Santos 2 x 0 Bahia

Data: 25/08/2018, sábado, 16h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 21ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 11.564 pagantes
Renda: R$ 201.458,00
Árbitro: Heber Roberto Lopes (SC)
Auxiliares: Henrique Neu Ribeiro e Eder Alexandre (SC).
Cartões amarelos: Bruno Henrique (S); Elton e Douglas Grolli (B).
Gols: Derlis González (11-2) e Gabriel (28-2).

SANTOS
Vanderlei, Daniel Guedes, Lucas Veríssimo, Gustavo Henrique (Robson Bambu) e Dodô; Diego Pituca, Carlos Sánchez e Rodrygo; Derlis González, Bruno Henrique (Bryan Ruiz) e Gabriel (Eduardo Sasha).
Técnico: Cuca

BAHIA
Anderson; Nino Paraíba, Tiago (Everson), Douglas Grolli (Paulinho) e Léo; Gregore e Elton; Vinícius (Regis), Zé Rafael e Elber; Edgar Junio.
Técnico: Enderson Moreira



Derlis brilha, Gabigol marca e Santos vence o Bahia na Vila Belmiro

O Santos confirmou a reação no Campeonato Brasileiro e voltou a vencer na Vila Belmiro, desta vez por 2 a 0 contra o Bahia, neste sábado, pela 21ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O Peixe contou com um show de Derlis González para construir o placar. Novidade na escalação, o paraguaio fez um golaço e ainda deu a assistência para Gabigol ampliar no segundo tempo.

Uma alteração de Cuca foi crucial no intervalo. Depois da opção por quatro atacantes não funcionar na primeira etapa, o técnico tirou Bruno Henrique, o pior em campo, para a entrada de Bryan Ruiz. A substituição equilibrou o meio-campo e fez os donos da casa melhorarem.

O Santos voltará a campo para enfrentar o Independiente-ARG na próxima terça-feira, no Pacaembu, pela volta das oitavas de final da Libertadores da América. O Peixe aguarda pelo julgamento da Conmebol, na segunda-feira, para saber se o empate por 0 a 0 em Avellaneda será mantido ou se a derrota por 3 a 0 pela escalação irregular de Carlos Sánchez será declarada.

O jogo

O primeiro tempo foi morno do início ao fim. O Santos tentou controlar o jogo e dominar as ações ofensivas, mas esbarrou em um meio-campo pouco produtivo e atuações discretas de Rodrygo, Bruno Henrique e Gabigol. Derlis González foi o destaque.

Enquanto isso, o Bahia se defendeu bem e criou a melhor chance dos primeiros 45 minutos. Zé Rafael foi à linha de fundo e cruzou fechado, o goleiro Vanderlei passou batido, Daniel Guedes vacilou e Edgar Junio, sozinho na pequena área, pegou de raspão e chutou para fora.

Aos 17 minutos, depois de choque de cabeça com Gregore, Gustavo Henrique teve que sair. O zagueiro tentou voltar com uma touca por conta do sangramento, mas não aguentou. Robson Bambu, que não atuava desde o dia 11 de março, entrou “na fogueira”.

Substituição e show do paraguaio
Cuca fez uma substituição decisiva no intervalo. Bruno Henrique, o pior em campo, saiu para a entrada de Bryan Ruiz. O costarriquenho não foi brilhante, mas equilibrou o meio-campo depois da formação com quatro atacantes não funcionar.

O Santos passou a sofrer menos e se mostrar mais presente no ataque. E aos 11 minutos, veio o primeiro gol. Após falta cobrada na área por Dodô, a bola sobrou para Derlis González na ponta direita. O paraguaio, não se sabe se intencionalmente, acertou lindo chute cruzado, no ângulo do goleiro Anderson.

Atrás no placar, o Bahia se expôs e o Peixe aproveitou. Em contra-ataque de manual, a vitória foi sacramentada. Carlos Sánchez começou a jogada, Derlis deu ótimo passe para Gabigol. Depois da inteligência para se manter em posição legal, o camisa 10 avançou e deslocou o goleiro com categoria.

O Tricolor se lançou ao ataque nos minutos finais, mas não teve forças para reagir. Cada vez mais longe da zona do rebaixamento, o Santos foi para a 11ª colocação, com 11 pontos. Ultrapassado, Bahia caiu para 12º, com 22.

Bastidores – Santos TV:

Cuca analisa vitória sobre o Bahia e diz que o Santos tem que “subir escada”

Cuca analisou a vitória do Santos por 2 a 0 sobre o Bahia neste sábado, na Vila Belmiro. O técnico admitiu o primeiro tempo ruim e a necessidade de mexer na formação para a segunda etapa: com Bryan Ruiz na vaga de Bruno Henrique, o time melhorou.

“Jogo super complicado porque o Bahia tem quarteto de atacantes muito rápido e que não guarda posição. Elber, Zé, Vinicius e Junio. Se movimentam muito e confundem, ocupam um quadrado de 10 a 15 metros todos eles. E não dá para fazer isso com nosso time, então tem numericamente a posse de bola maior no setor ofensivo e toques rápidos que alertamos. Tiveram chance clara no primeiro tempo e não tivemos muitas, mesmo com posse maior. Tem dias que o jogo casa com o que planeja, tem que não casa. Dois atacantes na linha de quatro não deu certo, perdemos meio-campo e ficamos sem criatividade nenhuma. No segundo tempo, pela característica do jogo, melhorou com o Bryan Ruiz, um meia que deu uma equilibrada maior no setor. Pudemos fazer dois gols e vencer, que era o maior importante. Demos uma respirada boa no campeonato”, analisou o técnico.

