Pressão dos torcedores foi principal motivo para a saída do treinador

O Santos tem novo treinador. Com o pedido de demissão do técnico Geninho, ontem pela manhã, Serginho Chulapa, que ocupava a função de auxiliar, assumiu o comando da equipe.

O presidente Marcelo Teixeira disse que a condição de Serginho não é de interino e que ele ficará no comando do time até o final do Campeonato Brasileiro.

Em reunião ontem pela manhã com Teixeira, Norberto Moreira, vice-presidente do clube, e Luiz Henrique de Menezes, gerente de futebol, o novo treinador decidiu manter os demais integrantes da comissão técnica. À tarde, ele comandou um treino de dois toques apenas com os reservas. Os titulares foram poupados, participando apenas de uma sessão de hidroginástica.

Ao ser contratado, em dezembro, Geninho fez um acordo verbal por seis meses com o Santos, mas acabou ficando oito. Após o empate com o Juventude, anteontem, na Vila Belmiro, o treinador emitiu à diretoria sinais de que poderia sair.

Durante o jogo, os quase 8.000 pagantes que compareceram ao estádio gritaram em uníssono o coro de “burro”, mesmo quando o Santos, com um jogador a menos, vencia por 2 a 1 -no final, a equipe cedeu o empate, e as vaias aumentaram.

O técnico não aceitou a manifestação, criticou os torcedores e, ainda no vestiário, advertiu o presidente Marcelo Teixeira sobre a possibilidade de não continuar treinando a equipe.

Ontem pela manhã, Geninho concretizou a intenção e, em seguida, viajou com a família para Poços de Caldas (MG), a fim de participar da festa de aniversário da sogra. Ele avisou que pode voltar hoje a Santos para se despedir dos jogadores.

Teixeira afirmou que a saída de Geninho foi iniciativa exclusivamente “pessoal do treinador” e que a diretoria não pretendia demiti-lo, apesar do empate em casa e das vaias dos torcedores.

O técnico santista, por sua vez, não se conformava com as críticas, principalmente porque o time está invicto no Nacional, com duas vitórias e cinco empates -o problema, para os torcedores, é que três dos empates foram em casa, quando eles achavam que a equipe tinha obrigação de vencer.

Décimo colocado no Campeonato Brasileiro, o Santos poderia ter alcançado a zona de classificação -os oito primeiros disputarão a fase final- se tivesse batido o Juventude.

Serginho Chulapa estréia amanhã, contra o Atlético-PR, em Curitiba (PR), quando o Santos atuará desfalcado do zagueiro Preto, que cumprirá suspensão por ter sido expulso anteontem, e, provavelmente, do lateral Russo, que segue machucado.

Empatia com a torcida justifica o novo nome

Ao escolher Serginho Chulapa para substituir Geninho no comando do time, a diretoria santista aposta na ascendência do ex-atacante sobre o grupo de jogadores e na empatia que ele tem com os torcedores da equipe.

Autor do gol da vitória contra o Corinthians que deu ao Santos o último título de expressão conquistado pelo clube, o Paulista-84, Serginho mantém até hoje a condição de ídolo da torcida.

Em 1994, ele chegou a dirigir a equipe, comandando-a entre os meses de março e novembro.