Corinthians 2 x 1 Santos

Data: 31/03/2019, domingo, 16h00.
Competição Campeonato Paulista – Semifinal – Jogo de ida
Local: Arena Corinthians, o Itaquerão, em São Paulo, SP.
Público: 39.919 pagantes
Renda: R$ 2.467.185,50
Árbitro: Vinícius Gonçalves Dias Araújo
Auxiliares: Anderson José de Moraes Coelho e Bruno Salgado Rizo.
VAR: Rodrigo Guarizo, auxiliado por Fabrício de Moura e Thiago Peixoto.
Cartões amarelos: Sornoza (C) e Alison (S).
Gols: Manoel (03-1), Derlis González (07-1) e Clayson (31-1).

CORINTHIANS
Cássio; Fagner, Manoel, Henrique e Danilo Avelar; Ralf, Júnior Urso e Sornoza (Richard); Vagner Love (Pedrinho), Clayson (Mateus Vital) e Gustagol.
Técnico: Fábio Carille

SANTOS
Vanderlei; Victor Ferraz, Felipe Aguilar (Lucas Veríssimo), Luiz Felipe e Felipe Jonathan; Alison, Diego Pituca, Carlos Sánchez (Soteldo) e Jean Mota; Cueva (Rodrygo) e Derlis González.
Técnico: Jorge Sampaoli



Corinthians aproveita melhor as falhas e sai na frente do Santos na Arena

O Corinthians foi melhor em um jogo de falhas individuais na tarde deste domingo, na Arena, contra o Santos, pela partida de ida da semifinal do Campeonato Paulista. Contando com um gol de Manoel e outro de Clayson, o time do Parque São Jorge só não teve uma vantagem maior porque Cássio saiu muito mal do gol no lance em que Derlis anotou o gol solitário dos visitantes. A disputa segue bastante aberta.

A decisão será apenas na segunda-feira, dia 8 de abril, no estádio do Pacaembu. Como a Vila Belmiro está em reforma, o Peixe escolheu o estádio municipal paulistano para exercer o seu mando e vai precisar de uma vitória por um gol de diferença para levar aos pênaltis. Dois gols de diferença ou mais dão a vaga ao time da Baixada, enquanto o Timão joga por todos os outros resultados.

Ambos os times têm compromissos no meio da semana, porém. Os comandados de Fábio Carille seguem em uma sequência caseira e encaram a volta da terceira fase da Copa do Brasil, frente ao Ceará, na quarta-feira, na Arena. Um dia depois, Sampaoli e seu elenco visitam o Atlético-GO, pela ida da terceira fase da mesma competição.

O jogo

O jogo poderia ter começado praticamente 1 a 0 para o Corinthians, mas o ritmo foi tão alucinante que o 1 a 1 já estava no placar aos sete minutos da etapa inicial. O primeiro gol saiu em cruzamento de Sornoza, batendo falta pelo lado esquerdo do ataque, que achou Manoel livre entre os zagueiros. O desvio foi leve, mas o suficiente para superar Vanderlei, que mal se mexeu. Sem encostar na bola, porém, o Timão viu o Peixe ganhar escanteio, Jean Mota bater e Cássio falhar feio, espalmando para Derlis cabecear ao gol vazio.

O empate tirou o que poderia ser um ritmo avassalador do Timão, aproveitando a empolgação da torcida. Até os 30 minutos, apenas um chute forte de Jean Mota e uma cabeçada torta de Henrique foram lances de perigo. Em um lance sem grande esforços dos corintianos, porém, Luiz Felipe afastou mal a bola em duas oportunidades e deixou Clayson no mano a mano com Victor Ferraz. Mérito do corintiano de cortar para dentro e acertar um chute rasteiro, sem chances para Vanderlei.

O gol animou os donos da casa, que tentaram aproveitar para ampliar a vantagem antes do intervalo. Em outro bom lance de Clayson, o atacante limpou dois adversários e cruzou na área, a zaga afastou e Fagner chutou para o que seria o terceiro gol. Vanderlei, porém, já havia aberto mão de fazer a defesa para socorrer Felipe Aguilar, desacordado após choque com Danilo Avelar. O processo teve até entrada de ambulância no gramado para retirada do atleta, esfriando o ânimo até o fim da primeira etapa.

O segundo tempo da partida prometia um outro duelo com alta intensidade, mas, em vez da bola jogada por baixo, a etapa final mostrou um jogo muito mais físico. Sampaoli, que optou pela entrada de Rodrygo na vaga de Cueva, viu seu time sofrer para impor o seu ritmo de marcação. Sem trocar passes, o Timão apostou na ligação direta para Gustagol e Vagner Love, normalmente no mano a mano com os zagueiros.

A estratégia deu certo durante cerca de meia hora, com os atacantes levando vantagem sempre que a bola chegava no ataque, mas pecando na hora da finalização. Love chutou uma vez por cima do gol. Depois, Clayson tentou de bicicleta, Vanderlei espalmou e conseguiu afastar no limite antes de Love concluir. O domínio permaneceu até as substituições de Carille, que mandou a campo Pedrinho, Richard e Vital.

