Santos 1 x 0 Corinthians

Data: 13/10/2018, sábado, 19h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 29ª rodada
Local: Estádio do Pacaembu, em São Paulo, SP.
Público: 26.428 pessoas (24.123 pagantes e 2.305 não pagantes).
Renda: R$ 778.974,50
Árbitro: Pericles Bassols Pegado Cortez (PE)
Auxiliares: Clovis Amaral da Silva e Cleberson do Nascimento Leite (ambos de PE).
Cartões amarelos: Gabriel, Gustavo Henrique, Derlis González (S); Emerson Sheik e Gabriel (C).
Gols: Gabriel (21-1).

SANTOS
Vanderlei; Victor Ferraz, Luiz Felipe, Gustavo Henrique e Dodô; Yuri (Renato); Arthur Gomes (Derlis González), Carlos Sánchez (Eduardo Sasha), Diego Pituca e Bruno Henrique; Gabriel.
Técnico: Cuca

CORINTHIANS
Walter; Léo Santos (Thiaguinho), Pedro Henrique, Marllon e Carlos Augusto; Gabriel e Douglas; Pedrinho, Mateus Vital (Clayson) e Emerson Sheik (Danilo); Jonathas.
Técnico: Jair Ventura



Gabigol marca e Santos vence o Corinthians no clássico do Pacaembu

O Santos contou com uma grande jogada individual de Arthur Gomes e o faro de gol de Gabriel, artilheiro do Campeonato Brasileiro, para vencer o clássico contra o Corinthians, na noite deste sábado, no estádio do Pacaembu. Mesmo diante de um valente time misto do rival, o time da Baixada comemorou como se fosse um título após o apito final do árbitro Péricles Bassols, com jogadores invadindo o campo.

O resultado leva a equipe aos 42 pontos na tabela da competição nacional, sete a mais do que o clube do Parque São Jorge, dono de atuação digna apesar do revés. Cada vez mais com o sinal de alerta contra o rebaixamento ligado, o Timão estagnou nos 35 pontos e pode fechar a rodada apenas dois pontos acima da zona de rebaixamento.

O jogo

O jogo começou com o Corinthians apostando na rapidez de Pedrinho e Mateus Vital para surpreender a marcação do adversário. Bastante organizado para um time com tantas mudanças, o Alvinegro teve uma chance clara de abrir o placar ainda aos quatro minutos. Léo Santos saiu jogando com um drible no meio das pernas de Bruno Henrique, foi ao ataque e recebeu bola na medida de Pedrinho. O zagueiro, improvisado na lateral, cruzou, Jonathas furou e a bola ficou com Vital, que cortou Ferraz e chutou para fora.

O lance, que chegou a silenciar por alguns momentos o estádio do Pacaembu, deu confiança aos corintianos, que não recuaram nem aceitaram a pressão adversária. À medida em que o tempo foi passando e Carlos Sánchez, com muita calma, tomou conta do meio-campo, porém, o Peixe conseguiu reter mais a posse de bola. Foi a senha para que os donos da casa conseguissem abrir o placar.

Depois de lance polêmico na saída de bola, com Vital reclamando de falta de Gustavo Henrique após perder a bola, o Peixe inverteu o jogo e conseguiu lateral. Na cobrança, Arthur Gomes mostrou qualidade para girar sobre a primeira marcação de Douglas, fintou Carlos e chutou para o meio da área. Walter desviou, mas a bola ficou nos pés de Gabriel, que soltou a bom com o pé esquerdo para estufar a rede.

Mesmo com a torcida incentivando e a chuva caindo forte para animar a galera nas arquibancadas, o Peixe preferiu recuar ao seu campo de defesa e apostar no contra-ataque com a rapidez dos seus pontas. Com a posse de bola, mas sem profundidade já que Jonathas sofria até para dominar a bola, o Corinthians não conseguiu ameaçar o gol de Vanderlei até o intervalo, mantendo o placar em 1 a 0.

Apesar de ter levado perigo com a dupla Pedrinho e Léo Santos no primeiro tempo, o técnico Jair Ventura optou por dar descanso ao seu zagueiro titular no intervalo. Thiaguinho voltou para a etapa final como lateral, numa clara demonstração de preferência do comandante pelo jogo da quarta-feira do que pelo clássico. O Peixe, em vantagem, voltou com a mesma formação e ideia de jogo, esperando o rival na defesa.

Jonathas, ainda que com muita dificuldade com a bola nos pés, passou a disputar bem pelo alto e deu profundidade ao time do Corinthians. No melhor lance criado, mesmo com um passe mais forte do que o necessário, deixou Mateus Vital em boa condição dentro da área. O meia, porém, demorou a tomar a decisão, tentou levar para o pé direito e acabou desarmado em cima da hora por Luiz Felipe.

Cuca sentiu que seu time precisava de mais poder ofensivo e mandou a campo o paraguaio Derlis Gonzáles na vaga de Arthur Gomes, visivelmente cansado. Logo em seu primeiro lance, Derlis recebeu passe sem querer de Dodô, que errou um chute para o gol, e ficou em boa condição na área. O atacante ajeitou e soltou um chute forte com o pé direito, a bola bateu em Pedro Henrique e saiu pela linha de fundo.

