Palmeiras 2 x 1 Santos

Data: 28/07/1985, domingo, 16h00.
Competição: Campeonato Paulista – 1º turno – 14ª rodada
Local: Estádio do Pacaembu, em São Paulo, SP.
Público: 22.118
Renda: Cr$ 117.348.000,00
Árbitro: Almir Ricci Peixoto Laguna
Cartões amarelos: Rocha, Paulinho (P); Gersinho e Formiga (S).
Cartões vermelhos: Dema (S, 14-1) e Diogo (P, 24-1); Márcio Rossini (S, 41-2).
Gols: Ditinho (06-2), Joãozinho (32-2) e Polozzi (39-2, contra).

PALMEIRAS
Leão; Diogo, Márcio, Polozzi e Paulo Roberto; Rocha, Carlos Alberto Borges e Mário Sérgio; Hélio (Ditinho), Reinaldo (Barbosa) e Joãozinho.
Técnico: Chinesinho

SANTOS
Rodolfo Rodríguez; Paulo Roberto, Márcio Rossini, Toninho Carlos e Jaime Boni; Serginho Carioca (Mário Sérgio), Dema e Humberto; Gersinho, Formiga e Zé Sérgio (Lima).
Técnico: Carlos Castilho



Palmeiras vence Santos e espera “uma semana tranquila”

O Santos precisava da vitória para manter as esperanças de chegar ao título do primeiro turno. O Palmeiras queria afastar a crise, já que não vencia há 5 jogos.

O meia Humberto, além de ter achado a expulsão de Dema injusta, considera que o maior problema do Santos é o excesso de jogos (acumulados porque o time excursionou recentemente à Asia e Estados Unidos.

“Cada dia estoura um jogador. Nunca conseguimos repetir a mesma formação duas partidas seguidas. Nossa enfermaria tem sempre três ou quatro atletas. Se continuar assim, a tendência é cairmos ainda mais. O clube precisa de dinheiro e excursionamos. Na volta, jogamos três vezes por semana. Há dois meses vem acontecendo isso. O primeiro turno já foi. Agora vamos viajar outra vez para a Itália (jogos dias 13, 15 e 18). Depois começaremos outra maratona. Ninguém compreende isso.”

Fonte: Jornal Folha de SP