Com jogadores mais leves, o Peixe viu seu espaço aumentar e o Corinthians recuar. Soteldo entrou para dar mais velocidade e o Peixe pressionou nos minutos finais, com escanteios e seguidas bolas alçadas na área. Rodrygo, em bom lance, quase achou Derlis no meio da área, mas Cássio assegurou o triunfo corintiano.

Santos tem maior posse, mas falha nos arremates contra Corinthians eficiente

O Santos teve um domínio enganoso no clássico deste domingo contra o Corinthians, na derrota da primeira semifinal do Campeonato Paulista. No quesito posse de bola, foi superior, com 61,1% contra 39,9% do adversário. Mas o Peixe falhou muito nas finalizações e encontrou um adversário extremamente concentrado e eficiente em Itaquera.

O Corinthians foi mais vertical na partida. Finalizou mais, foram oito chutes e acertou cinco na direção da meta do goleiro Vanderlei – um aproveitamento de 62,5%. Marcou dois gols, que lhe dão uma vantagem para o compromisso de volta no Pacaembu. Clayson foi o destaque: além do gol, acertou mais um arremate na direção do gol adversário.

O Santos, por sua vez, teve sete finalizações na partida deste domingo. E acertou apenas um, justamente o gol do atacante Derlis González. Jean Mota, grande destaque santista no Estadual, tentou duas vezes, mas desperdiçou as chances. O meia-atacante não estava inspirado no confronto.

Sampaoli reconhece superioridade do Corinthians sobre o Santos

O Santos acabou derrotado por 2 a 1 no primeiro jogo pela semifinal do Campeonato Paulista, disputado na tarde deste domingo. Sem fazer rodeios nem usar termos rebuscados, o técnico Jorge Sampaoli reconheceu a superioridade do Corinthians durante o confronto em Itaquera.

“O jogo correu como o Corinthians quis e não como nós queríamos. Não encontramos o jogo que estamos acostumados e jogamos como o adversário quis. Não fizemos uma boa partida e, agora, precisamos nos preparar para o que vem”, disse Sampaoli.

Logo no começo da partida, após cruzamento de Sornoza, Manoel marcou de cabeça. Pouco depois, Derlis aproveitou falha de Cássio para empatar. Ainda no primeiro tempo, Luiz Felipe vacilou feio e Clayson anotou o gol que garantiu a vitória corintiana.

“Houve méritos do adversário. Reitero que a chave na análise do jogo é que o Corinthians jogou como quis: prevaleceu, ganhou muito bem e nos neutralizou. Não nos sufocou, mas incomodou e não tivemos resposta. Mérito do rival e incapacidade nossa para gerar ataques”, declarou Sampaoli.

O segundo e decisivo confronto entre Santos e Corinthians está marcado para as 20 horas (de Brasília) da próxima segunda-feira, no Estádio do Pacaembu. Empate beneficia o time paulistano, enquanto triunfo por um gol da equipe praiana leva a decisão aos pênaltis.

“Temos que trabalhar muito para conseguir surpreender um time que se defende com bastante gente. Eles se multiplicam para defender e precisamos de outras variações para atacar”, disse Sampaoli, que pega o Atlético-GO às 19h15 (de Brasília) de quinta-feira, fora de casa.

Substituto de Aguilar, Veríssimo projeta virada sobre o Corinthians

Escolhido pelo técnico Jorge Sampaoli para substituir Felipe Aguilar, Lucas Veríssimo assegura que a saída do colombiano não influenciou no rendimento do Santos diante do Corinthians. O defensor, derrotado em Itaquera neste domingo, manifestou confiança na virada com o mando de campo.

Após choque de cabeça com Danilo Avelar, Aguilar caiu no gramado e chegou a ficar desacordado, causando preocupação entre os jogadores. Sem condições de seguir, o colombiano deixou o campo de ambulância e acabou substituído por Veríssimo já nos acréscimos do primeiro tempo, com o placar em 2 a 1 para o Corinthians.

“Infelizmente, foi uma fatalidade e espero que ele esteja bem. Estávamos até procurando informações. Mas acredito que isso não tenha influenciado. Treinei na equipe titular durante a semana. Então, foi uma mudança que acabou acontecendo, mas nosso time se comportou bem”, declarou Veríssimo.

Avaliado por neurologista no Hospital Sírio Libanês, Aguilar passou por tomografia e não teve qualquer alteração clinica detectada. O defensor passa a noite internado e será reavaliado na manhã desta segunda para possível alta após realização de nova tomografia.

Durante o segundo tempo, com Lucas Veríssimo em campo, o Santos não conseguiu assustar o Corinthians. “Está aberto, mas era um jogo em que a gente podia dar mais. Vamos atuar dentro de casa agora e, se Deus quiser, fazer uma boa partida para sair com a vitória e a classificação”, projetou o zagueiro.

O segundo e decisivo confronto entre Santos e Corinthians está marcado para as 20 horas (de Brasília) da próxima segunda-feira, no Estádio do Pacaembu. Empate beneficia o time paulistano, enquanto triunfo por um gol da equipe praiana leva a decisão aos pênaltis.