Santos 3 x 3 Fortaleza

Data: 25/08/2019, domingo, 16h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 16ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, Santos, SP.
Público: 12.515 pagantes
Renda: R$ 434.275,00
Árbitro: Rodrigo D’alonso Ferreira (SC)
Auxiliares: Helton Nunes e Alex dos Santos (ambos de SC).
VAR: Rafael Traci (SC)
Cartões amarelos: Carlos Sánchez, Marinho e Jorge (S); Juninho, Carlinhos e Felipe (F).
Gols: Marinho (01-1), Jorge (09-1) e Eduardo Sasha (31-1); Wellington Paulista (14-2), Wellington Paulista (22-2) e Tinga (49-2).

SANTOS
Everson; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, Felipe Aguilar e Jorge; Alison, Diego Pituca e Evandro (Carlos Sánchez); Marinho, Soteldo (Derlis González) e Eduardo Sasha (Jean Mota).
Técnico: Jorge Sampaoli

FORTALEZA
Felipe Alves; Tinga, Quintero, Jackson e Carlinhos; Felipe, Gabriel Dias (André Luis) e Juninho; Edinho (Osvaldo), Romarinho (Felipe Pires) e Wellington Paulista.
Técnico: Zé Ricardo



Santos abre 3 a 0, mas sofre empate do Fortaleza e perde a liderança

O Santos abriu 3 a 0, mas permitiu o empate do Fortaleza na tarde deste domingo, na Vila Belmiro, pela 16ª rodada do Campeonato Brasileiro. Os gols do Peixe, ainda no primeiro tempo, foram marcados por Marinho, Jorge e Eduardo Sasha. O Tricolor reagiu com dois de Wellington Paulista e outro de Tinga.

O Alvinegro dominou os primeiros 45 minutos por completo, porém, caiu de rendimento na segunda metade. O Fortaleza se aproveitou, procurou o empate até o fim e foi coroado aos 49.

Com o resultado, o Santos caiu para a vice-liderança do Brasileirão, agora com 33 pontos, levando desvantagem em relação ao Flamengo nos critérios de desempate.

O jogo

O Santos dominou o primeiro tempo por completo. Sem Carlos Sánchez e com Alison na cabeça de área, o técnico Jorge Sampaoli liberou Victor Ferraz e Jorge no ataque e acuou o Fortaleza.

O primeiro gol veio logo no minuto 1, quando Jorge lançou Evandro, o meia ajeitou e Sasha viu Marinho sozinho para deslocar o goleiro Felipe Alves.

O Peixe seguiu em cima e ampliou aos 9, quando Felipe socou a bola em escanteio e Jorge fez um golaço, de primeira, de fora da área. A vitória estava encaminhada antes do placar chegar aos 10 minutos.

O Alvinegro diminuiu o ritmo, mas nunca perdeu o controle do jogo e pouco sofreu na defesa. O terceiro veio naturalmente, aos 31. Jorge (de novo ele) lançou e deixou Sasha sozinho. O atacante encobriu Felipe Alves e viu o auxiliar levantar o bandeira. A arbitragem, porém, validou o gol com o auxílio do VAR.

Insaciável, o Santos faria o quarto gol logo aos cinco minutos, com Soteldo, mas a arbitragem anulou o lance por impedimento após o cruzamento de Evandro.

Aos 14 minutos, o VAR foi acionado novamente. Aguilar derrubou Edinho na área e o juiz marcou pênalti depois de conferir pelo vídeo. Wellington Paulista converteu.

O Fortaleza se animou com o gol e diminuiu aos 22. Carlinhos cruzou, Aguilar não marcou, Everson saiu mal do gol e Wellington Paulista, de novo, fez o segundo.

O Santos sentiu a reação dos visitantes e parou de criar. O Peixe só melhorou quando Jean Mota e Sánchez entraram, entre os minutos 25 e 30. Aos 34, Jean recebeu sozinho de Pituca e perdeu chance claríssima.

O Fortaleza não desistiu e chegou ao empate aos 49 minutos do segundo tempo, em nova falha de Felipe Aguilar. O zagueiro não cortou cruzamento e Tinga deslocou Everson.

Bastidores – Santos TV:

Sampaoli vê empate injusto do Santos: “Resultado angustiante pelo domínio”

O técnico Jorge Sampaoli vê como “injusto” o empate do Santos em 3 a 3 com o Fortaleza neste domingo, pela 16ª rodada do Campeonato Brasileiro, na Vila Belmiro.