“Precisávamos de um meia para criar. Bryan vai evoluir, não está rendendo o que pode, é natural. Precisávamos, colocamos e o time se acertou melhor. Fizemos o primeiro gol do Derlis, o segundo em arrancada bonita do Gabriel. É um ótimo momento com a gente. Vamos para o quinto jogo, quatro sem derrota e três sem tomar gol. Esses números fortalecem o time”, completou.

O objetivo agora é subir na tabela. Com a vitória, o Santos foi à 11ª colocação, com 24 pontos. O primeiro no G-6, o Atlético-MG, tem 34 pontos.

“Distância para o grupo de cima da Libertadores é mais ou menos a mesma do grupo de baixo. Um ponto muda. Tem que tentar subir escada e pegar calcanhar do pessoal. É o que vamos tentar. Pessoal de baixo quer pegar o nosso”, concluiu.

O Santos voltará a campo para enfrentar o Independiente nesta terça-feira, às 19h30 (de Brasília), pela volta das oitavas de final da Libertadores da América. O Peixe aguarda pelo julgamento da Conmebol na próxima segunda-feira para saber se o 0 a 0 da ida foi mantido ou se o alvinegro será derrotado por 3 a 0 por conta da suposta escalação irregular de Carlos Sánchez.

Cuca elogia momento de Gabigol e analisa Derlis: “Força e explosão”

Cuca ficou animado com as atuações de Gabigol e Derlis González na vitória do Santos por 2 a 0 sobre o Bahia neste sábado, na Vila Belmiro, pela 21ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O técnico vê melhora no desempenho de Gabriel Barbosa desde sua chegada e se surpreende com a rápida adaptação do paraguaio.

“Quando cheguei, falei que era fácil tirar o Gabriel do time, mas trabalho não é esse, é recuperação. Passa por atitudes, atitude diferenciada em espaço de campo menor, com desgaste menor. Ele às vezes sai demais e faz falta no meio. Ele está respaldado, é um líder, foi nosso capitão merecidamente. Está com alto astral, momento bom, e que fique assim pelo menos até o fim do ano, melhorando ainda mais. Às vezes temos impressão pelo topete, brinco, roupa, sou assim. Mas tete a tete, sinto pessoa fácil, humilde, carente de companhia dos companheiros e da gente. Todos gostam. É um prazer trabalhar com ele. Fiz o que eu deveria fazer, cobrei, expliquei que ele tinha que se posicionar melhor, falei da real posição. Disse que queria ser centroavante e trabalhamos para isso, só não dava para ficar de costas. Respondeu bem, ficou no banco, deu para ter ideia da melhora sem ele ou se não fazia falta. Sai o peso dele. A gente não faz por querer, mas coisas se mostram. Voltou titular, rendeu bem e hoje foi nosso capitão. Sempre reivindicando as coisas para os companheiros”, disse Cuca, em entrevista coletiva.

“Derlis se adaptou rápido, força, explosão, joga com muita disposição e hoje foi premiado com gol e passe para Gabriel. Gabriel flutuou na linha, tipo pegando onda, esperou momento certo e foi muito feliz na decisão”, completou.

Com o bom rendimento recente, Derlis é cotado para uma vaga como titular diante do Independiente-ARG na terça-feira, às 19h30 (de Brasília), no Pacaembu. Bruno Henrique está em má fase. O Santos aguarda pelo julgamento da Conmebol na próxima segunda-feira para saber se o 0 a 0 da ida das oitavas de final será mantido ou se o alvinegro será derrotado por 3 a 0 por conta da suposta escalação irregular de Carlos Sánchez.

Cuca pede paciência com Bruno Henrique no Santos: “Temos que criar alternativas”

Bruno Henrique teve mais uma atuação ruim e foi substituído no intervalo na vitória do Santos por 2 a 0 sobre o Bahia neste sábado, na Vila Belmiro.

Em entrevista coletiva, o técnico Cuca pediu ao torcedor paciência com o atacante. Destaque em 2017, o camisa 11 não conseguiu reeditar o bom desempenho depois de grave lesão na retina do olho direito no primeiro semestre.

“Tem jogadores que temos que ter paciência, nem todos ficam na mesma fase. Tem que entender o porquê. Por que não rende bem? Às vezes falta trabalho meu, triangulação maior, do outro lado tem mais. Pode ficar órfão de jogada trabalhada. Está pegando mano a mano? Temos que criar alternativas para ele”, disse Cuca.

Gustavo Henrique sofre corte profundo e preocupa o Santos para a Libertadores

Gustavo Henrique preocupa o Santos para a decisão contra o Independiente na terça-feira, às 19h30 (de Brasíla), no Pacaembu, pela volta das oitavas de final da Libertadores da América.

O zagueiro sofreu um corte profundo no supercílio no primeiro tempo da vitória por 2 a 0 sobre o Bahia neste sábado, na Vila Belmiro, e foi substituído por Robson Bambu.

“15 pontos na testa, preocupante. Até terça tem pouco tempo. Bambu entrou bem, muito tempo sem jogar, mas ficamos sem opções pela necessidade de não tê-lo. São situações que ocorrem e temos que lidar com isso”, disse Cuca, em entrevista coletiva.

Se Gustavo não puder atuar, Robson Bambu atuará ao lado de Lucas Veríssimo. Luiz Felipe se recupera de lesão muscular na coxa esquerda e não há outro zagueiro inscrito na Libertadores. O volante Alison é um dos atletas que pode ser improvisado.