Flamengo 1 x 0 Santos

Data: 15/11/2018, quinta-feira, 17h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 34ª rodada
Local: Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro, RJ.
Público: 46.067
Renda: R$ 1.136.024
Árbitro: Paulo Roberto Alves Junior (PR)
Auxiliares: Luciano Roggenbaun e Luiz H Souza Santos Renesto
Cartões amarelos: Rodinei (F); Yuri, Alison, Gabriel, Jean Mota e Gustavo Henrique (S).
Gol: Henrique Dourado (27-2).

FLAMENGO
César, Rodinei, Réver, Léo Duarte e Pará; Cuellar, Rômulo (Jean Lucas), Diego e Everton Ribeiro; Vitinho (Berrío) e Uribe (Henrique Dourado).
Técnico: Dorival Júnior

SANTOS
Vanderlei; Victor Ferraz, Yuri, Gustavo Henrique e Dodô (Renato); Alison (Eduardo Sasha), Pituca e Arthur Gomes (Jean Mota); Rodrygo, Bruno Henrique e Gabriel.
Técnico: Cuca



Gabigol vacila, e Santos perde para o Flamengo no Maracanã

O Flamengo venceu o Santos por 1 a 0 na tarde desta quinta-feira, no Maracanã, pela 34ª rodada do Campeonato Brasileiro. O gol foi marcado por Henrique Dourado, ex-Peixe, no segundo tempo.

O maior “vilão” foi Gabigol. Pouco antes do Rubro-Negro abrir o placar, Gabigol vacilou ao desperdiçar chance incrível na pequena área para defesa de César. E no fim, aos 43, o camisa 10 teve pênalti defendido pelo goleiro flamenguista.

Com a vitória, o Flamengo ainda sonha com o título. Os cariocas pulam para a segunda colocação, com 63 pontos, sete atrás do Palmeiras, a quatro rodadas do fim. O Peixe estaciona nos 46 depois de três derrotas seguidas e agora é o nono, mais longe da Libertadores de 2019.

O jogo

O cenário do primeiro minuto foi o mesmo do último: Flamengo com a posse de bola e o controle do jogo. O Santos todo no campo de defesa, à espera do contra-ataque.

O Rubro-Negro, porém, não conseguiu infiltrar na defesa do Peixe e só levou perigo em finalizações de fora da área, principalmente com Vitinho e Diego. O Alvinegro não encaixou um bom contra-ataque sequer.

Antes da bola rolar, o técnico Cuca falou sobre a expectativa de um “jogão”. Na prática, a etapa inicial deu sono.

O segundo tempo foi diferente. Sem Arthur Gomes e com Jean Mota no meio-campo, o Santos passou a ser mais organizado, com maior participação no campo de ataque.

O Peixe foi ganhando campo, “gostando do jogo” e teve a melhor chance da partida aos 20. Diego Pituca encontrou Bruno Henrique livre pela esquerda, o atacante cruzou bem e Gabigol, sozinho na pequena área, chutou em cima do goleiro César.

E, na sequência, duas máximas do futebol entraram em ação: “o quem não faz toma” e a “Lei do Ex”. O Flamengo aproveitou a primeira grande oportunidade, quando Diego quebrou o sistema defensivo com lançamento para Berrío aos 27. Jean Mota e Victor Ferraz cochilaram antes de Henrique Dourado, ex-Santos, abrir o placar.

E aos 43, Gabigol teve a chance de se redimir. O atacante sofreu e bateu pênalti, mas parou no goleiro César. O Flamengo venceu o Santos em dia ruim do artilheiro do Campeonato Brasileiro.

Gabigol minimiza erros em derrota do Santos: “Joguei bem”

Gabigol minimizou seus erros decisivos para a derrota do Santos por 1 a 0 para o Flamengo neste sábado, no Maracanã, pela 34ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Mesmo com uma chance clara na pequena área e um pênalti desperdiçados, o camisa 10 entende que fez um bom jogo.

