Santos 3 x 0 Atlético-GO

Data: 11/04/2019, quinta-feira, 21h30.
Competição: Copa do Brasil – 3ª fase – Jogo de volta
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 11.623 pagantes
Renda: R$ 314.220,00
Árbitro: Rodrigo Carvalhaes de Miranda (RJ)
Auxiliares: Michael Correia e Carlos Henrique Filho (ambos do RJ).
Cartões amarelos: Gilvan, Nicolas, Jonathan, Reginaldo Washington e Jorginho (A).
Cartão vermelho: Cueva (S)
Gols: Carlos Sánchez (44-1); Rodrygo (01-2) e Carlos Sánchez (39-2).

SANTOS
Everson; Victor Ferraz, Aguilar, Lucas Veríssimo e Diego Pituca; Alison (Cueva), Sánchez e Jean Mota; Rodrygo (Eduardo Sasha), Soteldo e Derlis González (Jorge).
Técnico: Jorge Sampaoli

ATLÉTICO-GO
Maurício Kozlinski; Jonathan, Lucas Rocha, Gilvan e Nicolas (Reginaldo); Pedro Bambu, Washington (André Luis) e Jorginho; Matheus (Gilsinho), Pedro Raul e Mike.
Técnico: Wagner Lopes



Santos domina o Atlético-GO na reinauguração da Vila e avança na Copa do Brasil

O Santos venceu o Atlético-GO por 3 a 0 nesta quinta-feira, na reinauguração da Vila Belmiro, e se classificou para a quarta fase da Copa do Brasil depois de derrota por 1 a 0 em Goiânia.

Depois de quase três meses de reforma, a Vila recebeu um Peixe insaciável, atacando a todo tempo. Os gols foram marcados por Sánchez (2) e Rodrygo, e a vantagem poderia até ter sido maior.

O adversário na quarta fase da competição será conhecido por meio de sorteio nesta sexta-feira. A eliminatória ocorrerá a partir da semana que vem.

O jogo

O Santos, assim como na semifinal contra o Corinthians, dominou o Atlético-GO por completo e atacou desde o primeiro minuto todo do meio-campo para frente.

As chances saíram naturalmente, mas o gol teimou em sair. Sánchez, Soteldo, Pituca, Victor Ferraz, Derlis… Todos tiveram oportunidade de marcar, mas coube ao uruguaio essa missão.

Jean Mota, até então apagado, deu passe perfeito para Sánchez deslocar Kozlinski e abrir o placar aos 44 minutos. O Peixe poderia até ter ido para o intervalo com vantagem maior.

No segundo tempo, o Santos fez justiça no placar rapidamente. Logo no primeiro minuto, Jean Mota cruzou, a bola atravessou a área e parou para o lindo chute de Rodrygo, de primeira. 2 a 0.

O Peixe diminuiu um pouco o ritmo, mas seguiu todo no campo de ataque. Sem administrar, viu o Atlético-GO ser perigoso em pelo menos três oportunidades no contra-ataque. Em um deles, de dois contra um, Pedro Bambu recebeu sozinho, mas bateu por cima, aos 17 minutos.

Após alguns sustos, o Alvinegro garantiu a classificação aos 39′, novamente com Sánchez. Soteldo recebeu na área e teve calma para encontrar o meia. O uruguaio bateu forte, de primeira, e a bola bateu no travessão antes de entrar. Nos acréscimos, Cueva entrou forte e foi expulso direto. Classificação justa na Vila Belmiro.

Bastidores – Santos TV:

Sampaoli compara Pacaembu com “parente rico” e pede apoio por Santos na Vila

O técnico Jorge Sampaoli espera ter o Santos como mandante na Vila Belmiro ao longo de 2019. O argentino fez um apelo ao torcedor depois dos 3 a 0 sobre o Atlético-GO, pela Copa do Brasil.

O treinador comparou o Pacaembu com um parente rico e quer a Vila cheia para que a diretoria não precise trocar o mando.

