Santos 0 x 1 Chapecoense

Data: 12/11/2018, segunda-feira, 20h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 33ª rodada
Local: Estádio do Pacaembu, em São Paulo, SP.
Público: 12.659 pessoas (10.792 pagantes e 1.867 não pagantes)
Renda: R$ 334.014,50
Árbitro: Rafael Traci (PR)
Auxiliares: Ivan Carlos Bohn e Rafael Trombeta (ambos do PR).
Cartões amarelos: Alison e Yuri (S).
Gol: Leandro Pereira (28-1).

SANTOS
Vanderlei; Daniel Guedes (Arthur Gomes), Alison, Gustavo Henrique e Dodô; Yuri, Carlos Sánchez e Bryan Ruiz (Rodrygo); Derlis González, Copete (Bruno Henrique) e Eduardo Sasha.
Técnico: Cuca

CHAPECOENSE
Jandrei; Eduardo, Douglas, Fabrício Bruno e Bruno Pacheco; Amaral, Márcio Araújo, Canteros (Elicarlos) e Doffo (Vinicius); Wellington Paulista (Luiz Otávio) e Leandro Pereira.
Técnico: Claudinei Oliveira



Santos perde para a Chapecoense e desperdiça chance de entrar no G6

O Santos perdeu por 1 a 0 para a Chapecoense na noite desta segunda-feira, no Pacaembu, pela 33ª rodada do Campeonato Brasileiro. Com o resultado, o Peixe desperdiçou nova chance de entrar no G6.

A Chape se aproveitou dos seis desfalques do Alvinegro (Luiz Felipe, Lucas Veríssimo, Felippe Cardoso, Victor Ferraz, Diego Souza e Gabigol). Os visitantes foram mais organizados e anularam a equipe de Cuca.

Sem vencer, o Santos caiu para a oitava colocação, com 46 pontos. A Chapecoense ficou mais perto de sair do Z4 e agora é a 17ª, com 37, atrás do Sport por conta de uma vitória a menos.

O jogo

O Santos, oitavo colocado e precisando de vitória simples para entrar no G6 pela primeira vez. A Chapecoense, vice-lanterna, desesperada para ficar pelo menos perto de sair do Z4. Ataque contra defesa? Sim, mas dos visitantes.

O Peixe fez um começo regular, mas foi perdendo campo para a Chape. O desentrosamento foi preponderante e os catarinenses, mais organizados, dominaram a partida até o gol de Leandro Pereira, aos 28 minutos. Canteros cobrou escanteio, Gustavo Henrique tirou mal, Vanderlei não saiu do gol e o centroavante, sozinho, só empurrou.

Aos 41 minutos, a Chapecoense quase ampliou após cruzamento de Wellington Paulista. Daniel Guedes, na linha, afastou. E na sequência, o Santos lembrou como é atacar ao chutar de longe com Derlis González, sem muito perigo.

A defesa com Gustavo Henrique como único zagueiro de origem não funcionou. Alison, improvisado, não rendeu, e Yuri não protegeu e nem ajudou ao ataque. Daniel Guedes não foi o desafogo como costuma ser Victor Ferraz. Bryan Ruiz, Carlos Sánchez, Derlis González, Copete e Eduardo Sasha foram inofensivos.

Cuca foi para o tudo ou nada e mexeu taticamente no Santos. Tirou Daniel Guedes e Bryan Ruiz para as entradas de Arthur Gomes e Rodrygo. Com isso, o time passou a ter um 3-4-3, com Alison, Gustavo Henrique e Dodô na defesa, Derlis e Copete como alas.

No campo, porém, a Chapecoense seguiu segura na defesa, mais organizada e perigosa nos contra-ataques. O Peixe, ansioso, errou muitos passes e passou quase 30 minutos sem uma chance clara de gol sequer. Na primeira, aos 28, Alison cruzou e Rodrygo, no segundo pau, cabeceou por cima. A pressão, porém, parou por aí.

O Santos nada criou nos 15 minutos finais e decepcionou sua torcida. O único “Uh” veio de cruzamento perigoso de Carlos Sánchez nos acréscimos. No fim, vaias para o Peixe em mais uma oportunidade desperdiçada de entrar no G6. A Chapecoense aproveitou e agora está mais perto de sair do Z4.

Cuca diz que treinos foram ruins antes de derrota do Santos

Cuca admitiu que os treinamentos ao longo da semana livre foram ruins antes da derrota do Santos por 1 a 0 para a Chapecoense na noite desta segunda-feira, no Pacaembu, pela 33ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Em entrevista coletiva, o técnico lamentou a falta de reação do elenco aos seis desfalques – Victor Ferraz, Diego Pituca e Gabigol (suspensos) e Lucas Veríssimo, Luiz Felipe e Felippe Cardoso (lesionados).

“Hoje não tínhamos referência para quebrar marcação com bola longa, não criamos a não ser no 0 a 0 e faltava contundência, velocidade, jogada individual. Estávamos bem marcados pela Chapecoense. No segundo tempo, passamos a jogar num 3-5-2 e subidas de Copete e Derlis no 4-3-3, com quatro no meio-campo e caindo das pontas para o meio. Acurralamos adversário, criamos pela linha de fundo, mas eles foram eficazes. Damos pouquíssimos contragolpes, mas perdendo jogo. Se a bola entra, fator emocional vira outro, cresceríamos… Time ficou nervoso, conivência grande com demora, não adianta dar cinco minutos porque são dois ou três. Isso tudo deixou jogo mais tenso. Bola rolando não dá 50%, mas mérito da Chapecoense. Era cartada decisiva, mereceram dentro do que fizeram. Não pelo desenvolvido, mas pela postura deles. Gol de bola parada e defenderam bem. Não dá para lamentar, quinta tem jogo e temos que nos remontar para fazermos um jogo melhor e por que não vencer?”, disse Cuca.

“Treinos não foram bons, foram mais ou menos como o jogo e nós sentimos isso. Não conseguimos treinar bem, mesmo mexendo. Não encaixou. Não podemos questionar empenho, dia não foi para nós”, completou.

Dodô diz que faltou “conjunto” em derrota do Santos para a Chape

Dodô acredita que o desentrosamento foi preponderante para a derrota do Santos de 1 a 0 para a Chapecoense na noite desta segunda-feira, no Pacaembu, pela 33ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O Peixe não teve seis jogadores – Victor Ferraz, Diego Pituca e Gabigol (suspensos) e Lucas Veríssimo, Luiz Felipe e Felippe Cardoso (lesionados).

“Faltou um pouco de tudo. Tivemos um início bom, mas depois sentimos a falta de entrosamento. Erramos passes. Fazíamos os movimentos no tempo errado. A gente sentiu bastante a falta de conjunto. Tivemos muitas mexidas. Tentamos de tudo”, disse Dodô, ao Premiere.

“Cuca mudou no intervalo. Tentamos suprir a ausência do zagueiro, que hoje não temos no elenco. Temos de erguer a cabeça que ainda temos cinco jogos. Saímos muito chateados. Nossa expectativa era outra. Futebol é assim. Um dia a gente ganha e outro a gente perde”, completou o ala.

Com a derrota, o Santos perdeu a oportunidade de entrar no G6 do Campeonato Brasileiro e agora é o oitavo. O Peixe voltará a campo para enfrentar o Flamengo, quinta-feira, às 17h (de Brasília), no Maracanã, pela 35ª rodada do Campeonato Brasileiro. Bryan Ruiz, Carlos Sánchez e Derlis González, convocados para a Costa Rica, Uruguai e Paraguai, respectivamente, são desfalques certos.