Santos 3 x 1 Goiás

Data: 01/11/1998, domingo.
Competição: Campeonato Brasileiro – 1ª fase – 22ª rodada (penúltima)
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 11.832 pagantes
Renda: R$ 108.630,00
Árbitro: Carlos Eugênio Simon (RS)
Cartões amarelos: Jean e Claudiomiro (S); Aloísio, Célio Silva e Ronildo (G).
Gols: Narciso (15-1) e Alessandro (32-1); Ranielli (32-2) e Bechara (38-2).

SANTOS
Zetti; Baiano, Jean, Claudiomiro (Gustavo Nery) e Athirson; Marcos Bazílio, Narciso, Eduardo Marques (Messias) e Róbson Luis; Alessandro (Bechara) e Viola.
Técnico: Emerson Leão

GOIÁS
Ricardo Pinto; Luiz Paulo, Célio Silva, Gito e Ronildo; Reidner, Túlio, Richard (Alex) e Fernandão; Araújo e Aloísio (Ranielli).
Técnico: Carlos Alberto Silva



Santos vence após “jejum’ em outubro

Resultado coloca time em terceiro no Brasileiro

Depois de passar o mês de outubro inteiro sem vitórias no Brasileiro (quatro empates e duas derrotas), o Santos espantou a má fase e bateu o Goiás, ontem, na Vila Belmiro, por 3 a 1. O resultado colocou o time em terceiro lugar, com o mesmo número de pontos (41) do Palmeiras. O ataque santista passou a ser o melhor da competição -com 45 gols.

O Santos não teve dificuldades para construir o placar de 2 a 0 no primeiro tempo. Desde o início, a equipe tinha o domínio territorial da partida, acuando o time do Goiás em seu campo.

O Santos conseguiu seu primeiro gol aos 15min. Depois de ter driblado Célio Silva, Alessandro foi derrubado pelo zagueiro. Athirson cobrou a falta, colocando a bola na cabeça de Narciso: 1 a 0.

Aos 32min, Baiano cruzou, e Alessandro, livre de marcação, completou para o gol. Enquanto Alessandro comemorava sozinho, os demais jogadores do Santos correram para abraçar Baiano, que até então fazia uma partida ruim, sendo vaiado pelos torcedores.

O Santos perdeu duas chances de ampliar o placar nos seis primeiros minutos da segunda etapa, com Robson Luiz e Viola.

O Goiás se animou a partir dos 32min, quando Ranielli diminuiu a diferença no placar, completando um cruzamento de cabeça.

Seis minutos depois, o meia Bechara, que havia entrado no lugar de Alessandro, cobrou falta no canto esquerdo de Ricardo Pinto, selando a vitória.

Equipe tenta disputa de playoffs na Vila

O Santos vai tentar um artifício para disputar no estádio da Vila Belmiro as partidas dos playoffs do Campeonato Brasileiro 1998. O regulamento da competição exige estádios com pelo 25 mil lugares nos playoffs.

A Vila Belmiro está liberada pela Polícia Militar para receber até 21.120 pagantes.

Para conseguir atuar na Vila, a diretoria do clube estuda a possibilidade de comprar os ingressos referentes à diferença entre a lotação permitida pela PM e a exigida pelo regulamento da competição.

“Não queremos nos valer disso, mas é uma possibilidade. Na pior das hipóteses, poderemos comprar alguns ingressos”, disse o técnico santista, Leão.

Se não puder atuar na Vila, o Santos mandará seus jogos na cidade de São Paulo, no Morumbi ou no Pacaembu.



Santos busca classificação e amarelos ( Em 01/11/1998 )

Time pretende assegurar contra o Goiás a vaga entre os quatro primeiros do Brasileiro-98 e “limpar” cartões

O Santos tem dois objetivos na partida de hoje à tarde contra o Goiás, na Vila Belmiro -vencer para garantir a classificação entre os quatro primeiros e administrar a situação da equipe com relação aos cartões amarelos.

A equipe tem 38 pontos. Para o técnico Emerson Leão, com mais três o time será pelo menos o quarto colocado, posição que ocupa atualmente na tabela. Se alcançar esse objetivo, o Santos terá a vantagem, na primeira etapa dos playoffs, de decidir em casa a vaga para a etapa seguinte.

Leão também prepara, a partir do jogo de hoje, uma estratégia para começar a fase decisiva do campeonato sem jogadores suspensos. “Teremos de fazer alguns acertos de cartões amarelos”, declarou.

O Santos tem seis “pendurados” com dois amarelos -Baiano, Gustavo, Claudiomiro, Eduardo Marques, Athirson e Alessandro.

Todos os jogadores dos clubes classificados iniciarão a etapa de playoffs sem cartões amarelos. Mas o atleta que completar uma série de três amarelos na última rodada da fase atual -restam duas- cumprirá a suspensão na primeira partida dos playoffs.

A rigor, o técnico não precisa orientar os jogadores a forçar o cartão diante do Goiás para que eles cumpram suspensão contra o Botafogo, no Rio, último jogo da equipe na primeira fase.

Caso nenhum dos “pendurados” receba o terceiro hoje, bastará ao treinador não escalá-los diante do Botafogo. Assim, eles entrarão no playoff sem cartões.

O problema é que o Santos precisa vencer hoje para obter a vaga entre os quatro primeiros sem depender do jogo contra o Botafogo. Por isso, Leão deverá decidir sobre os cartões somente durante a partida, dependendo das circunstâncias.

“Vamos agir de acordo com o que o treinador pedir, mas é perigoso ir para o último jogo pendurado”, afirmou o volante Claudiomiro, recordista de cartões amarelos do time (oito).

Para o Goiás, que está na 22ª posição, uma derrota hoje deixa o time praticamente rebaixado. A novidade do time é o atacante Aloísio, de volta à equipe depois de cumprir suspensão.

Viola não faz promessas

Depois de cumprir um jogo de suspensão por ter recebido o terceiro cartão amarelo, Viola volta hoje ao Santos sem prometer gols. Vice-artilheiro do Brasileiro, com 16 gols, o atacante não marca desde 15 de outubro, quando fez dois no empate em 3 a 3 contra o América-MG.

Segundo Viola, a queda de rendimento do Santos nas últimas rodadas do campeonato pode ser considerada normal.

“Todas as equipes que no começo tiveram alto índice de aproveitamento caíram. Isso aconteceu com Corinthians, Palmeiras e Santos. E outros times cresceram.”

Para ele, a ausência de Lúcio -que só poderá voltar a jogar em 99- não afetará a sua performance. “É lógico que o Lúcio foi um jogador que nos serviu muito. É um jogador que, além da velocidade e habilidade, também tinha presença de área e fazia seus gols.”