“É um orgulho estar aqui. É comparar nossa casa com a de um parente rico. Essa é nossa casa, Santos é de Santos e me sinto orgulhoso aqui. Estar em outro lugar é jogar em outro lugar, não na sua casa”, disse Sampaoli, em entrevista coletiva.

“Você gosta de estar na sua casa? Eu também. Temos obrigação de comover o torcedor em todo o jogo para que sempre esteja lotado. Se estiver cheio sempre, não teremos justificativas para não jogar aqui. Se tiver, teremos que sair por questões financeiras. Quero que a torcida venha para que não precisemos sair daqui”, completou.

A promessa do presidente José Carlos Peres é atuar em pelo menos metade das partidas do Santos no Pacaembu. Resta entrar em acordo com Sampaoli.

Sampaoli diz que Santos faria muito mais gols se tivesse um centroavante

O técnico Jorge Sampaoli voltou a falar sobre a falta de um centroavante depois da vitória do Santos por 3 a 0 sobre o Atlético-GO na noite desta quinta-feira, na Vila Belmiro, pela Copa do Brasil.

O argentino crê que o Peixe faria muito mais gols se tivesse um camisa 9 à altura.

“Sempre joguei com um centroavante. Saber mexer na área é algo específico de uma posição. Chegamos com muitos jogadores, tentamos com um e com outro. Derlis jogou dentro e costuma jogar fora. Com tantos cruzamentos em cada jogo, com uma pessoa que se mova bem e entenda bem a leitura da partida, seguramente converteríamos muito mais gols. Temos muita verticalidade e situações. Fazemos poucos gols pelo que geramos. Precisamos de contundência com ou sem 9. Precisamos ser mais concretos para sofrer menos”, disse Sampaoli, em entrevista coletiva.

O sonho de consumo de Sampaoli é Ricardo Oliveira, do Atlético-MG. O presidente Sérgio Sette Câmara descartou a possibilidade de saída.

“Peres é meu amigo. Conversamos sobre muita coisa. Ele é um grande nome do futebol. Sobre o Ricardo, não há nada. Jogará toda a temporada no Atlético”, disse o presidente do Galo.

Sampaoli abre disputa entre Vanderlei e Everson no Santos: “Avaliaremos”

No início da temporada, Jorge Sampaoli definiu um rodízio entre Vanderlei e Everson no Santos: o camisa 1 no Campeonato Paulista; o 22 na Copa do Brasil.

Na noite desta quinta-feira, depois da vitória do Peixe por 3 a 0 sobre o Atlético-GO, na Vila Belmiro, o treinador abriu disputa entre os goleiros para o Campeonato Brasileiro.

“Eu disse que Everson estaria na Copa do Brasil e Vanderlei no Paulista. E depois que terminar isso, avaliaremos quem convém jogar”, resumiu o argentino.

Everson foi titular nesta quinta, fez boas defesas e viu duas bolas na sua trave. O jogador avaliou a sua atuação.

“Dizem que goleiro bom tem sorte. Não sei se sou tão bom, mas a sorte esteve comigo. Fico feliz por ter ajudado em outros lances”, afirmou.

Sampaoli fala em recuperar Cueva e cobra Rodrygo: “Tem sua vida resolvida”

O técnico Jorge Sampaoli falou sobre as situações de Cueva e Rodrygo depois da vitória do Santos por 3 a 0 sobre o Atlético-GO nesta quinta-feira, na Vila Belmiro, pela terceira fase da Copa do Brasil.

O peruano fez 10 jogos, sem gol ou assistência, e foi expulso nos acréscimos da partida diante do Atlético, de forma direta, após forte dividida. Rodrygo vinha sendo reserva até essa quinta.

