Santos 1 x 2 Atlético-MG

Data: 18/05/2014, domingo, 18h30.
Competição: Campeonato Brasileiro – 5ª rodada
Local: Arena Pantanal, em Cuiabá, MT.
Público: 15.600 pagantes
Renda: R$ 706.000,00
Árbitro: Pericles Bassols Pegado Cortez (RJ-FIFA).
Auxiliares: Eduardo de Souza Couto e Michael Correia (ambos do RJ).
Cartões amarelos: David Braz e Neto (S); Emerson Conceição, Victor e Leonardo Silva (A).
Gols: Cícero (37-1); André (29-2) e André (35-2).

SANTOS
Aranha; Bruno Peres (Zé Carlos), Neto, David Braz e Mena; Alan Santos (Leandrinho), Arouca, Cícero e Lucas Lima (Geuvânio); Gabriel e Thiago Ribeiro.
Técnico: Oswaldo de Oliveira

ATLÉTICO-MG
Victor; Alex Silva, Leonardo Silva, Otamendi e Emerson Conceição; Pierre (Eduardo), Leandro Donizete e Rosinei (Carlos); Marion, Fernandinho (Dátolo) e André.
Técnico: Levir Culpi



Desfalcado, Atlético-MG vence de virada e encerra série positiva do Santos

Arena Pantanal viu o ex-santista André marcar duas vezes e derrubar o time que o revelou. Cícero marcou para os paulistas

Jogando na Arena Pantanal, em Cuiabá, o Santos foi superado pelo Atlético-MG neste domingo, terminando sua série de quatro vitórias. Desfalcado de quase um time inteiro, o Galo jogou melhor e venceu a equipe da Baixada Santista por 2 a 1, com dois gols de André, ex-jogador do Peixe. Cícero descontou para o time paulista.

O Atlético-MG alcançou os cinco pontos, ocupando a 14ª colocação. Já o Santos, fica com sete pontos, na 11ª posição.

O jogo

O Santos começou melhor. Aos três minutos da primeira etapa, Mena cruzou da esquerda e encontrou Gabriel, que escorou para Cícero chegar batendo. O goleiro Victor fez ótima defesa para salvar o Atlético-MG.

O Galo acordou e começou a pressionar o Santos na zona defensiva. As melhores chances dos mineiros vieram pelo alto, após cobranças de escanteio. Aos 30, Leonardo Silva testou forte e obrigou Aranha a fazer uma grande defesa.

Em jogada similar, o Atlético-MG novamente chegou com perigo. Escanteio cobrado e Otamendi subiu e cabeceou para baixo. A bola quicou na frente de Aranha e foi para fora, passando por cima da baliza santista.

Apesar da pressão atleticana, quem chegou ao gol primeiro foi o Santos. Aos 37 minutos, Alan Santos lançou Cícero, que tocou com tranquilidade para os fundos das redes dos mineiros.Na volta do intervalo, o Atlético-MG criou boa oportunidade aos nove minutos. Emerson Conceição cruzou da esquerda e Carlos chegou cabeceando. A bola passou rente à trave do goleiro Aranha.

Melhor no jogo, o Atlético-MG chegou ao empate aos 29 minutos. Alex Silva invadiu a área pela esquerda, perdeu o domínio, mas insistiu e armou uma bicicleta. O lindo passe encontrou André, que apenas teve o trabalho de empurrar para o fundo das redes.

Minutos depois, o Galo virou o marcador da partida. Marion armou um bom contra-ataque e tocou para André. O atacante chutou de bico e acertou o canto inferior esquerdo de Aranha, marcando seu segundo gol no jogo.

Para piorar a situação santista, Thiago Ribeiro se lesionou, mas a equipe já havia feito as três alterações, ficando com um a menos no jogo.

Técnico do Santos lamenta chances perdidas, mas admite Atlético-MG superior

Equipe de Oswaldo de Oliveira saiu na frente na Arena Pantanal, mas levou a virada diante do desfalcado time de Belo Horizonte

O Santos saiu na frente contra o Atlético-MG e tinha tudo para confirmar a vitória no segundo tempo, diante de um adversário bastante desfigurado. Aconteceu exatamente o oposto e o Peixe levou a virada na Arena Pantanal . Oswaldo de Oliveira lamentou algumas chances perdidas no segundo tempo.

“Foram detalhes, jogadas de contra-ataque. Tivemos duas chances, até melhores que eles, mas eles fizeram, e nós, não”, declarou.

Outro fator apontado pelo técnico santista para a derrota foi o cansaço e a sequência de jogos. Na última quinta-feira, enquanto o Galo descansou, o Peixe encarou o Princesa de Solimões-AM, em duelo válido pela Copa do Brasil.

“Sabíamos que teríamos muitas dificiuldades. Tivemos o jogo da Copa do Brasil (contra o Princesa do Solimões-AM) no meio da semana, viagem, desfalques… Sentimos muito. A saída do Cicinho (suspenso) e do Alison e do Jubal (na seleção sub-21) foram sentidas. Os que entraram voltavam de contusão, acabou sendo um peso grande”, completou.