodrygo, Bruno Henrique e Yuri Alberto erraram quase tudo. Para a segunda etapa, entraram Bryan Ruiz e Gabigol.

O cenário para o segundo tempo não foi alterado. Ruiz e Gabriel não entraram bem e Cuca acabou apostando em Gabriel Calabres, que havia jogado duas vezes na temporada, na metade final de jogo.

O Santos criou uma chance apenas, em ótimo lançamento de Carlos Sánchez para Bruno Henrique, aos 15 minutos. O atacante recebeu, invadiu a área e chutou para ótima defesa de Everson. Enquanto isso, Vanderlei seguiu salvando o Peixe. A melhor defesa foi aos 22 minutos, em mais uma boa jogada de Arthur. O centroavante serviu Calyson e o goleiro saiu bem para defender.

E aos 33, o placar fez justiça. Em contra-ataque de manual, a bola foi de pé em pé até Leandro Carvalho passar para Arthur, com categoria, deslocar Vanderlei. Na origem da jogada, Gustavo Henrique bateu em cima de Tiago Alves. Os santistas pediram pênalti.

E quando parecia que o Ceará confirmaria a vitória, o Santos achou um gol. E de forma completamente aleatória aos 41 minutos: Alison cruzou da intermediária para Jean Mota, de peito, empatar. Ponto a ser comemorado pelo Peixe, que sai da zona do rebaixamento.

Bastidores – Santos TV:

Cuca analisa estreia de Ruiz e diz que Ceará merecia vencer o Santos

O técnico Cuca foi sincero e admitiu que o Ceará mereceu mais do que o empate em 1 a 1 com o Santos na noite desta quarta-feira, em Fortaleza, em jogo antecipado da 20ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O treinador analisou as dificuldades sofridas pelo Peixe e viu o ponto conquistado como positivo. O empate fez o alvinegro sair da zona do rebaixamento.

“Foi um placar injusto na minha maneira de ver. Vocês sabem como é futebol, tem que converter chances, principalmente contra equipes grandes. E foi assim com o Ceará. Ceará foi muito melhor no primeiro tempo, depois um pouco melhor. Ceará foi melhor no geral e merecia e vencer, mas conseguimos empatar. Poderíamos ter saído na frente mesmo sem jogar bem, com Bruno Henrique, mas Ceará jogou melhor e mereceu vencer. Está com moral, ganhou três depois da Copa. Estão confiantes. Empate nos cai bem porque a gente sai da zona do rebaixamento, mesmo por um ponto. Emocionalmente é importante, mas temos que melhorar muito”, disse Cuca, em entrevista coletiva.

Cuca analisou a estreia de Bryan Ruiz e explicou as substituições para o segundo tempo. O Santos voltou para a etapa final com o costarriquenho na vaga de Diego Pituca e Gabigol no lugar de Yuri Alberto.

“Outro país, sem saber direito o nome do amigo, e temos que colocá-lo. Falei de ter calma, paciência, para não queimar. E vou proteger. Estão dando cara à tapa, poderiam nem jogar. Mas são bons profissionais, querem ajudar e temos que ter um rumo para sair dessa o quanto antes. Gabriel não é centroavante fixo, tentamos com Yuri, mas estava um pouco afoito, por isso voltou Gabriel e Bryan. Estão acontecendo coisas no Santos que não podemos cobrar dos jogadores. Como vai saber como companheiro gosta de jogar? Ou Sánchez? Ou Derlis? São situações atípicas, estreias no meio, outras nacionalidades… Temos que poupar os jogadores em relação às críticas”, explicou.

“O que eu fiz: tentei com o menino, ah, o Gabigol estava mal… Ah, não é culpa do Gabigol. Precisamos de um armador e colocamos um armador. E temos que ter calma. Temos carência, mas ninguém abdica de dar seu máximo. Não estamos jogando bem, verdade, jogamos contra Botafogo e Ceará, adversários diretos fora. Não são ótimos, mas não são ruins. Se fizermos dever de casa, pontos vão encorpar lá na frente. E temos que buscar a primeira vitória no Independência. Vai ser tão difícil ou mais que hoje, e depois tem Independiente lá na frente, mais difícil ainda. Estamos passando por esse momento de troca de jogadores em meio a competições importantes”, completou.

“Herói”, Jean Mota valoriza empate do Santos com o Ceará após sufoco

Jean Mota foi o herói inesperado do Santos no empate em 1 a 1 com o Ceará na noite desta quarta-feira, em Fortaleza. O gol no fim da partida tirou o Peixe da zona do rebaixamento.

Quando o alvinegro parecia não ter mais forças para reagir, Alison cruzou da intermediária e Jean, empurrou para o fundo das redes. O empate foi comemorado.

“Sabíamos que o jogo seria difícil, vinham embalados e confiantes. Sofremos, saímos atrás, mas com muita luta buscamos o resultado. É importante o ponto fora de casa. Queríamos a vitória para sair de vez, mas pelas circunstâncias, é um ponto importante”, disse Jean Mota.