Santos 1 x 1 Ferroviária

Data: 04/03/1994, sexta-feira, 20h30.
Competição: Campeonato Paulista – 1º turno – 10ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 2.949 pagantes
Renda: CR$ 8.522.500,00
Árbitro: Roberto Perazi
Gols: Carlinhos (20-2) e Estrela (33-2).

SANTOS
Gilberto; Luciano, Júnior, Maurício Copertino e Silva; Gallo, Carlinhos e Cassinho; Macedo (Neizinho), Demétrios (Marcelo Passos) e Serginho Fraldinha.
Técnico: Pepe

FERROVIÁRIA
Rafael; Marquinhos, Vilmar, Luciano e Paulo Oliveira; João Batista, Joãozinho (Otávio Augusto) e César; Paulo Américo, Daniel (Estrela) e Edelvan.
Técnico: Rubens Minelli



Equipe empata em casa e goleiro Gilberto sofre agressão

O goleiro do Santos, Gilberto, foi agredido às 22h50 de ontem próximo ao vestiário da equipe, depois do empate de seu time com a Ferroviária em 1 a 1 na Vila Belmiro.

Segundo o massagista Ary, cerca de 15 torcedores santistas cercaram Gilberto e um deles deu um soco no rosto do goleiro. Ele disse que foram os mesmos que atacaram os jogadores no aeroporto de Cumbica, antes do embarque para o Japão.

Após agressão, Gilberto voltou para dentro do vestiário, quebrou duas garrafas e tentou sair para brigar com os cacos na mão. O goleiro foi contido por diretores e jogadores. “A gente compreende, mas não aceita esta atitude”, disse o ex-jogador Clodoaldo. Gilberto não quis comentar a agressão.

O Santos tinha dois técnicos no banco, Serginho e Pepe. Os gols do empate de 1 a 1 saíram no segundo tempo, etapa em que todas as seis torcidas organizadas que compareceram ao jogo, em sinal de protesto, viraram de cabeça para baixo as suas faixas.

As primeiras vaias surgiram aos 20min do primeiro tempo, quando o Santos começou a errar passes e permitir à Ferroviária chegar, nos contra-ataques, ao gol de Gilberto. Nervosos, os jogadores do Santos conseguiram duas oportunidades de gol nesta etapa. Todas elas durante os 10 minutos iniciais.

Para o segundo tempo, Serginho retirou Macedo e colocou Neizinho. A mudança não surtiu efeito e o time continuou atacando sem esquema tático definido.

Aos 20min, num rebote da zaga da Ferroviária, Carlinhos chutou forte da entrada da área e marcou o gol do Santos.

A partir daí, a Ferroviária, que se mantinha recuada jogando nos contra-ataques, passou a pressionar o Santos. Aos 33min, Estrela aproveitou uma falha da zaga santista e empatou o jogo. O gol da Ferroviária desestabilizou ainda mais o Santos, que até o final do jogo não conseguiu levar perigo ao gol do adversário.



Técnico é a incógnita no Santos hoje ( Em 04/03/1994 )

Até ontem, o auxiliar-técnico Serginho Chulapa não tinha certeza se iria dirigir o time do Santos no jogo de hoje, contra a Ferroviária, às 20h30, na Vila Belmiro. A indefinição atingia a escalação do time. A única certeza é a estréia do centroavante Demétrios.

O técnico Pepe e os titulares que realizaram três jogos no Japão desembarcam às 9h de hoje no aeroporto de Cumbica, em São Paulo. Ontem, a diretoria discutia a possibilidade de pedir a Pepe que comande o time na noite de hoje. Além disso, alguns dos titulares que atuaram no Japão podem ser chamados a reforçar o time.

Entre os jogadores que viajaram ao Japão, o zagueiro Júnior, o meio-campo Gallo e o atacante Neizinho são os mais cotados para enfrentar a Ferroviária. No banco, podem ficar o goleiro Edinho, o zagueiro Cerezo e o meia Ranielli.

Se for o técnico hoje à noite, Serginho pretende armar uma equipe ofensiva. “Independente do time, o que vai prevalecer é o meu estilo”, disse. Segundo ele, o Santos será um time “solto”, sem preocupações defensivas, voltado exclusivamente para encurralar o adversário em seu campo defensivo e buscar o gol.

Sobre a estreia do centroavante Demétrios, 23, Serginho se mostrou otimista. “Ele chuta bem e é veloz”, afirmou. Para Demétrios, a maior preocupação é a forma física. “Estou a 60% do meu melhor condicionamento”, declarou.

Entre os jogadores que voltam à equipe, a maior expectativa é do goleiro Gilberto. Afastado do time, ele acredita já ter readquirido condições para voltar. “Quero apagar da cabeça da torcida a falha contra o São Paulo”, disse.

Jogo marca a estreia de Rubens Minelli na Ferroviária. O novo treinador substitui Vail Mota, demitido ontem.

Pepe teme cansaço do time

A equipe do Santos voltou ontem de uma excursão de 11 dias ao Japão. Foram três jogos, com duas vitórias e um empate: 1 a 0 contra o Bellmare Hiratsuka; 2 a 1 contra o Gamba Osaka; e 0 a 0 com o Kashiwa Reysol.

Técnico e jogadores disseram que voltaram ao Brasil mais unidos e confiantes em uma recuperação da equipe no Campeonato Paulista.

O técnico Pepe retornou reclamando do desgaste físico pela viagem e anunciou apenas um treinamento leve para hoje à tarde como preparação para a partida contra o Palmeiras, amanhã à noite, no Pacaembu. Pepe teme o cansaço dos jogadores durante a partida. “Só espero que eles não durmam em campo.” O treinador se mostrou preocupado com a maratona de jogos, iniciada ontem. São, ao todo, sete partidas em 14 dias.

Para o jogador Ranielli, a viagem melhorou bastante o clima entre os jogadores.

Pepe afirmou que não trouxe nenhuma proposta concreta para se transferir para o futebol japonês. “Tenho muito prestígio lá, graças a Deus, mas desta vez nada foi acertado.”