Corinthians 0 x 1 Santos

Data: 12/02/2006
Competição: Campeonato Paulista – 9ª rodada
Local: Estádio do Morumbi, em São Paulo, SP.
Público: 33.450 pagantes
Renda: R$ 444.090,00
Árbitro: José Henrique de Carvalho
Auxiliares: Ednilson Corona e Nilson de Souza Monção
Cartões amarelos: Maldonado, Julio Manzur, Geílson e Wendel (S); Carlos Alberto, Fabinho e Tevez (C).
Cartão vermelho: Luís Alberto (S)
Gol: Geílson (33-2).

CORINTHIANS
Marcelo; Coelho, Marinho, Betão e Gustavo Nery; Marcelo Mattos, Bruno Octavio (Elton), Ricardinho e Carlos Alberto (Roger); Tevez e Nilmar (Rafael Moura)
Técnico: Antônio Lopes

SANTOS
Fábio Costa; Luís Alberto, Julio Manzur e Domingos; Neto (Wendell), Fabinho, Maldonado, Rodrigo Tabata (Léo Lima), Cléber Santana e Kléber; Reinaldo (Geílson)
Técnico: Vanderlei Luxemburgo


Com um a menos, Santos vence Corinthians e empata com líder

Num clássico marcado pela rivalidade cada vez maior e recheada de jogadores que trocaram de lado nos últimos tempos, o Santos derrotou o Corinthians por 1 a 0, neste domingo, pelo Campeonato Paulista.

Com um jogador a menos desde os 30min do segundo tempo –Luiz Alberto foi expulso–, o Santos chegou aos 19 pontos, mesma pontuação do líder Noroeste, mas perde no saldo de gols para o time de Bauru.

Além do bom resultado, o Santos conseguiu se vingar do arqui-rival. Na última vez que se enfrentaram, o Corinthians havia goleado o time santista por 7 a 1, em jogo válido pelo segundo turno do Brasileiro-05.

Do lado do Corinthians, que permanece com 15 pontos e se distancia dos líderes, a novidade foi o retorno do meia Roger, que não entrava em campo desde 30 de outubro do ano passado, quando sofreu lesão na fíbula da perna direita e teve que ser operado.

O Santos volta a jogar pelo Paulista-06 no próximo domingo (19) contra a Ponte Preta, em casa. Já o Corinthians, que acumula duas derrotas seguidas no Estadual, faz sua estréia na Taça Libertadores na quarta-feira (15) contra Deportivo Cali, na Colômbia.

O jogo

Antes mesmo de começar o clássico, o técnico Vanderlei Luxemburgo já tinha conseguido mexer com o adversário. O santista não divulgou a escalação de sua equipe e confundiu o técnico do Corinthians, Antonio Lopes, que foi obrigado a entrar em campo momentos antes do início do jogo para reorientar o time.

A estratégia de começar o jogo no esquema 3-5-2 deu certo para os santistas em boa parte do primeiro tempo. Com três zagueiros e dois volantes marcadores –Fabinho e Maldonado–, o Santos anulou os dois principais articuladores do Corinthians –Carlos Alberto e Ricardinho.

A equipe de Parque São Jorge até assustou com uma bola na trave chutada por Coelho, aos 2min. O Santos, entretanto, soube explorar as jogadas com velocidade. Foi assim que Rodrigo Tabata lancou para Neto, aos 9min, chutar cruzado e exigir uma difícil defesa de Marcelo.

A partida ficou equilibrada apenas na segunda metade da etapa inicial, principalmente porque Ricardinho e Carlos Alberto encontraram alguns espaços.

Tevez, que tinha dificuldades para penetrar na defesa santista, precisou mudar sua postura –deixou de ficar enfiado entre os zagueiros santistas e saiu para armar.

Aos 23min, o argentino lançou para Marcelo Mattos. O volante tentou tocar por cima de Fábio Costa, que evitou o gol corintiano. O Corinthians teve outra chance, quando Coelho cobrou falta, aos 39min, e a bola bateu na trave.

A superioridade santista já não foi tão visível no segundo tempo. Aliás, foi o Corinthians quem criou a primeira grande oportunidade. Aos 15min, Ricardinho recebeu de Marcelo Mattos e chutou rente a trave de Fábio Costa.

O técnico Antonio Lopes mexeu com a equipe. Colocou em campo Roger e Rafael Moura nos lugares de Carlos Alberto e Nilmar, respectivamente.

O Santos quase se complicou aos 30min, quando o zagueiro Luiz Alberto foi expulso por reclamar de um suposto pênalti de Gustavo Nery não marcado pelo juiz.

Quando todos pensavam que o Corinthians pressionaria o adversário, o Santos fez o primeiro gol. Aos 33min, Geílson, que havia substituído Reinaldo, ainda no primeiro tempo, entrou livre e tocou no canto esquerdo de Marcelo.

No final, o Santos teve ainda um gol não marcado pelo árbitro em uma cobrança de Cléber Santana –a bola bateu na trave e teria entrado antes de Marcelo fazer a defesa.

No vídeo abaixo o zagueiro Domingos fala da marcação especial feita no argentino Tevez: