Vasco 2 x 1 Santos

Data: 24/04/2019, quarta-feira, 19h15.
Competição: Copa do Brasil – 4ª fase – Jogo de volta
Local: Estádio São Januário, no Rio de Janeiro, RJ.
Público: 8.859 pagantes
Renda: R$ 181.098,00
Árbitro: Rafael Traci (SC)
Assistentes: Helton Nunes e Henrique Neu Ribeiro (ambos de SC).
Cartões amarelos: Cáceres e Lucas Mineiro (V); Alison, Soteldo e Yuri Lima (S).
Expulsão: Jorge Sampaoli (S).
Gols: Raul (12-1) e Ricardo Graça (38-1); Jorge (08-2).

VASCO
Fernando Miguel (Alexander); Raul Cáceres, Werley, Leandro Castán (Ricardo Graça) e Danilo Barcelos; Raul (Yan Sasse), Lucas Mineiro, Yago Pikachu e Lucas Santos; Marrony e Maxi López.
Técnico: Marcos Valadares

SANTOS
Everson; Victor Ferraz, Felipe Aguilar, Gustavo Henrique e Jorge; Alison (Soteldo), Diego Pituca e Carlos Sánchez (Jean Lucas); Derlis, Jean Mota (Yuri) e Rodrygo.
Técnico: Jorge Sampaoli



Santos leva sustos contra o Vasco, mas avança às oitavas da Copa do Brasil

O Santos perdeu por 2 a 1 para o Vasco na noite desta quarta-feira, em São Januário, mas avançou às oitavas de final da Copa do Brasil. Os gols dos donos da casa foram de Raul e Ricardo Graça. Jorge fez o da classificação.

Depois dos 2 a 0 de vantagem na Vila Belmiro, o Peixe viu o Cruzmaltino abrir dois gols de diferença no primeiro tempo. Na segunda etapa, o Alvinegro voltou um pouco melhor, diminuiu e conseguiu administrar o resultado. Nos acréscimos, o Vasco teve outro gol de Ricardo Graça bem anulado. No último segundo, Gustavo Henrique falhou e Maxi López perdeu chance clara.

Vasco e Santos agora têm a primeira rodada do Campeonato Brasileiro pela frente. Os cariocas visitarão o Atlético-PR, enquanto o Peixe enfrentará o Grêmio, em Porto Alegre. Ambas as partidas serão no domingo.

O adversário do Santos nas oitavas de final da Copa do Brasil será decidido por meio de sorteio. Para a próxima fase, entrarão os brasileiros classificados para a Libertadores da América.

O jogo

O Santos, com 2 a 0 de vantagem da Vila Belmiro, começou o jogo no ataque. Linhas adiantadas, posse de bola e pressão na defesa adversária. Aos oito minutos, Jean Mota acertou um bonito chute na trave.

Aos 12, porém, tudo mudou. Aguilar errou na saída de bola, Lucas Mineiro tocou para Maxi rolar de calcanhar para Raul deslocar Everson e abrir o placar. Com o gol, o Peixe entrou em parafuso.

Muito mais intenso e concentrado, o Vasco acreditou na virada, foi mais perigoso e reverteu o 0-2 aos 38, em escanteio. Ricardo Graça fugiu da marcação de Derlis, contou com saída ruim de Everson e cabeceou para o fundo das redes.

O Santos voltou a campo mais ligado. Jorge Sampaoli tirou Alison, pendurado, e colocou Soteldo. A alteração não demorou a surtir efeito.

Aos oito minutos, Soteldo tabelou com Jorge e cruzou, a bola desviou e sobrou para o próprio lateral bater forte, de fora da área, e vencer o jovem Alexander.

Com a formação ofensiva do Peixe, o jogo ficou ainda mais aberto. No minuto 13, Marrony recebeu em profundidade, Everson saiu todo errado do gol, e o jovem do Vasco tentou encobrir, mas errou o alvo.

Dali em diante, as chances cessaram. Sampaoli recompôs a equipe com a entrada de Jean Lucas e os espaços diminuíram.

Aos 34 minutos, Jorge Sampaoli foi expulso por reclamação. Segundos depois, Diego Pituca escapou com espaço, conduziu e bateu forte, por cima do gol.

