Seleção do Peru 0 x 0 Santos

Data: 10/10/1985, quinta-feira, 22h00.
Competição: Amistoso
Local: Estádio Nacional José Diaz, o Estádio Nacional, em Lima, Peru.
Público: 20.000
Árbitro: não informado

PERU
Quiroga; Leonardo Rojas, Jorge Olaechea, Chumpitaz (Diaz) e Hugo Gastulo; José Velásquez, César Cueto e Franco Navarro (Guilhermo); Julio César Uribe (Irano), Maza e Juan Carlos Oblitas.
Técnico: Roberto Challe

SANTOS
Rodolfo Rodríguez; Paulo Roberto, Márcio Rossini, Toninho Carlos e Jaime Boni; Enéas, Serginho Carioca e Humberto; Gersinho (Mazinho Oliveira), Nunes e Júnior.
Técnico: Carlos Castilho



Castilho está preocupado com desgaste do time

A 15 minutos do final do amistoso entre Santos e Seleção do Peru, em Lima, um pequeno tremor de terra provocou uma verdadeira correria nas arquibancadas que abrigavam 20.000 torcedores. Os próprios jogadores também se assustaram com o forte estrondo e correram para o meio de campo.

A partida foi disputada como preparação para o Peru, que tentava a última vaga na repescagem sul-americana à Copa do México de 86. O Peru acabou eliminado pelo Chile com duas derrotas (4×2 e 1×0). Serviu também como despedida oficial do ídolo Héctor Chumpitaz, 177 vezes integrante da seleção nacional, em 22 anos de carreira.

O inesperado amistoso foi acertado dia 08 e não foi bem recebido pelo elenco. Márcio Rossini, por exemplo, classificou a atitude da diretoria como “uma loucura”. Nossa meta agora é a conquista do bicampeonato paulista por isso a partida contra o Peru é inoportuna. Mais tarde, porém, ele disse que “os atletas têm que levar em consideração a questão financeira, que é importante para o clube.”

O Santos recebeu pelo amistoso Cr$ 120 milhões, livres de despesas. A equipe chegaria em Cumbica (Guarulhos) na véspera do jogo com o Noroeste, a 337 km da capital.

O Santos está em 2º lugar na classificação do 2º turno e no cômputo geral de pontos do Campeonato Paulista, com 13 e 34 pontos ganhos, respectivamente.



Fonte: Jornal Folha de SP