Diretoria surpreende e acerta contratação de Cuca, que estava sem clube desde que deixou o Palmeiras, em outubro do ano passado

Cuca é o novo técnico do Santos. O anúncio foi feito pela diretoria nesta segunda-feira, exatamente uma semana após a demissão de Jair Ventura. Cuca estava sem clube desde outubro do ano passado, quando foi demitido do Palmeiras. Será a segunda passagem de Cuca pelo Santos como treinador. Ele jogou no clube em 1993 (era meio-campista).

– Feliz com o acerto com o Santos após um ano sem trabalhar para poder resolver questões pessoais. Estou renovado e motivado por assumir este grande desafio. Muito feliz e muito confiante. Amanhã estarei aí – disse Cuca, por mensagem.

Coube ao executivo de futebol, Ricardo Gomes, fazer o anúncio da contratação de Cuca. O contrato vai até o fim do ano que vem.

– Estamos aqui (para anunciar) um acordo com o Cuca. Isso foi uma boa escolha para o clube, para o Cuca. A expectativa é tê-lo já no treino de amanhã (terça) e no jogo da quarta-feira (contra o Cruzeiro). O contrato é válido até dezembro de 2019 – disse Ricardo Gomes, em entrevista coletiva.

– Começamos a negociação hoje pela manhã. Depois de duas ou três horas de negociação, chegamos a um consenso (…) É um treinador competente, com experiência, com títulos. É ofensivo. Reúne todas essas qualidades para o nosso trabalho – completou o dirigente.

O anúncio da contratação de Cuca foi feito pelo Santos no Twitter às 14h02, 21 minutos após o GloboEsporte.com publicar esta matéria bancando o acerto. No post, o Peixe reproduz uma frase dita por Cuca, que usou a camisa 10 do time em sua passagem como jogador:

– Quando você entrava no vestiário da Vila Belmiro, tinha um armário lacrado, do Pelé. Vestir a camisa 10 é um baque. Toda sua infância passa dentro de você. Eu falo que muitas coisas têm seu preço e algumas o seu valor. Essa tem um valor inestimável.

O time está num momento decisivo da temporada: pega o Cruzeiro pelas quartas de final da Copa do Brasil na quarta-feira, luta para se afastar da zona do rebaixamento no Campeonato Brasileiro e tem, em agosto, os dois duelos contra o Independiente, da Argentina, pelas oitavas de final da Libertadores.

A contratação de Cuca surpreendeu a todos. Desde a semana passada, o executivo de futebol tinha um acordo verbal com Zé Ricardo, mas a pressão interna contra o ex-técnico de Flamengo e Vasco pesou contra sua contratação. O vice Orlando Rollo e o presidente do Conselho Deliberativo, Marcelo Teixeira, preferiam Vanderlei Luxemburgo. Dorival Júnior era outro bem cotado. O colombiano Juan Carlos Osorio foi cogitado, mas descartado por ser muito caro e por estar estudando outras propostas no mercado internacional.

Passagem ruim pelo Santos em 2008

Ex-jogador do Santos no início dos anos 90, Cuca treinou o time em 2008, em substituição a Emerson Leão. E não foi bem. Depois de ganhar destaque como comandante do Botafogo, ele só treinou o Peixe em 14 partidas, com três vitórias, quatro empates e sete derrotas. Com Cuca, o time esteve o tempo todo na zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro – acabou se safando da degola na penúltima rodada.

A despedida do treinador ocorreu após derrota de 3 a 2 para o Atlético-MG na Vila Belmiro. Logo depois do jogo, Cuca fez um pronunciamento e anunciou seu desligamento:

– Conversei com a diretoria e entendemos que é o momento de sair do Santos. Não é da maneira como a gente queria. Queria tocar o campeonato até o final, começar a trabalhar um grupo zerado, como gostamos de fazer. Infelizmente não foi possível. Falta pouco mais de um turno, tempo hábil para se fazer uma remodelagem. Deixo as portas abertas para um outro profissional pode tocar esse trabalho.

Cuca foi substituído por Márcio Fernandes, que conseguiu evitar o rebaixamento – o Santos terminou aquele campeonato em 15º.



Ricardo Gomes explica contratação de Cuca no Santos: “Competente, com experiência e títulos”

O Santos surpreendeu ao anunciar a contratação de Cuca como novo técnico nesta segunda-feira. Em entrevista no CT Rei Pelé, o executivo de futebol do Peixe, Ricardo Gomes, comentou a escolha pelo comandante de 55 anos. O vínculo do treinador será válido até dezembro de 2019.

– É um treinador competente, com experiência, com títulos. Tem o anseio da torcida do Santos, de ser ofensivo. Ele reúne todas essas qualidades para nosso trabalho. (…) Ele teve vários convites e não aceitou – disse Ricardo Gomes.

A contratação de Cuca surpreendeu a todos. Desde a semana passada, o executivo de futebol tinha um acordo verbal com Zé Ricardo, mas a pressão interna contra o ex-técnico de Flamengo e Vasco pesou contra sua contratação. O vice Orlando Rollo e o presidente do Conselho Deliberativo, Marcelo Teixeira, preferiam Vanderlei Luxemburgo. Dorival Júnior era outro bem cotado. O colombiano Juan Carlos Osorio foi cogitado, mas descartado por ser muito caro e por estar estudando outras propostas no mercado internacional.

Ricardo Gomes explicou a demora do Santos para acertar a chegada de Cuca e admitiu que o clube tinha outros dois nomes.

– O nome chegou há poucos dias. Saí daqui, na segunda, e falei que tinha dois nomes. Trabalhei nesses dois nomes. Depois, apareceu essa terceira possibilidade. Começamos a trabalhar. Não foi difícil. Hoje pela manhã, começamos a negociar. Em duas ou três horas de negociação, chegamos a um consenso. – comentou Ricardo Gomes.

O executivo do Santos afirmou confiar na capacidade de Cuca dar respostas rápidas nas competições.

– A busca por resultados é imediata. Essa parte da tabela não é o nosso lugar. Estamos longe da realidade. Não é a primeira vez que o Cuca passa por isso. Ele já provou competência. Conhece bem a situação, o time. Isso é importante. Vamos sair dessa.

O dirigente afirmou que vê em Cuca um estilo que casa com o elenco do Santos.

– O Cuca tem uma maneira de trabalhar que vai ajudar bastante. Acho que combina bastante com o modelo do Cuca de trabalhar: jogadores rápidos, o meio vai ficar ainda melhor para ele desenvolver o que pensa. Todo mundo vai sair mais forte.

Ricardo Gomes disse também que conta com o cumprimento de todo o período de contrato com Cuca – ou seja, até o final do ano que vem.

– Vou fazer de tudo para que o Cuca cumpra o contrato. Isso vai ser bom para mim, para o Santos e para o Cuca. Todos ganham nessa situação. Seria melhor (ele ter começado antes). Teria mais jogos e mais tempo para trabalhar. Temos uma pressa de resultados, de entrosamento, dos conceitos que ele vai implantar. Quero conversar com vocês em dezembro com tudo certo.