“Há circunstâncias para eleger. Cueva tem grande valor, seguramente precisa de adaptação, chegou tarde depois de não jogar muito lá. Vai nos dar muito. Como Rodrygo, Cueva ou qualquer um, depende do que precisamos. Não nos guiamos pelos nomes, mas pela realidade. Quem não seja intenso por 90 minutos… Dizemos isso para o Rodrygo porque será exigido assim na Europa. Se consegue aqui, vai se adaptar mais rápido na Europa. Contra o Corinthians fizemos bom primeiro tempo, grande segundo tempo e ficamos com o segundo para hoje. Poderíamos ter jogado com Cueva e Jean de falso 9, mas escolhemos sem ele. Esperamos recuperá-lo pois é muito valioso, teve uma grande Copa”, disse Sampaoli, antes de comentar sobre Rodrygo.

“Sou mais exigente com os que mais podem. Quem não me brinda isso, precisa esperar. É com todos. É preciso exigir mais de quem mais pode oferecer. Rodrygo tem sua vida resolvida e está esperando julho para sair. Estou querendo ganhar no dia a dia, tentamos fazer ele entender. Fez um grande jogo hoje, outro dia também. Estou em cima dele para exigir o máximo. Para o bem dele e do Santos”, afirmou.

O Santos pagará R$ 26 milhões por Cueva em quatro temporadas. Rodrygo já está negociado com o Real Madrid e se apresentará na Espanha no dia 15 de julho.

Após ‘sacrifício’ pelo Santos, Jean Mota é elogiado por Sampaoli: “Incrível”

Jean Mota jogou no “sacrifício” na vitória do Santos por 3 a 0 sobre o Atlético-GO nesta quinta-feira, na Vila Belmiro, na classificação para a quarta fase da Copa do Brasil.

O meia se recuperou de pequena lesão em ligamento do joelho direito depois de não treinar com bola na última quarta, no CT Rei Pelé.

“Não conseguia andar no Pacaembu e agradeço pela fisioterapia por ter aguentado o jogo todo. Ainda sinto um pouco de dor e receio, mas graças a Deus pude fazer um bom jogo”, disse Jean Mota.

“Foi uma vitória convincente na nossa casa, estamos numa crescente, confiantes”, completou.

Após o esforço, o técnico Jorge Sampaoli elogiou o meia em entrevista coletiva.

“Santos foi decisivo, valente. Bem no primeiro e segundo gol. Contamos com centroavantes convertendo. Sánchez foi muito bem, Jean Mota foi incrível, com duas assistências. Ele nos ajudou muito depois de sair lesionado no jogo anterior. Fez um grande esforço para esse jogo”, explicou o treinador.

O adversário na quarta fase da competição será conhecido por meio de sorteio nesta sexta-feira. A eliminatória ocorrerá a partir da semana que vem.

Jean Mota celebra boa fase e quer continuar ajudando o Santos

No começo de 2019, antes mesmo da temporada começar, se tinha um nome que a torcida queria longe do Santos, esse alguém era Jean Mota. O meia foi um dos mais criticados de 2018, mas conseguiu dar a volta por cima sob o comando de Jorge Sampaoli.

Em entrevista à TV oficial do clube, o camisa 41 celebrou o excelente momento, e admitiu estar surpreendido por ser um dos grandes nomes do Peixe neste ano. “Para mim foi uma surpresa. Mas isso é fruto do trabalho. Venho buscando melhorar a cada dia mais. Acho que há uma semana atrás, vinham falando sobre jejum de gols e eu sempre falei que meu intuito é ajudar a equipe”, afirmou o meia.

Na última quinta-feira, na vitória por 3 a 0 sobre o Atlético-GO, Jean Mota deu duas assistências que resultaram nos gols de Carlos Sánchez e Rodrygo. O jogador relembrou os lances diante do Dragão, e voltou a ressaltar que seu principal objetivo é ajudar o Peixe.

“Pude ser feliz em dar duas assistências. Essa liderança (de artilheiro e líder em assistências) não é algo que eu prezo. Penso no dia-a-dia, a equipe e poder ajudar”, encerrou o atleta.