Santos 1 x 2 Sport Recife

Data: 09/10/1996, quarta-feira.
Competição: Campeonato Brasileiro – 1ª fase – Turno único – 13ª rodada
Local: Estádio Ícaro de Castro Mello, no Ibirapuera, em São Paulo.
Público: 4.779 pagantes
Renda: R$ 49.090,00
Árbitro: Sidrack Marinho
Cartões amarelos: Carlinhos, Ronaldo Marconato e Marcos Assunção (S); Chico Monte Alegre, Russo, Dedé, Rogério, Ildo e Joãozinho (SR).
Cartão vermelho: Ânderson Lima (S, 13-2).
Gols: Dedé (03-2), Chiquinho (05-2) e Carlinhos (31-2, de pênalti).

SANTOS
Sergio; Ânderson Lima, Sandro, Ronaldo Marconato e Marcos Adriano (Juari); Marcos Assunção, Carlinhos, Vágner e Robert; Camanducaia e Alessandro (Otávio Augusto).
Técnico: José Teixeira

SPORT RECIFE
Alberico; Russo, Ildo, Chico Monte Alegre e Dedé; Rogério, Leomar, Wallace e Chiquinho (Edinan); Luis Muller (Marcelo) e João Paulo (Joãozinho).
Técnico: Helio dos Anjos



Santos perde para o Sport no Ibirapuera

O Santos perdeu ontem por 2 a 1 para o Sport-PE, em São Paulo. Com o resultado, a equipe continua com 15 pontos e praticamente fica sem chances de classificação no Campeonato Brasileiro.

Apesar de jogar em São Paulo, o time pernambucano tomou a iniciativa do jogo. Teve mais presença no ataque e as melhores chances de gol no primeiro tempo.

O Santos se limitava a contra-ataques. O time tinha dificuldade de penetrar na área adversária. Os jogadores acabavam arriscando chutes de longe, que não levavam perigo ao gol de Albérico.

O Santos voltou mais ofensivo para o segundo tempo, com o atacante Juari no lugar do volante Marcos Assunção. Mas não teve tempo para testar a nova formação.

Aos 3min, o lateral-esquerdo Dedê foi lançado em profundidade e chutou forte, de primeira, de longe. A bola entrou no canto baixo esquerdo de Sérgio.

Enquanto a torcida do Santos ainda xingava os dirigentes do clube no estádio, João Paulo fez boa jogada pela esquerda e tocou a bola para o meio da área. Chiquinho ficou livre diante de Sérgio e fez o segundo do Sport, aos 5min.

Para piorar ainda mais, aos 13min o Santos perdeu o lateral Ânderson, expulso.

Com dez jogadores, o Santos cresceu e chegou ao seu primeiro gol aos 31min. Carlinhos cobrou pênalti de Ildo, que cortou chute na área com a mão.

Sport sente preconceito por ser time do Nordeste

O Sport, revelação do Brasileiro, foi subestimado pelos adversários por ser uma equipe nordestina. A opinião é de Wanderson Lacerda, presidente do clube.

Para o técnico Hélio dos Anjos, só quem não acompanhou a trajetória do clube em 96 se surpreendeu com a campanha.

Atual campeão estadual, o Sport perdeu apenas 4 de 40 jogos em 96. As três derrotas, para Paraná, Goiás e Internacional, foram no Brasileiro. O time divide a terceira colocação com o Guarani, com 26 pontos.

Segundo Hélio dos Anjos, o entrosamento é o ponto forte. Após o Campeonato Pernambucano, só três jogadores, os atacantes Luís Muller e João Paulo e o meia Leomar foram contratados. O meia Chiquinho, 19, principal articulador das jogadas ofensivas, é um dos destaques.

O treinador destaca ainda a importância tática do meia Wallace e de Luís Muller, 35, artilheiro da equipe, com seis gols.

“Formamos um time que une experiência e juventude”, disse o zagueiro Chico Monte Alegre, 28, dez anos mais velho que o lateral Russo, 18, o mais novo do time.

Os salários

A estabilidade financeira é apontada como outro fator importante para a tranquilidade do elenco.

Segundo o presidente Wanderson Lacerda, o clube “não deve nada a ninguém” e paga para cada jogador um prêmio de R$ 1.000 por vitória no campeonato.

O prêmio pela classificação para a próxima fase do torneio também já foi definido. Será de R$ 250 mil, para ser rateado entre a equipe.



Santos quer ‘encurralar’ Sport hoje com marcação sob pressão ( Em 09/10/1996 )

Uma forte marcação sob pressão no campo do adversário será a arma do Santos para tentar encurralar o Sport, hoje à noite, no estádio do Ibirapuera, em São Paulo.

Para o técnico José Teixeira, o time pernambucano é um franco-atirador. “O Sport não tem nada a perder. Uma derrota aqui não abalará o time. Um empate ou uma vitória seriam excelentes para ele.” O treinador santista acredita que o Sport vá atuar retrancado, aproveitando as pequenas dimensões do campo do Ibirapuera.

No coletivo de ontem, ele armou o time reserva com três meias defensivos e determinou uma marcação rígida. Os titulares não conseguiram marcar.
Paraguaio

O paraguaio Edgar “Chito” Baez, 24, chegou ontem à Vila Belmiro para assinar contrato com a responsabilidade de solucionar o problema da falta de gols.

“Estou sendo contratado para isso mesmo. Tenho condições de assumir essa responsabilidade”, disse o jogador, cuja estréia dependerá do registro na CBF, o que deverá ocorrer em uma semana.

O passe de Baez foi comprado por R$ 600 mil do Guarani, de Assunção, no Paraguai. O atacante, titular da seleção de seu país, é o atual artilheiro do Campeonato Paraguaio, com 20 gols.

O presidente do Guarani, Mario Dominguez, que acompanhou o jogador, disse que a venda de Baez para o Santos gerou um princípio de crise no clube. Segundo Dominguez, a torcida era contrária à negociação. E o treinador Caetano Reyes ameaçou se demitir devido à saída do jogador. “Mas ele queria vir e nós não pudemos fazer nada.”

Baez disse que, para jogar no Brasil, obteve até mesmo dispensa da seleção paraguaia que disputa as eliminatórias para a Copa-98.