Jogos inesquecíveis


Santos 2 x 0 América-SP

Data: 14/07/1984, sábado, 16h00.
Competição: Campeonato Paulista – 1º turno – 3ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 6.606 pagantes
Renda: Cr$ 15.938.000,00
Árbitro: José de Assis Aragão
Cartões amarelos: Toninho Carlos e Márcio Rossini (S); Tarcísio, Orlando Fumaça e Paulo Martins (A).
Gols: Serginho Chulapa (26-1); Serginho Chulapa (07-2).

SANTOS
Rodolfo Rodríguez; Chiquinho, Márcio Rossini (Fernando), Toninho Carlos e Gilberto Sorriso (Paulo Róbson); Dema, Paulo Isidoro e Humberto; Lino, Serginho Chulapa e Zé Sérgio.
Técnico: Carlos Castilho

AMÉRICA-SP
Paulo César; Nena, Orlando Fumaça, Jorge Lima e Daniel; Paulo Martins, Catanoce (Mazola) e Toninho; Formiga, Tarcísio e Vilmar (Ílton).
Técnico: Candinho


Defesas antológicas de Rodolfo Rodríguez

Coube a uma pequena platéia, sábado na Vila Belmiro, o privilégio de assistir de perto à jogada mais sensacional vista neste anos nos campos paulistas, um lance de figurar em qualquer antologia do futebol brasileiro.

Aos 40 minutos do segundo tempo, Jorge Lima chutou forte e rasteiro da intermediária, e Rodolfo Rodríguez começou mal o que depois se transformaria em sua façanha (saltou atrasado e viu a bola bater na trave esquerda e correr sobre a linha do gol, às suas costas).

Caído, viu o ponta Formiga entrar na corrida e mergulhar de carrinho para empurrar para dentro; ainda caído, virou o corpo e travou a bola com a mão (deslocou o dedo polegar no lance, e depois ele mesmo pôs no lugar), prensando com o atacante. A bola sobrou limpa para o centroavante Tarciso na risca da pequena área e este, com os 7 metros de gol abertos a sua frente, chutou forte. Rodolfo Rodríguez saltou esticando o braço para o canto direito e defendeu o tiro à queima-roupa.

Tinha mais. Toninho veio na corrida e bateu de dentro da área para o canto direito; Rodríguez saltou e rebateu na direção de Formiga, novamente na pequena área, que chutou. O goleiro saltou, a bola bateu na trave e o zagueiro Toninho Carlos mandou para escanteio.

“Nunca vi nada assim”, afirmou o técnico Castilho, ele próprio um ex-goleiro célebre pela categoria e pela sorte. “Nem eu”, disse Rodolfo Rodríguez.

O atacante Tarcísio, do América, declarou estupefato que Rodolfo era “maior que o gol”.



Fonte: Jornal Folha de SP