Independiente 0 x 0 Santos (Punição: 3 x 0)

Data: 21/08/2018, terça-feira, 21h45.
Competição: Copa Libertadores – Oitavas de final – Jogo de ida
Local: Estádio Libertadores da América, em Avellaneda, Argentina.
Árbitro: Diego Haro (PER).
Auxiliares: Jonny Bossio e Victor Raez (ambos do PER).
Cartões amarelos: Bustos, Francisco Silva, Cerutti e Gastón Silva (I); Lucas Veríssimo, Carlos Sánchez, Dodô e Gabriel (S).
Cartão vermelho: Dodô (S).

INDEPENDIENTE (ARG)
Campaña; Bustos, Burdisso, Brítez e Gastón Silva; Francisco Silva, Pablo Hernández e Meza; Cerutti (Verón), Romero (Pizzini) e Gigliotti.
Técnico: Ariel Holan

SANTOS
Vanderlei; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, Gustavo Henrique e Dodô; Alison, Diego Pituca e Carlos Sánchez (Bryan Ruiz); Rodrygo (Derlis González), Bruno Henrique (Eduardo Sasha) e Gabriel.
Técnico: Cuca



Santos vai bem na defesa, não chuta e segura empate com o Independiente

O Santos empatou em 0 a 0 com a o Indpendiente-ARG na noite desta terça-feira, em Avellaneda, pela ida das oitavas de final da Libertadores da América.

O Peixe foi muito bem defensivamente, mas pouco criou e terminou a partida sem uma finalização sequer a gol. Aos 36 minutos do segundo tempo, Dodô foi expulso e quase complicou o alvinegro.

Bruno Henrique e Rodrygo erraram tudo, a bola pouco chegou em Gabigol e as entradas de Derlis González e Eduardo Sasha no segundo tempo não surtiram efeito. Gigliotti, livre na pequena área, desperdiçou chance inacreditável na etapa final.

O Santos tentará a vaga nas quartas de final da Libertadores na próxima terça-feira, no Pacaembu. Novo 0 a 0 leva a decisão para os pênaltis. Empate com gols classifica o Independiente por conta do gol qualificado.

O jogo

O Santos não se intimidou com o Estádio Libertadores da América e foi para cima do Independiente nos primeiros minutos. Com as linhas de defesa adiantadas e marcação alta, o Peixe dominou as ações iniciais.

O problema foi a má atuação do trio de ataque, principalmente Bruno Henrique. Gabigol e Rodrygo também destoaram. E com a bola batendo e voltando, os donos da casa se animaram.

A defesa do Peixe se manteve bem postada, então o Rojo apostou na bola parada e nas finalizações de fora da área. Meza, Cerutti e Gigliotti levaram perigo dessa forma.

Aos 25 minutos, o alvinegro teve sua melhor chance, quando Sánchez enfiou ótimo passe para Rodrygo e a joia foi preciosista, deu um toque a mais e foi cortado por Francisco Silva. Bruno Henrique estava sozinho no segundo pau.

No segundo tempo, o Santos não conseguiu mais controlar o jogo e viu o Independiente se lançar ao ataque. Para a sorte do Peixe, foi mais suor do que qualidade.

A defesa alvinegra se manteve bem postada e o Rojo não criou uma jogada sequer pelo meio. Enquanto isso, o ataque se manteve inerte. Bruno Henrique e Rodrygo erraram quase tudo e foram substituídos no começo da etapa final para as entradas de Derlis González e Eduardo Sasha.

A melhor chance do Independiente veio com Gigliotti, aos 24 minutos. Vanderlei não saiu do gol, Cerutti ganhou pelo alto de Victor Ferraz e ajeitou para o centroavante, livre na pequena área, isolar. Na metade final do segundo tempo, os donos da casa seguiram insistindo, mas só assustaram de longe ou em cruzamentos. Aos 31, eles voltaram a ficar perto do primeiro gol.

Silva bateu de fora da área e Vanderlei espalmou para o escanteio. No levantamento, Burdisso cabeceou fraco e o goleiro, inseguro, soltou. No rebote, Brítez fez falta e não conseguiu marcar.

