Vitória 4 x 0 Santos

Data: 29/10/1995, domingo.
Competição: Campeonato Brasileiro – 2º turno – 5ª rodada
Local: Estádio do Barradão, em Salvador, BA.
Público: 3.712 pagantes
Renda: R$ 34.595,00
Árbitro: Valdomiro Matias Filho (PE).
Cartões amarelos: Cristiano, Roberto, Cleison (V). Jean, Jamelli, Marcos Adriano e Giovanni (S).
Gols: Adoílson (42-1); Cleison (17-2), Paulinho Kobayashi (24-2) e Paulinho Kobayashi (39-2).

VITÓRIA
Nilson; Elias, Flávio (Émerson), Adilson e Roberto; Cristiano, Nei Santos, Bebeto Campos e Adoílson; Cleison (Silvinho) e Wilson (Paulinho Kobayashi).
Técnico: Geninho

SANTOS
Edinho; Marcelo Silva, Jean, Narciso e Marcos Adriano; Gallo, Pintado, Vágner (Camanducaia) e Robert; Jamelli e Giovanni.
Técnico: Cabralzinho



Santos sofre goleada de 4 a 0 na Bahia

O Santos foi goleado ontem, pelo Vitória, por 4 a 0, em Salvador (BA).

O time baiano conseguiu interromper uma sequência de cinco derrotas contra o clube que continua na liderança o Grupo B do Campeonato Brasileiro.

O Vitória começou o jogo pressionando. Logo aos 2min, o meia Adoílson cobrou uma falta com perigo. O goleiro Edinho fez uma boa defesa.

O técnico Cabralzinho, do Santos, tentou conter o ímpeto do time baiano mandando o seu meio-campo segurar mais a bola.

O Santos só conseguiu uma jogada de perigo aos 23min, quando o atacante Jamelli chutou cruzado e o goleiro Nilson defendeu.

O Vitória começou a jogar em cima dos erros da defesa santista, que desperdiçava passes.

Até o principal jogador do Santos, o meia-atacante Giovanni, jogava mal e aumentava o número de passes errados do time.

Com as facilidades dadas pelo Santos, o Vitória chegou ao primeiro gol aos 42min. Ney Santos chutou de fora da área e Adoílson desviou a bola.

No segundo tempo, o técnico Cabralzinho tentou dar mais poder de ataque. Tirou o meia Vágner e colocou o atacante Camanducaia.

Aos 11min, o Santos teve sua maior chance de marcar, quando Giovanni fez sua única boa jogada no jogo. Ele driblou os zagueiros do Vitória e dividiu com o goleiro Nilson. A bola sobrou para Jamelli, que chutou e desperdiçou.

O técnico Geninho, do Vitória, percebendo um maior volume de jogo do adversário, tirou o atacante Wilson e colocou Kobayashi.

O segundo gol ocorreu aos 17min. Cleison aproveitou uma sobra da defesa e chutou cruzado no ângulo direito.

Aos 24min, Kobayashi entrou tabelando com Adoílson e chutou rasteiro. A bola desviou na zaga e entrou no canto esquerdo.

Aos 39min, aconteceu o gol mais bonito da partida. Adoílson recebeu o lançamento, driblou o zagueiro Narciso e passou para Kobayashi.
O atacante driblou Edinho antes de fazer o gol e sair para comemorar com o banco de reservas.

Defesa preocupa jogadores

Após o jogo, o técnico Cabralzinho disse que o Santos fez uma partida ruim. “Foi um acidente de percurso. O Vitória jogou muito bem”, afirmou.

“Nossa defesa é inexperiente. O Jean, por exemplo, tem 17 anos. Mas eles (os zagueiros) estão melhorando a cada jogo”, disse o meia defensivo Gallo.

O técnico tentou minimizar o problema. “O Santos é assim desde a época em que eu jogava. Sempre foi um time ofensivo, que fazia muitos gols, mas se descuidava da defesa”, disse.

Cabralzinho atuou no clube na década de 60. Neste Brasileiro, o time levou 29 gols.

O meia-atacante Giovanni levou o terceiro cartão amarelo e não enfrenta o Flamengo, dia 9, no Maracanã.

“Esse é um jogo para se esquecer. Ainda tem muita coisa pela frente e vamos brigar pela classificação”, afirmou, no final do jogo.

O contrato de Giovanni com o Santos acaba no dia 31 de dezembro. O presidente do clube, Samir Jorge, voltou a dizer que não pretende vender o passe do jogador para o São Paulo.

09/11/1995 – Jamelli suspenso por três jogos

O técnico Cabralzinho ficou irritado com a punição imposta a Jamelli anteontem pela CBF (Confederação Brasileira de Futebol).

Jamelli, expulso contra o Bragantino, foi punido com três jogos de suspensão. Ele ficará fora das partidas contra Flamengo e o Paraná, só retornando ao time no jogo contra o Corinthians, dia 19.

“Isso significa que a CBF está punindo quem joga futebol. Quem pratica o antijogo está sendo beneficiado”, disse Cabralzinho.