O técnico Vanderlei Luxemburgo anunciou na noite de ontem que deixou o Santos. Mas, até as 23h30, dirigentes do clube davam informações divergentes sobre a saída.

O presidente Samir Abdul-Hak disse que não havia sido oficialmente informado da decisão do técnico. “Soube extra-oficialmente, pela imprensa, mas espero uma confirmação.”

Já o gerente de futebol Marco Aurélio Cunha confirmou a saída do treinador. Segundo ele, que disse que vai seguir no Santos, a comissão técnica deve sair também.

“Agora é a hora ideal de romper o contrato porque é final de temporada”, disse Luxemburgo em entrevista a uma rádio de Santos ontem pela manhã.

Segundo ele, o problema não foi dinheiro. “Poderia ter saído no início do ano, quando tive propostas para ganhar três vezes mais”, afirmou na mesma entrevista. Ele está no clube desde o final do ano passado.

Ainda não há definição de qual será o próximo emprego do treinador, embora ele esteja em negociação com o Corinthians e diga ter também recebido propostas do La Coruña, da Espanha.

Luxemburgo está com as atividades suspensas por 50 dias, por causa de agressão verbal contra um árbitro na fase final do Brasileiro.

O presidente da Unicór (a patrocinadora da equipe), Renato Duprat, teria mantido contato com Luxemburgo antes do anúncio.

O treinador disse que não iria fazer comentários sobre seu futuro e que só voltaria a dar declarações amanhã, quando vai estar em São Paulo para a reinauguração do bar do qual é sócio.