O jogo ficou aberto até o fim, mas, nervoso, o Vasco não conseguia reagir. Quando tudo parecia calmo, Ricardo Graça marcou em nova falha de Everson, mas a arbitragem assinalou o impedimento aos 47. E no último segundo, Gustavo Henrique furou e Maxi López perdeu chance claríssima.

Vitória merecida do Vasco, mas eliminação para o Santos na quarta fase da Copa do Brasil.

Após sufoco, Sampaoli cobra melhora do Santos e admite erro por expulsão

O técnico do Santos, Jorge Sampaoli, está preocupado depois da derrota por 2 a 1 para o Vasco na noite desta quarta-feira, em São Januário. O Peixe se classificou às oitavas de final por causa do 2 a 0 da ida, na Vila Belmiro.

O argentino vê muita coisa a melhorar no Alvinegro antes do Campeonato Brasileiro.

“Temos que corrigir um monte de coisas. Temos que ter mais controle do jogo. Complicamos uma classificação que pareceu que estava muito mais tranquila. Temos que corrigir as coisas que prejudicaram hoje. Encontramos uma linha de cinco com os extremos avançada. Temos que nos plantar no campo adversário e que eles se preocupem com a gente. Tomamos um gol e encontramos momentos. Com certeza poderíamos ter empatado ou ganhado a partida. Tentamos jogar num 4-4-2, mas como o Vasco estava se impondo, me passou pela cabeça de corrigir (no intervalo, com Soteldo na vaga de Alison)”, disse Sampaoli.

“Esta noite não tivemos controle do jogo e quando tomamos o segundo gol entramos em desconserto. No segundo tempo, consertamos um pouco e a equipe teve chance de empatar a partida, mas terminamos o jogo sofrendo”, completou.

O treinador admitiu o erro pela expulsão no segundo tempo após reclamação acintosa com a arbitragem.

“Foi minha responsabilidade. A partida estava muito intensa e eu fui expulso merecidamente. Sofri muito. Me expulsaram por reclamação e tive que passar um momento muito difícil porque não pude ajudar os jogadores. O ímpeto deles jogarem a bola na área me deixou um pouco nervoso”, concluiu.

O Santos voltará a campo para enfrentar o Grêmio, domingo, em Porto Alegre, pela primeira rodada do Campeonato Brasileiro.

Sampaoli fala em dúvida entre Vanderlei e Everson e volta a pedir Ricardo Oliveira

O técnico do Santos, Jorge Sampaoli, diz que ainda não sabe qual goleiro será titular contra o Grêmio, domingo, em Porto Alegre, pela primeira rodada do Campeonato Brasileiro.

Depois do rodízio com Vanderlei no Paulistão e Everson na Copa do Brasil, Sampaoli vai analisar como proceder daqui para frente. O camisa 22 não foi bem na derrota por 2 a 1 para o Vasco na noite desta quarta-feira, em São Januário.

“Ainda não (sei). Temos de pensar em uma análise de cada posição. São dois goleiros importantes. Vamos ver quem vai jogar no domingo já no início do Brasileirão, em um jogo muito difícil contra o Grêmio”, disse Sampaoli, em entrevista coletiva.

Sampaoli também voltou a pedir a contratação de Ricardo Oliveira, do Atlético-MG. A negociação foi intensificada nesta quarta-feira.

“Estamos procurando, insistindo, mas o presidente e as pessoas do clube sabem minha necessidade para um torneio muito duro e competitivo. A petição está formalizada e agora é esperar”, concluiu.

Herói na classificação, Jorge admite erros e diz que “Santos vai longe”

Jorge foi o herói da classificação do Santos para as oitavas de final da Copa do Brasil. O Peixe perdeu por 2 a 1 para o Vasco na noite desta quarta-feira, mas avançou por causa do 2 a 0 na ida, na Vila Belmiro.

Novidade na escalação, o lateral-esquerdo fez o gol decisivo no início do segundo tempo. Ele admitiu os erros e falou que o Peixe irá longe.

“Sabíamos que seria difícil, contra equipe bem montada. Sabíamos que seria difícil por causa da derrota na final. Entrariam com tudo. Não queríamos perder, mas classificamos e temos que acertar o que erramos. Esse time vai longe”, disse Jorge, ao SporTV.

O goleiro Everson destacou a vitória em casa e diz não ter se surpreendido com a pressão do Vasco nos acréscimos. Os cariocas tiveram gol bem anulado de Ricardo Graça e perderam chance incrível com Maxi López no último minuto.

