Santos 3 x 0 Fluminense

Data: 27/10/2018, sábado, 16h30.
Competição: Campeonato Brasileiro – 31ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 8.680 pagantes
Renda: R$ 165.563,50
Árbitro: Heber Roberto Lopes (SC)
Auxiliares: Henrique Neu Ribeiro e Eder Alexandre (ambos de SC).
Cartões amarelos: Robson Bambu e Gabigol (S); Airton, Fernando Neto e Marlon (F).
Gols: Gabriel (38-2, de pênalti), Victor Ferraz (42-2) e Carlos Sánchez (43-2).

SANTOS
Vanderlei; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, Robson Bambu e Dodô; Alison (Bryan Ruíz), Carlos Sánchez e Diego Pituca; Rodrygo (Copete), Gabriel e Bruno Henrique (Derlis González).
Técnico: Cuca

FLUMINENSE
Rodolfo; Igor Julião, Frazan (Alex), Paulo Ricardo e Marlon; Aírton (Mateus Norton), Dodi, Fernando Neto e Daniel (Cabezas); Marcos Júnior e Júnior Dutra.
Técnico: Marcelo Oliveira



Santos desencanta no fim, derrota o Flu e cola no G6 do Brasileiro

O Santos colou no G6 do Campeonato Brasileiro na tarde deste sábado. Jogando na Vila Belmiro, em duelo direto entre duas equipes que almejam uma vaga na Copa Libertadores, o Peixe não fez um bom primeiro tempo, mas acordou na etapa final e venceu o time alternativo do Fluminense por 3 a 0, com gols de Gabriel, Victor Ferraz e Carlos Sánchez, todos anotados nos últimos minutos da partida.

Com o resultado, a equipe dirigida por Cuca chegou aos 46 pontos, empatando com o sexto colocado Atlético-MG, que está à frente por ter uma vitória a mais – o Galo só entra em campo na segunda-feira, contra o Ceará, na Arena Castelão. O Fluminense, por sua vez, ficou no nono lugar, com 40 pontos, mas pode perder posições até o final do dia.

O jogo

O primeiro tempo foi disputado em ritmo lento, com ambos os times criando poucas chances de gol. O Santos, porém, começou pressionando nos minutos iniciais explorando as jogadas de linha de fundo. A zaga carioca, bem postada, suportou os ataques alvinegros.

Aos oito minutos, o Fluminense assustou. Após cobrança de escanteio, Fernando Neto pegou o rebote e arriscou de fora da área, exigindo grande defesa de Vanderlei. O lance, contudo, já havia sido paralisado por impedimento.

Apesar de ter o domínio da posse de bola, o Santos errava muitos passes e tinha dificuldades de entrar na defesa tricolor. O Fluminense, por sua vez, conseguiu chegar com algum perigo por meio da bola aérea, mas também pouco ameaçou a meta de Vanderlei na primeira parte do jogo.

Para tornar o Peixe mais criativo, Cuca voltou com Derlis González no lugar do apagado Bruno Henrique. Com o paraguaio, o time da casa precisou de pouco tempo para mostrar outra postura. Aos três minutos, Lucas Veríssimo cabeceou no canto, fazendo o goleiro do Fluminense trabalhar.

Pouco depois, Rodrygo subiu livre e testou com força, mas Rodolfo conseguiu espalmar a bola para o travessão. Aos 11 minutos, Gabigol perdeu chance incrível de abrir o placar. Em grande jogada individual pela esquerda, Rodrygo foi até a linha de fundo e cruzou rasteiro. A bola desviou e sobrou limpa para o camisa 10, que isolou por cima.

O Santos teimava em fazer o goleiro do Fluminense trabalhar. Aos 17 minutos, após mais um levantamento na área, Rodrygo bateu de primeira, mas Rodolfo evitou o gol da equipe mandante. Aos 28, Victor Ferraz cruzou na medida para Carlos Sánchez, que testou na direção do gol. Frazan, contudo, salvou quase em cima da linha.

De tanto insistir, o Santos finalmente abriu o placar na Vila Bemiro. Aos 36 minutos, Gabriel foi derrubado por Alex na área. Na cobrança do pênalti, o artilheiro do Brasileirão bateu forte, no alto, desta vez sem chances de defesa para Rodolfo. O gol abriu a defesa carioca, que ainda seria vazada mais duas vezes: primeiro por Victor Ferraz, depois por Carlos Sánchez.

Bastidores – Santos TV:

Gabriel marca o gol de número 12.500 da história do Santos

Gabriel Barbosa escreveu mais um importante capítulo da história do Santos na tarde deste sábado. Ao abrir o placar em cobrança de pênalti na vitória por 3 a 0 sobre o Fluminense, na Vila Belmiro, o atacante anotou o gol de número 12.500 da história do clube paulista.

O Menino da Vila já havia marcado o tento de número 12 mil em fevereiro de 2014, quando tinha apenas 17 anos, em goleada por 5 a 1 sobre o Botafogo-SP, na Vila Belmiro, pelo Campeonato Paulista. Quatro anos depois, o camisa 10 volta a ser orgulhar de mais uma marca importante em sua carreira.