Os minutos finais foram de muita intensidade, com direito a sete minutos de acréscimo adicionados pelo árbitro. O Corinthians quase empatou em cruzamento de Carlos que Gabriel cabeceou ao lado do gol de Vanderlei. Na resposta, Derlis chutou forte, Walter espalmou e Bruno Henrique, no rebote, carimbou o goleiro mais uma vez. No último lance, Clayson bateu falta na área, a defesa fez linha de impedimento péssima e Marllon cabeceou para fora.

Bastidores – Santos TV:

Cuca celebra atuação do Santos em vitória no clássico: “Só elogios”

Cuca deixou o Estádio do Pacaembu satisfeito com o que viu na vitória do Santos por 1 a 0 sobre o Corinthians, na noite deste sábado, em clássico válido pela 29ª rodada do Campeonato Brasileiro. Em entrevista coletiva, o treinador se mostrou cada vez mais contente com o trabalho feito na Vila Belmiro.

“É a 14ª partida que eu faço. Só tenho elogios. Tivemos dois ou três tropeços no começo, mas agora a equipe está muito firme, com variação de jogadas. O mérito é de todos esses meninos, que tem jogado com afinco. Estão envolvidos com as situações do clube. É gratificante quando o trabalho flui assim”, celebrou.

Sobre a partida, Cuca admitiu que o Santos encontrou dificuldades diante de um Corinthians praticamente todo reserva. Mas exaltou a leitura da equipe, que abriu o placar aos 20 minutos do primeiro tempo com Gabriel e depois soube administrar o resultado.

“A gente sabia que era um jogo duro. Apesar de não ser o mesmo, o Corinthians tem jogadores do mesmo nível, que às vezes são titulares. Demoramos um pouco para entender o Corinthians. Eles tiveram possibilidades em contra-ataques. Depois tomamos conta do jogo em posse de bola”, avaliou, antes de prosseguir.

“Fizemos o gol, viemos para o intervalo com o 1 a 0 e, no segundo tempo, fomos melhores, mais encorpados, dando poucas possibilidades ao Corinthians e vencemos, que era o que mais importava”, acrescentou.

Por fim, Cuca explicou a opção de ter começado com Arthur Gomes em detrimento do paraguaio Derlis González. O jovem atacante foi decisivo ao fazer jogada individual na linha de fundo e cruzar para Gabriel anotar o único gol do clássico.

“Tenho treinado o Arthur no meio. Ele fez a ponta, trocou com o (Carlos) Sánchez, mas a jogada foi bonita, individual, e resultou no gol. Como o Derlis tinha ido para a seleção paraguaia, treinamos com o Arthur e sentimos confiança nele”, concluiu.

Com a vitória, o Santos segue firma na briga por uma vaga na Copa Libertadores de 2019. O time chegou aos 42 pontos, somente três a menos que o Atlético-MG, primeiro clube dentro do G6. O Galo joga neste domingo, contra o América-MG, na Arena Independência.

Elogiada por Cuca, defesa do Santos é a menos vazada do returno

A solidez defensiva tem sido a marca do Santos de Cuca. Com a vitória por 1 a 0 sobre o Corinthians, no último sábado, no Pacaembu, o Peixe chegou ao seu terceiro jogo consecutivo sem sofrer gols – antes havia vencido Atlético-PR e Vitória pela contagem mínima.

Com três tentos em dez jogos, é também a equipe que menos vezes foi vazada no segundo turno do Campeonato Brasileiro, empatada com o Palmeiras, que lidera a competição. Feito que arranca elogios do treinador.

“É uma equipe segura, uma das melhores defesas do segundo turno. É o coletivo. É a solidificação que tem, a diminuição de espaço. Eles saem para o jogo com qualidade também. Dá a expectativa de acabar bem o jogo”, explicou Cuca, que ainda vê margem para o time evoluir.

“Tem coisas a melhorar: a junção do meio ao ataque, a finalização de média distância quase inexiste. Com as vitórias, é mais fácil corrigir. O que tenho gostado é o comprometimento dos jogadores. Eles sentem o campeonato. O trabalho fica mais fácil, eles interagem bem”, declarou.

Capitão do Santos, o lateral direito Victor Ferraz destacou a organização da equipe alvinegra e a dificuldade que ela impõe aos adversários. “Somos um time que realmente joga junto. A gente ataca e defende juntos. Somos um time extremamente compactado”, avaliou.

“As outras equipes têm poucas chances de gol contra a gente. Isso é fruto de muito trabalho e dedicação nos treinamentos. A gente fica muito feliz, principalmente eu como defensor, de ficar mais um jogo sem tomar gol”, celebrou.

Titular contra o Corinthians, o zagueiro Luiz Felipe corroborou a análise do companheiro de defesa e também fez questão de dividir os méritos com todos.