“Foi por conta do nosso primeiro tempo. Nas duas chegadas, fizeram gol em erros coletivos nossos. Resolvemos no vestiário. Nos últimos minutos, imaginávamos o sufoco. Tivemos oportunidade de matar, mas não concluímos. São dois jogos. No primeiro fomos melhor. No primeiro tempo de hoje, jogamos mal, depois melhoramos, jogamos de igual para igual e nos classificamos”, analisou Everson.

Após 25 jogos, Sampaoli ainda não repetiu escalação no Santos

Após 25 jogos, o técnico Jorge Sampaoli ainda não repetiu um time titular no Santos. Contra o Vasco, na noite da última quarta-feira, o argentino surpreendeu e escalou Jorge na vaga de Soteldo.

Desde o amistoso contra o Corinthians, ainda na pré-temporada, Sampaoli levou a campo 24 escalações. 24 diferentes da anterior.

A atual comissão técnica estuda o adversário e define o esquema e os titulares de acordo com as características esperadas. Diante do Vasco, na decisão pela Copa do Brasil, a opção foi por reforçar o meio-campo com Diego Pituca e deixar Jorge pelo lado. Para a segunda etapa, Soteldo entrou na vaga de Alison.

O próximo desafio do Peixe será diante do Grêmio, domingo, na arena em Porto Alegre, pela estreia no Campeonato Brasileiro. Uma das indefinições está no gol: depois do rodízio entre Vanderlei no Campeonato Paulista e Everson na Copa do Brasil, o treinador ainda não definiu o titular.

O aproveitamento de Sampaoli é de 60% após 14 vitórias, cinco empates e cinco derrotas na temporada.

Sampaoli “volta no tempo” ao usar esquema do Século 19 no Santos

Depois de vários testes ao longo do Campeonato Paulista, Jorge Sampaoli parece ter encontrado um esquema ideal para o Santos: o 2-3-5, com dois zagueiros, um volante, dois “laterais-volantes” e cinco à frente: dois pela ponta, dois pelo meio e um falso 9.

Em evento da CBF na última segunda-feira, Sampaoli admitiu o tédio pelo futebol atual e revelou o desejo de ver o Santos como no futebol antigo. “Quero que meu time volte no tempo”, disse. E, ao menos na teoria, o Peixe realmente voltou.

O argentino levou a “pirâmide” a campo pela primeira vez na vitória por 1 a 0 sobre o Corinthians, pela semifinal do Campeonato Paulista, no Pacaembu. O Santos amassou o rival com mais de 70% e 33 finalizações, mas acabou eliminado nos pênaltis. A formação foi repetida nos 3 a 0 sobre o Atlético-GO e 2 a 0 diante do Vasco, na Vila Belmiro, e no primeiro tempo da derrota por 2 a 1 em São Januário.

A pirâmide teve origem no fim do século 19, no Reino Unido, em tentativa de organizar o esporte em campo. De acordo com o multicampeão Carlos Alberto Parreira, o esquema 2-3-5 “foi a primeira forma de noção tática registrada por um time. O início da inteligência no futebol”.

A criação do 2-3-5 gera dúvida entre escritores. O jornalista Jonathan Wilson, no livro “A Pirâmide Invertida: A História da Tática no Futebol”, afirma que o primeiro registro ocorreu em março de 1878, com o título do Wheham Football Club na Copa de País de Gales. O técnico húngaro Árpad Csanádi, na obra “Soccer”, relata a primeira pirâmide na Universidade de Cambridge, em 1883.

Independentemente da estreia, o 2-3-5 se disseminou e virou a formação da moda no século 20, como no título do Uruguai na primeira Copa do Mundo, em 1930. Daí em diante, as variações táticas tiveram início. 3-2-5, depois o 3-5-2, 5-3-2, e assim sucessivamente.

Argentina e Sevilla

Sampaoli surpreendeu os torcedores do seu país ao utilizar o 2-3-5 em um 6 a 0 sobre a seleção de Cingapura, no amistoso em 2017, quando chegou a alcançar 90% de posse de bola.

Depois de usar a pirâmide, o treinador criou o 2-3-3-2, repetido no Sevilla, com dois zagueiros, três meio-campistas defensivos, três meio-campistas ofensivos e dois atacantes.