“Muito contente por mais uma placa. Se eu ganhar, né (risos). Mas estou muito feliz. Fiz o gol 12.000, agora o 12.500. Deus está me abençoando bastante. Glorifico esse momento não só meu, mas também da equipe”, celebrou à TV Globo, na saída de campo.

Apesar do placar elástico, o Santos encontrou dificuldades diante do Fluminense. Tanto que só abriu o marcador aos 38 minutos, com Gabigol, que converteu o pênalti sofrido por ele mesmo. Depois, aos 42 e 43, respectivamente, Victor Ferraz e Carlos Sánchez deram números finais à partida.

“A gente sabia que seria muito complicado. O Fluminense não veio com o time titular, mas tinha muita qualidade. A gente sabia disso. O primeiro tempo foi complicado, mas sabíamos que quando fizéssemos o primeiro gol as coisas poderiam abrir, como abriu”, completou.

Com o resultado, o Santos chegou aos 46 pontos e colou de vez no G6 do Campeonato Brasileiro. O Atlético-MG, que entra em campo somente na segunda-feira, é o sexto colocado, com a mesma pontuação, mas tem uma vitória a mais.

Cuca revela bronca no intervalo e celebra momento do Santos

Após um primeiro tempo sonolento, o Santos acordou na etapa complementar e venceu o Fluminense por 3 a 0 na tarde deste sábado, na Vila Belmiro. Após a partida, o técnico Cuca revelou ter dado uma bronca para mexer com o brio dos jogadores no intervalo.

“Eu gosto desses meninos como filhos. Faço tudo o que posso por eles, mas tem dias que você tem de pegar um pouquinho mais pesado. É bom dar uma chacoalhada de vez em quando. Eles responderam muito bem. No geral, temos feito dois tempos equilibrados”, declarou o treinador.

Depois de um primeiro tempo em que correu riscos na bola aérea do Fluminense, o Santos voltou para a segunda etapa com Derlis González no lugar de Bruno Henrique. Com a entrada do paraguaio, Rodrygo e Gabigol cresceram de produção.

“A gente mexe o lugar do Rodrygo para ter uma condição melhor. Hoje, no segundo tempo, ele achou o espaço dele. Participou do segundo gol, cabeceou uma bola na trave, jobou bem. Depois saiu para a entrada do Copete, que veio para fortalecer o jogo aéreo”, explicou Cuca.

Depois de tanto insistir, o Santos abriu o placar aos 38 minutos com Gabigol, de pênalti, sofrido por ele mesmo. O Fluminense, então, se abriu e acabou levando outros dois, anotados por Victor Ferraz e Carlos Sánchez, aos 42 e 43, respectivamente.

Com a vitória, a quarta em cinco jogos, o Santos chegou aos 46 pontos e colou de vez no G6 do Campeonato Brasileiro. O Atlético-MG, que entra em campo somente na segunda-feira, é o sexto colocado, com a mesma pontuação, mas tem uma vitória a mais.

“A gente vem em uma recuperação muito boa. Estamos jogando um bom futebol. Não é sempre, mas na maioria temos jogado bem. Isso é devido aos treinamentos. Faltando sete jogos, a gente tem uma ambição, que é chegar na Libertadores. Temos de fazer o melhor. Sábado tem o Palmeiras, um jogo duríssimo, temos que nos preparar bem”, concluiu.

Dodô reitera desejo de ficar no Santos, mas foca em classificação

O lateral esquerdo Dodô reiterou o desejo de permanecer no Santos em 2019. O clube, que também tem interesse na sequência da parceria, disputa uma vaga na Copa Libertadores por meio do Campeonato Brasileiro, após o qual a renovação deverá ser sacramentada.

“Eu gostaria de ficar. Já falei disso no começo do ano. Tem que sentar quando acabar o campeonato e ver a melhor maneira para eu conseguir ficar”, disse, à Rádio Globo, após a vitória por 3 a 0 sobre o Fluminense, no último sábado, na Vila Belmiro.

Embora Dodô negue publicamente o início das conversas, o Peixe já abriu as negociações com o estafe do jogador, emprestado pela Sampdoria-ITA até o dia 31 de dezembro deste ano.

A tendência é que a diretoria encabeçada por José Carlos Peres pague a multa no valor de 1,5 milhão de euros (cerca de R$ 6,2 milhões na cotação atual) para ter o atleta em definitivo.

“Mais importante que a renovação é o Santos chegar na Libertadores. É o foco do momento. Quero pensar no grupo, na vaga que ainda é possível. Quando a situação tiver definida, a gente pensa na renovação. Vamos continuar sonhando”, declarou.

A sete rodadas do fim do Brasileirão, o Santos ocupa o sétimo lugar com 46 pontos, ficando atrás do Atlético-MG por ter uma vitória a menos. O quinto e sexto colocados avançam para a pré-Libertadores.

Satisfeito com a atuação do time no triunfo de sábado, Dodô já projetou o clássico contra o Palmeiras, no próximo sábado, no Allianz Parque. “O importante é que a bola entrou no segundo tempo. Concretizamos nosso domínio nos 90 minutos. Merecemos o placar”, avaliou.

“São três pontos na nossa luta. O time está de parabéns. Temos uma semana para descansar e preparar para esse jogo no sábado, contra o Palmeiras. Vamos continuar sonhando com essa vaga”, concluiu.