Sport Recife 3 x 1 Santos

Data: 10/09/2014, quarta-feira, 21h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 20ª rodada
Local: Arena Pernambuco, em São Lourenço da Mata, PE.
Público: 14.856 pagantes
Renda: R$ 377.075,00
Árbitro: Grazianni Maciel Rocha (RJ)
Auxiliares: Dibert Pedrosa Moises e Wendel de Paiva Gouveia (ambos do RJ).
Cartões amarelos: Ibson, Renê, Wendel, Vítor e Danilo (SR); Alan Santos (S).
Gols: Thiago RIbeiro (24-1), Patric (40-1); Patric (07-2) e Patric (46-2).

SPORT RECIFE
Magrão; Patric, Ferron, Durval e Renê; Rithely, Wendel (Ronaldo), Ibson (Augusto) e Felipe Azevedo; Érico Júnior (Vítor) e Neto Baiano.
Técnico: Eduardo Baptista

SANTOS
Aranha; Cicinho, David Braz (Serginho), Edu Dracena e Zé Carlos; Alan Santos (Gabriel), Arouca, Souza e Lucas Lima; Thiago Ribeiro (Rildo) e Leandro Damião.
Técnico: Enderson Moreira



Santos leva virada do Sport e perde a sexta seguida fora de casa

Com “hat-trick” de Patric, Sport vira, bate Santos e se aproxima do G-4

Agora comandado por Enderson Moreira, o Santos ainda repete os mesmos erros e não consegue vencer fora de casa. Nesta quarta-feira, o time saiu na frente com gol de Thiago Ribeiro, mas Patric marcou três vezes e decretou a virada do Sport , na Arena Pernambuco. Com a vitória, o time pernambucano encostou no pelotão de cima do Campeonato Brasileiro , enquanto os paulistas estacionaram no meio da tabela.

A partida, válida pela 20ª rodada , a primeira do returno, marcou a sexta derrota seguida do alvinegro praiano fora de casa. O time santista também não emplaca duas vitórias seguidas desde que bateu Criciúma e Palmeiras (9ª e 10ª rodada).

O jogo

O primeiro lance de perigo veio apenas aos 10 minutos, quando Arouca arriscou de fora da área e a bola assustou o goleiro Magrão após desviar na zaga rubro-negra. O Sport respondeu cinco minutos depois, em cabeçada forte depois de cobrança de escanteio, mas Aranha defendeu sem maiores problemas.

Thiago Ribeiro, que vive uma fase complicada e de muitas críticas, marcou um belo gol e abriu o placar aos 24 minutos. Após receber passe de Arouca, o atacante passou no meio de dois zagueiros e tocou na saída do goleiro Magrão. O lance gerou muita polêmica, pois, no início da jogada, Alan Santos fez falta em Ibson, mas o árbitro não deu e o Santos aproveitou mandando a bola para a rede. Os jogadores do Sport cercaram a arbitragem, mas sem sucesso.

O time paulista quase ampliou aos 36, quando Leandro Damião cabeceou para o chão, bem aos seu estilo, mas viu Magrão fazer bela defesa. Precisando correr atrás, o Sport chegou ao empate aos 40 minutos, com Patric, que não perdoou a bobeada da zaga santista e deixou a sua marca, de cabeça, após cruzamento da esquerda.

O Santos sentiu o gol adversário, viu Thiago Ribeiro pedir para sair por causa de dor nas costas e por pouco não levou a virada aos 44. Rithely arriscou de muito longe e a bola triscou a trave de Aranha. Seria um golaço. O Sport ainda marcou no último lance do primeiro tempo, mas Ibson estava completamente impedido e o auxiliar anulou corretamente.

A etapa final do jogo começou agitada, com o Santos ignorando o fator casa e partindo para cima do Sport na Arena Pernambuco. Lucas Lima obrigou Magrão a trabalhar logo aos 4 minutos, após chute forte de fora da área. Em seguida, Rildo recebeu em boa condição dentro da área, mas furou na hora de chutar.

