O técnico do Santos, Carlos Castilho, pediu demissão do cargo após uma reunião de 5h de duração com a diretoria, alegando que “não tinha mais equilíbrio emocional para permanecer no clube.”

Castilho acredita ter cumprido o seu papel como técnico do Santos.

“Acho que cumpri meu papel no Santos. Dei um título ao time (Campeão Paulista 1984) e comecei a reformulação no elenco. Agora, estava sem condições psicológicas para continuar o trabalho.”

Embora Castilho não tenha dito explicitamente o motivo, o seu pedido de demissão era previsível desde que Fernando Oliva deixou a vice-presidência de futebol do clube em janeiro. Em sua carta de demissão, Oliva deu a entender que o presidente Milton Teixeira não queria a permanência de Castilho na Vila Belmiro, motivando assim a vontade do treinador em deixar o clube.

O preparador físico Júlio Espinosa dirigirá p time na estreia do Campeonato Paulista amanhã contra o Santo André.