Santos 2 x 0 São Paulo

Data: 27/01/2019, domingo, 17h00.
Competição: Campeonato Paulista – 3ª rodada
Local: Estádio do Pacaembu, em São Paulo, SP.
Público: 20.239 pessoas (18.601 pagantes e 1.638 não pagantes)
Renda: R$ 630.964,00
Arbitragem: Vinicius Furlan
Auxiliares: Alex Ang Ribeiro e Neuza Ines Back.
Cartões amarelos: Derlis González, Luiz Felipe, Diego Pituca, Copete, Carlos Sánchez e Felippe Cardoso (S); Hudson, Reinaldo, Arboleda e Bruno Alves (SP).
Gols: Luiz Felipe (44-1); Derlis González (21-2).

SANTOS
Vanderlei; Victor Ferraz, Luiz Felipe, Gustavo Henrique e Orinho (Copete); Alison, Diego Pituca, Carlos Sánchez e Jean Mota (Aguilar); Soteldo (Felippe Cardoso) e Derlis González.
Técnico: Jorge Sampaoli

SÃO PAULO
Tiago Volpi; Bruno Peres, Arboleda, Bruno Alves e Reinaldo; Hudson (Brenner), Jucilei e Nenê (Liziero); Helinho (Diego Souza), Everton e Pablo.
Técnico: André Jardine



Santos massacra São Paulo e vence com autoridade no Pacaembu

O Santos segue invicto no Campeonato Paulista. Neste domingo, o time comandado por Jorge Sampaoli recebeu o São Paulo, no Pacaembu, pela terceira rodada do Estadual, e não fez feio diante de mais de 20 mil torcedores. Sem tomar conhecimento do adversário e mantendo a posse de bola na maior parte do jogo, o Peixe saiu de campo com o contundente triunfo por 2 a 0, gols de Luiz Felipe e Derlis González.

Com o resultado, o Santos foi a nove pontos e segue líder absoluto do Grupo A sem sofrer um gol sequer. Já o São Paulo teve seu ótimo início no Paulistão freado. O Tricolor estagnou nos seis pontos, no entanto, também se manteve na ponta da tabela, no Grupo D.

O jogo

O Santos mandou no jogo no primeiro tempo. Sem abrir mão da posse de bola, os comandados do técnico Sampaoli pressionaram os adversários a todo o momento, não os deixando sair para o jogo. Apesar da superioridade do Peixe, foi o São Paulo quem chegou com perigo pela primeira vez. Aos dez minutos, o garoto Helinho abriu para Reinaldo, que, da entrada da área, finalizou com um chute cruzado, que desviou e foi para fora.

Aos 17 minutos, contudo, o domínio santista por pouco não foi revertido em gol. Pituca arrancou pelo meio, se livrando da marcação de Hudson e deu passe açucarado para Soteldo, que saiu cara a cara com Tiago Volpi e viu o goleiro são-paulino salvar seu time ao fazer defesa providencial. Como resposta, no minuto seguinte, o Tricolor tirou tinta da trave de Vanderlei com Bruno Peres, que arriscou de fora da área em jogada individual.

Já na reta final do primeiro tempo só deu Peixe. Aos 29, Orinho mandou para a área, e a bola sobrou nos pés de Jean Mota, que bateu firme, mas Tiago Volpi estava ligado para fazer mais uma importante intervenção. Pouco antes do apito final, no entanto, não teve jeito. Aos 44, em cruzamento para a área decorrente de uma falta bastante contestada pelos jogadores são-paulinos, Luiz Felipe subiu mais alto que todo mundo para desviar no primeiro pau e abrir o placar no Pacaembu.

No segundo tempo o São Paulo, com Diego Souza na vaga de Helinho, se viu obrigado a sair para o jogo, mas foi o Santos quem foi mais eficiente e forçou o goleiro a trabalhar. Aos 15 minutos, por exemplo, Diego Pituca ficou com a bola limpa na entrada da área e decidiu experimentar, obrigando Tiago Volpi a se esticar para fazer a defesa.

Inquieto mesmo com a vitória parcial, Jorge Sampaoli foi ousado e queimou suas três substituições em pouco tempo. Minutos depois, as alterações realizadas pelo treinador argentino provaram que o nível apresentado se manteria o mesmo. Aos 21, Alison aproveitou o vazio na defesa tricolor e fez lindo lançamento para Derlis González, que saiu mano a mano com Tiago Volpi, driblou o goleiro e precisou apenas completar para o fundo das redes, ampliando o placar no Pacaembu.