Porém, quem chegou ao gol foi o time pernambucano. E de novo com Patric. Durval, ex-jogador do Santos, fez lindo e longo lançamento à área e o lateral pegou de primeira, mandando no canto de Aranha. Assim que viu seu time levar a virada, o técnico Enderson Moreira iniciou a conversa com Gabriel, que foi preterido pelo treinador para começar a partida, mas entrou na vaga de Alan Santos.

Mesmo assim, o Santos se mostrava perdido em campo e quase levou o terceiro em lance muito parecido com o segundo gol. Desta vez, Patric bateu e Aranha espalmou. Precisando buscar o prejuízo, o Santos foi todo ao ataque a passou a encurralar o Sport no seu campo. O alvinegro teve uma sequência de quatro escanteios seguidos e jogava com todos os jogadores de linha no campo de ataque.

O Sport, quando retomava a bola, usava os lançamentos longos para surpreender no contra-ataque e, assim, era perigoso. Após um início de segundo tempo alucinante, a partida voltou a ficar mais concentrada no meio de campo, com um ritmo um pouco mais lento após os 20 minutos. Nesse momento, a garoa se transformou em um verdadeiro temporal.

E em um lance de bola parada, após confusão na área, David Braz ficou cara a cara com o goleiro Magrão e bateu cruzado. Gabriel botou para o fundo do gol, mas estava impedido e também teve o gol anulado.

Aos 36, Gabriel marcou mais uma vez e de novo o auxiliar anulou impedimento. Porém, desta vez, errou. Lucas Lima recebeu em condição legal e tocou para o atacante marcar. Mas de nada adiantou a reclamação. E, no último lance do jogo, Patric marcou mais um, seu terceiro na partida, e deu números finais à partida.

Enderson repete discurso de Oswaldo: ‘Santos não merecia perder’

Com a derrota desta quarta-feira para o Sport por 3 a 1, na Arena Pernambuco, o Santos chegou ao sexto confronto seguido fora de casa pelo Campeonato Brasileiro com resultado negativo. Pouco antes de ser demitido, Oswaldo de Oliveira admitia que os resultados estavam pesando, mas sempre salientava que o time vinha jogando bem e muitas vezes perdendo de forma injusta. O discurso não convenceu o presidente Odílio Rodrigues e o Comitê Gestor, que acabaram optando pela saída do técnico.

Agora, Enderson Moreira, logo em sua primeira derrota à frente da equipe, também como visitante, repete a justificativa para explicar o placar adverso na partida válida pela 20ª rodada do Brasileirão.

“Não tenho dúvida nenhuma disso, criamos situações para isso. No segundo tempo, tivemos no chute do Lucas que o Magrão fez uma grande defesa, tivemos boas situações, chances de bola parada. No primeiro tempo, ganhávamos de 1 a 0 e tivemos uma chance boa em um cabeceio do Leandro (Damião). Tivemos boas possibilidades, mas não fomos tão eficientes quanto o Sport, que conseguiu traduzir em gols e conseguiu a vitória”, analisou o atual treinador santista, ressaltando também a maior posse de bola santista no jogo.

“A equipe Sport foi eficiente. Em grande parte do jogo, conseguimos controlar, mesmo fora de casa, mas não conseguimos transformar esse controle em gols”, concluiu.

Ciente de que jogar bem, mas não vencer pode ser perigoso para o seu futuro, Enderson terá a chance de se recuperar junto com o time do Santos no próximo sábado, contra o Coritiba, as 21h (horário de Brasília), na Vila Belmiro.

O time paranaense fez 3 a 0 na Chapecoense nesta quarta-feira e luta contra o rebaixamento. É o 17º, primeiro dentro da zona da degola, com 20 pontos. O clube praiano é o 10º, com 26, ainda sem contar com os resultados dos jogos desta quinta-feira.