“Ao meu ver joguei bem, tentei ajudar meus companheiros. Infelizmente a bola não entrou, tem dias que não entra. Bati como sempre treino (o pênalti), há mérito dos dois lados”, disse Gabigol, ao Premiere.

O artilheiro do Campeonato Brasileiro não vê a Libertadores de 2019 mais distante, mesmo com o Santos perdendo três jogos consecutivos e agora na nona colocação.

“Creio eu que não (ficou mais difícil a Libertadores), temos quatro jogos. Podemos e temos totais condições de vencer dentro e fora de casa. Temos jogo muito perto no domingo. É descansar e trabalhar bem para conseguir a vitória”, completou.

Cuca valoriza atuação do Santos em derrota e mira “quatro decisões”

O técnico Cuca gostou da atuação do Santos, principalmente no segundo tempo da derrota por 1 a 0 para o Flamengo, neste sábado, no Maracanã, pela 34ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Cuca diz que o tropeço serve de aprendizado e tira a responsabilidade de Gabigol – o artilheiro perdeu chance clara e um pênalti no segundo tempo.

“Tem 12 meninos (relacionados) e jogaram seis, sete. É um aprendizado em jogo decisivo. Dos males, pelo menos tirar lição do que aconteceu. Que sirva de aprendizado e experiência. Jogaram muito bem mesmo na derrota, controlaram no segundo tempo, mas infelizmente perdemos as chances. No fundo, se torcedor ver atuação com meia dúzia da base, estarão satisfeitos”, disse Cuca, em entrevista coletiva.

“Não é ele (Gabigol) o culpado, somos nós. Nessa hora temos que entender que o jogador não perde pênalti porque quer, nem o gol antes, tão fácil quanto o pênalti pela distância. Hoje não era o dia dele, tem que levantar a cabeça e trabalhar ainda mais para dar a volta por cima. Não é todo dia que vai ser fácil, fazer gol… Hora ruim vem, agora é a hora do grande homem e goleador. Se preparar ainda melhor e terminar o ano goleador, fazendo gols que precisamos para ir à Libertadores. Que sirva de aprendizado”, completou.

Cuca agora mira os próximos quatro jogos do Brasileirão em busca da vaga na Libertadores da América em 2019.

“Quero muito classificar. Jogamos bem contra o Palmeiras e perdemos, assim como hoje, e no detalhe também. Poderíamos ter empatado ou vencido, mas temos quatro jogos e não penso em qualquer coisa a não ser ganhar domingo. Depois fazer quarta e sábado com tudo que pudermos em casa. Depois levar as coisas para Recife (contra o Sport), não sei se vai ter se salvado ou não. São quatro decisões e vamos tentar de tudo pelo objetivo. Para quem estava em 17º, estar em oitavo não é de todo ruim. Ruim é chegar no 17º”, concluiu.

Caso perca para o América-MG, Santos pode ter pior sequência de derrotas no ano

O Santos vive momento complicado no Campeonato Brasileiro. Mesmo ocupando a nona colocação, com 46 pontos, e a apenas quatro pontos do Atlético-MG, primeira equipe na zona de classificação para a Libertadores, o clube foi derrotado nas últimas três partidas, algo inédito na temporada. Caso perca novamente no final de semana, para o América-MG, o Peixe irá conhecer o quarto revés consecutivo. Pior marca no ano.

Depois de perder por 3 a 2 para o Palmeiras, no Allianz Parque, o clube da Baixada Santista foi derrotado para a Chapecoense pelo placar de 1 a 0, no Pacaembu, e, na última rodada, por 1 a 0 para o Flamengo, no Maracanã.

Mesmo quando viveu um jejum de cinco partidas sem vitória, com o técnico Jair Ventura, o Peixe não foi derrotado tantas vezes de forma consecutiva. Naquela ocasião, o Santos perdeu para o Luverdense e São Paulo, empatou com o Real Garcilaso, e voltou a ser derrotado pelo Cruzeiro e Atlético-PR.

Para não se distanciar do G6 e atingir o pior retrospecto negativo no ano, os comandos do técnico Cuca terão a missão de vencer o América-MG, fora de casa.