Sem se acomodar, o Santos ainda teve a chance de fazer o terceiro com Felipe Aguilar, que aproveitou o desvio de Hudson de cabeça após cruzamento para completar para o gol, mas mandou para fora. No finalzinho, o São Paulo por pouco não descontou, mas não teve sorte. Aos 37 minutos, em cobrança de escanteio da esquerda, Everton, sem precisar pular, cabeceou firme, mas viu a bola tirar tinta do travessão. Desta maneira, coube aos comandados de Jardine se contentar com a frustrante derrota na terceira rodada do Paulistão.

Bastidores – Santos TV:

Sampaoli vibra após vitória no San-São: “Feliz no clube que escolhi”

Jorge Sampaoli vibrou com a vitória do Santos por 2 a 0 sobre o São Paulo neste domingo, no Pacaembu, pela terceira rodada do Campeonato Paulista.

O técnico analisou a evolução do Peixe, pediu pés no chão e afirmou estar feliz onde escolheu ser treinador.

“Jogamos uma partida muito inteligente, contra um rival que tem uma grande quantidade de jogadores valiosos. Propomos desde o começo, com a busca dos espaços que nos davam, dois falsos centroavantes. Falta trabalho, claro, de aderir definitivamente a ideia, crescimento do grupo, e o ânimo de que isso pode continuar crescendo. Temos ponto de partida, mas não de chegada. Equipe vai se ver adiante, vitória obriga a seguir crescendo. Próximo jogo será ainda mais complicado. O meio impede de relaxar”, disse Sampaoli, em entrevista coletiva.

“Estou feliz onde estou, no clube que escolhi. Trato de ajudar a instituição, respeitar, que quem não tenha muito dinheiro junte para ver o Santos como hoje. Teremos momentos difíceis e seguiremos lutando. A verdade é que estou feliz onde estou”, completou.

Sampaoli agradece a Derlis, elogia Vanderlei e dá apoio a Orinho no Santos

O técnico Jorge Sampaoli agradeceu a Derlis González por ter aceitado ficar no Santos depois do gol do paraguaio na vitória por 2 a 0 sobre o São Paulo neste domingo, no Pacaembu.

O argentino também elogiou pelo Vanderlei pela melhora com a bola nos pés. A falta de costume em participar da construção ofensiva fez com que o Peixe fosse atrás de Everson, do Ceará.

“Derlis tem muito valor, jogador de seleção paraguaia. Não estava cômodo, tinha outras prioridades na carreira, convencemos ele de jogar aqui, de poder estar na Copa América e útil nesse sistema. Agradeço por ele ter ficado”, disse Sampaoli, em entrevista coletiva.

“Houve crescimento enorme de protagonismo com os pés, eles buscaram opção um a um até com o goleiro e ele resolveu. Vai continuar melhorando, resolveu com tranquilidade. Isso vai somar com o ótimo goleiro que ele já tem”, completou.

Sampaoli também fez questão de apoiar Orinho. O lateral-esquerdo não se destacou no clássico e foi alvo de críticas de parte da torcida. Ele acabou substituído no segundo tempo.

“A mudança no segundo tempo foi por causa da entrada de Diego Souza, que nos obrigou a colocar uma linha de três zagueiros para evitar o mano a mano entre os zagueiros. Falei para o Aguilar que teria que entrar rápido, tivemos mais altura, Copete entrou no Orinho porque estava mais descansado. Não teve com expressão popular, mas com as peças que moveu o São Paulo que nos obrigou a mexer para equilibrar o jogo diante dessas modificações táticas”, concluiu.

À espera de reforços e soluções caseiras, Sampaoli admite poupar no Santos

À espera dos reforços prometidos pela diretoria do Santos, o técnico Jorge Sampaoli tem procurado por soluções caseiras no atual elenco.

E com três vitórias nos três primeiros jogos do Campeonato Paulista, o treinador cogita preservar alguns jogadores se os exames médicos assim indicarem. O objetivo é controlar mais as partidas para se desgastar menos.

“Eu falo do lado desportivo e os dirigentes pelas contratações que prometeram. Tento melhorar o que tenho e usar o melhor que temos contra equipes tão valiosas como a de hoje. A mim resta falar do que posso fazer com o que eu tenho, não com o que eu não tenho”, disse Sampaoli, em entrevista coletiva.

“Estou convencido de que quando a equipe jogar melhor, correrá menos. Estamos buscando que equipe se defenda mais com a bola do que sem. E estamos encaminhando isso. Jogamos muito bem no meio de semana, agora de novo e temos um jogo muito difícil. Jogarão quem tem condições físicas e anímicas melhores. Vamos equilibrar isso até que a equipe busque um controle de jogo maior. Que o domínio esteja vinculado com a defesa com a bola”, completou.