Aos 36 minutos, Dodô recebeu o segundo cartão amarelo e foi expulso. Dali em diante, o Santos se fechou na defesa e segurou o empate em Avellaneda. Em resumo: defesa muito bem, ataque muito mal.

Bastidores – Santos TV:

Cuca lamenta atuação dos pontas e minimiza Santos sem finalizar em empate

O Santos não finalizou uma vez sequer a gol no empate em 0 a 0 com o Independiente-ARG nesta terça-feira, em Avellaneda, mas o técnico Cuca minimizou a falta de poderio ofensivo.

O treinador admitiu o rendimento ruim de Rodrygo e Bruno Henrique, porém, lembrou da derrota por 1 a 0 para o América-MG, pelo Campeonato Brasileiro, ainda sob o comando do auxiliar Serginho Chulapa.

“Jogamos compacto, uma zona de 40 metros, e não encaixamos um contra-ataque. Rodrygo e Bruno Henrique saíram machucados. Se estivessem em uma boa noite, teríamos grandes chances de fazer um gol. Hoje, mais do que jogar bem, era um bom resultado. Levamos a decisão para o Brasil”, disse o técnico, em entrevista coletiva.

“Lembro do Santos sair com 30 e poucas finalizações contra o América-MG e não ganhar. Quantas finalizações teve o adversário? Foi jogo de poucas chances e temos que valorizar o resultado”, completou o treinador.

Pituca diz que Santos não conseguiu se impor, mas comemora empate na Argentina

Diego Pituca admitiu que o Santos não conseguiu se impor, mas comemorou o empate em 0 a 0 com o Indepediente-ARG na noite desta terça-feira, em Avellaneda, pela ida das oitavas de final da Libertadores da América.

“Sabíamos que seria difícil. Viemos para ganhar, não conseguimos e levamos esse empate. Em casa vamos em busca da classificação. Não conseguimos impor nosso jogo, mas empate é comemorado e vamos levar a classificação”, disse Pituca, à Fox Sports.

O Peixe foi muito bem na defesa e só sofreu em cruzamentos ou finalizações de fora da área, porém, não finalizou uma vez sequer a gol. Depois de Dodô ser expulso, aos 36 minutos do segundo tempo, o alvinegro segurou o empate.

Conmebol avalia punição por escalação de Sánchez; Santos não vê risco

A Conmebol avalia punição ao Santos por suposta escalação irregular de Carlos Sánchez no empate em 0 a 0 com o Independiente nesta terça-feira, em Avellaneda, pela ida das oitavas de final da Libertadores da América. Se confirmada, o Peixe perderia por 3 a 0. O alvinegro, porém, não vê risco.

A confederação emitiu um comunicado nesta quarta-feira informando sobre a investigação. Sánchez foi suspenso por três partidas em 2015, pelo River Plate, por ter agredido a um gandula contra o Huracán, em novembro, pela semifinal da Sul-Americana. O uruguaio não disputou outras partidas da Conmebol desde então.

A confederação, em seu centenário em 2016, declarou anistia para as suspensões. O Independiente afirma que a redução foi de metade das penas e Sánchez não poderia ter atuado em Avellaneda. O Santos tranquiliza o torcedor.

“Não há risco. A torcida pode ficar tranquila. O Sistema COMET, da Conmebol, informa a baixa no cumprimento de sanções disciplinares ao Carlos Sánchez desde 24 de maio de 2018. É o único sistema oficial e eletrônico da Conmebol”, disse Rodrigo Gama Monteiro, gerente jurídico do Santos, à Gazeta Esportiva.



Observação:

Em 28/08/2018, a Conmebol puniu o Santos por considerar irregular a escalação do meio-campista Carlos Sánchez no jogo de ida das oitavas de final da Libertadores, contra o Independiente, na Argentina, quando os times empataram em 0 a 0 em Avellaneda.

A entidade modificou o resultado da partida e decretou vitória do Independiente por 3 a 0, forçando o Santos a tentar vencer a segunda partida por quatro gols de diferença para avançar direto para as quartas de final. O resultado de 3 a 0 levaria a disputa para os pênaltis.