“A gente tem um monte de zagueiro de qualidade, já estamos há um bom tempo mantendo uma regularidade, sem tomar gols – ficamos dez jogos invictos, oito sem tomar gol. Isso é fruto de muito trabalho. Não só da zaga, o time todo corre, o time todo marca”, ressaltou.

Em dez jogos, Santos iguala no returno a pontuação do primeiro turno

A reação do Santos no Campeonato Brasileiro sob o comando do técnico Cuca é incontestável. Com 42 pontos na tabela, o Peixe já sonha, inclusive, em brigar por uma vaga na Copa Libertadores da América do ano que vem. Depois da vitória de sábado no clássico contra o Corinthians, os números do Peixe trouxeram uma curiosidade.

Nos dez jogos do segundo turno do Brasileiro, o Santos já somou a pontuação conquistada em todo o primeiro turno. Foram 21 pontos na metade inicial da competição, com cinco vitórias, seis empates e oito derrotas, um saldo de gols negativo – foram 21 marcados e 23 sofridos. O time chegou, inclusive, a temer pela zona de rebaixamento.

No segundo turno, a equipe de Cuca ganhou os mesmos 21 pontos, mas com seis vitórias, três empates e somente uma derrota – para o Cruzeiro no Mineirão. O ataque não está entre os mais poderosos, foram 12 gols marcados, mas a defesa é o grande destaque do time – apenas três sofridos.

No returno, a campanha do Santos é a segunda melhor do Campeonato Brasileiro. Perde apenas para o Palmeiras, que soma 23 pontos em dez jogos e, devido a essa grande arrancada, caminha como o principal favorito ao título do torneio nacional.

Gabigol homenageia Robinho e despista sobre futuro no Santos

Autor do gol da vitória do Santos por 1 a 0 sobre o Corinthians, o atacante Gabriel Barbosa homenageou Robinho em sua comemoração no Estádio do Pacaembu. Após balançar as redes do goleiro Walter, o camisa 10 correu em direção às arquibancadas amarelas, pedalou e caiu no chão simulando uma falta.

A encenação foi uma alusão ao lance em que Robinho deu oito pedaladas para cima do ex-volante Rogério e sofreu pênalti, convertido por ele mesmo na vitória por 3 a 2 sobre o Corinthians, pela final do Campeonato Brasileiro de 2002. Robinho atualmente joga no Sivasspor, da Turquia.

O gol de Gabriel saiu aos 20 minutos do primeiro tempo, após grande jogada individual de Arthur Gomes, que foi até a linha de fundo e cruzou. A bola desviou antes de parar nos pés de Gabigol, que empurrou para as redes.

“Foi um gol bonito, no coletivo. Não foi só eu nem o Arthur, foi o time todo. Foi em homenagem ao parceiro Robinho. A gente se fala bastante, saudade dele”, afirmou ao Premiere, no intervalo do jogo.

Após a partida, Gabriel desconversou ao ser questionado sobre o seu futuro. Artilheiro do Campeonato Brasileiro com 14 gols, ele está emprestado pela Inter de Milão até o final do Brasileirão de 2018.

“Faltam nove jogos, tem muita coisa para acontecer ainda. É muito complicado. Todos sabem da força que fiz para voltar, mas não depende só de mim. Tenho contrato com um clube lá de fora ainda. Tem que ter calma, depois a gente resolve isso”, declarou.

Com a vitória, o Santos segue firme na briga por uma vaga na Copa Libertadores de 2019. Agora, o time soma 42 pontos, três a menos que o Atlético-MG, primeiro time dentro do G6.

Uma classificação à próxima edição do torneio continental, contudo, pode facilitar na permanência de Gabriel. “Confesso que isso (artilharia) não é algo que tire meu sono. Quero deixar o Santos na Libertadores se eu sair. E se eu ficar, jogar ela”, concluiu.

Renato vibra com vitória em último clássico contra o Corinthians

O volante Renato disputou na noite deste sábado, no Estádio do Pacaembu, o seu último clássico contra o Corinthians na carreira. Aos 39 anos, ele irá se aposentar ao término da temporada. O Santos venceu por 1 a 0, com gol de Gabriel Barbosa.

Após a partida, o jogador e diretor-executivo de futebol do Peixe usou as redes sociais para agradecer ao clube, aos jogadores e à torcida. Renato começou a partida entre os reservas e só entrou em campo aos 29 minutos do segundo tempo, no lugar de Yuri.

“Obrigado, Santos! Foi meu último clássico contra o maior rival. Não saiu o gol, mas foi com vitória! Parabéns equipe e torcedores”, escreveu Renato, no Twitter.

Com o resultado, o Santos segue no sétimo lugar, agora com 42 pontos, três a menos que o Atlético-MG, primeiro clube dentro do G6. Os comandados de Cuca voltam a campo no próximo dia 22, uma segunda-feira, às 20 horas (de Brasília), para enfrentar o Internacional, no Beira-Rio, pela 30ª rodada do Campeonato Brasileiro.