Atlético Nacional 3 x 1 Santos – 6 x 7 pênaltis

Data: 23/10/1996, quarta-feira, 23h30.
Competição: Supercopa dos Campeões da Libertadores – Quartas de final – Jogo de volta
Local: Estádio Atanásio Girardot, em Medelín, Colômbia.
Público: 33.730 pagantes
Cartão vermelho: Trelez (AN).
Gols: Gavíria (38-1); Trelez (09-2), Camanducaia (19-2) e Serna (21-2, de pênalti).
Pênaltis: Santos: Jamelli, Sandro, Marcos Assunção, Ânderson Lima, Edinho, Piá e Camanducaia converteram; Carlinhos perdeu.
Atlético Nacional: Serna, Aléxis Garcia, Perea, Mosquera, Morantes e Angel converteram; Ospina e Tuberquia perderam.

ATLÉTICO NACIONAL (COL)
Tuberquia; Ospina, Perea, Forunda e Mosquera; Serna, Gavíria, Pedro Alvares e Morantes (Aléxis Garcia); Angel e Trellez.
Técnico: Juan Lopes

SANTOS
Edinho; Ânderson Lima, Ronaldo Marconato (Camanducaia), Sandro, Jean e Marcos Adriano; Marcos Assunção, Carlinhos e Vágner (Piá); Jamelli e Alessandro.
Técnico: José Teixeira



Treinador santista depende de vitória (Em 23/10/1996)

A esperança de classificação para a semifinal da Supercopa é a única maneira de o Santos amenizar a crise no clube, motivada pela fraca campanha no Brasileiro-96. O time joga hoje às 23h30 (horário de Brasília) contra o Nacional, em Medellin (Colômbia). No primeiro jogo, o Santos venceu por 2 a 0 e estará classificado se perder por até 1 a 0.

A eventual eliminação complica a situação do técnico José Teixeira, que poderá deixar o clube. Se passar para a semifinal, o time enfrentará Vélez Sarsfield (Argentina) ou Olimpia (Paraguai).

O Santos não terá a zaga titular. Narciso nem viajou, e Sandro faz um teste para saber se poderá entrar em campo. O goleiro Sérgio, com torção no tornozelo, não joga.

O meio-campo deverá ter a volta de Piá, que não atuou na derrota por 2 a 1 para o Flamengo, pelo Campeonato Brasileiro.

A estratégia de Teixeira é reforçar a marcação no meio-campo para atuar nos contra-ataques, aproveitando a necessidade de vitória do time colombiano.

O atacante Edgar Baez viaja hoje para o Paraguai, a fim de regularizar sua situação no Brasil. No retorno, Baez entrará no país não mais como turista, mas com o visto de trabalho.

A previsão da diretoria é a de que o jogador jogue já no próximo domingo, contra o Corinthians.