O Peixe abriu 3 a 0 no primeiro tempo, mas caiu de rendimento e viu o empate do Tricolor aos 49 minutos do segundo tempo.

“Estamos avaliando isso. Essa vulnerabilidade precisa ser corrigida. No primeiro tempo tivemos muita intensidade e pressão, rival mal chutou, e no segundo foi pouco. São erros pontuais e temos que analisar bem. Fico com o primeiro tempo e os 15 do segundo tempo. Equipe arrojada, que atacou bem um time que estava na defesa. Resultado é angustiante pelo domínio e superioridade. Empatar não passava na minha cabeça. Vi tanta superioridade que imaginei um resultado melhor para nós, por isso não corrigi (não fez substituições durante a reação”, disse Sampaoli, em entrevista coletiva.

“Tudo tem a ver com o estilo. Quando pressionamos, fizemos os gols, criamos, depois diminuímos a pressão inicial. Fortaleza fez gol em jogada estranha de pênalti, antes fizemos um gol válido para mim. Seguimos buscando, pênalti diminuiu nosso ritmo. Eles converteram um contra-ataque e levaram empate no fim. Foi injusto, tivemos uma grande superioridade”, completou.

Com o resultado, o Santos segue na liderança do Brasileirão, agora com 33 pontos, mas pode ser ultrapassado por Flamengo e Palmeiras.

Sampaoli explica Sánchez no banco e defende Aguilar após empate do Santos

O técnico do Santos, Jorge Sampaoli, explicou a opção por Carlos Sánchez no banco de reservas no empate em 3 a 3 com o Fortaleza neste domingo, na Vila Belmiro, pela 16ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Sampaoli armou o Peixe com Alison, Diego Pituca e Evandro no meio-campo. Após pedidos do torcedor, o uruguaio entrou no segundo tempo e não evitou a reação do Tricolor.

“Evandro tem treinado muito bem, escolhemos um pelo outro (Evandro na função de Sánchez). Alison foi mais pelo equilíbrio no meio-campo. Não vi segundo tempo irregular. Os que entraram não modificaram muito a equipe. São momentos e o rival aproveitou. O segundo gol nos golpeou. Nos colocou no terreno de imprecisão. E quando não jogamos, mostramos certa vulnerabilidade”, disse Sampaoli.

O treinador argentino também defendeu Felipe Aguilar. O zagueiro falhou nos três gols do Fortaleza – cometeu um pênalti, não acompanhou Wellington Paulista e deu “assistência” para Tinga.

“São momentos. Aguilar fez um jogo muito bom, mas teve erros pontuais que interferiram no resultado. Isso desfigura um pouco a atuação. Confio muito nele, é nobre, que deixa tudo e se entrega totalmente. Ele está no último terço e erros aparecem mais. Ainda mais quando se convertem em gols. Temos que levantar quem não vive o melhor momento”, completou Sampaoli.

Marinho se irrita com empate do Santos: “Conseguiram devido ao sono do time”

Marinho teve a chance de ser titular, fez um dos gols do Santos e tinha tudo para terminar o domingo feliz. No fim das contas, porém, o Peixe permitiu o empate do Fortaleza em 3 a 3 na Vila Belmiro e, para piorar, o atacante recebeu o terceiro cartão amarelo e não enfrentará a Chapecoense no sábado, na Arena Condá, pela 17ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O camisa 11 se irritou demais com o tropeço. No terceiro gol dos visitantes, chegou a se socar de raiva. Em entrevista ao Esporte Interativo, desabafou.

“No segundo tempo não entramos em campo. Fortaleza conseguiu o pênalti, falamos ‘vamos acordar’, ‘vamos acordar’, e deixar para acordar no fim do jogo não dá. Conseguiram fazer gol devido ao sono do time. Quem briga pela liderança não pode fazer isso. Temos que conversar, rever, não podemos dar essa brecha. Com todo respeito, eles vão brigar na parte de baixo. Nós temos que brigar por título e temos que fazer três, quatro. Matar o jogo! Poderíamos ter feito mais e não jogamos. Demoramos muito para acordar”, disse Marinho.

Sem vencer há três jogos, o Santos perdeu a liderança do Brasileirão para o Flamengo nos critérios de desempate.

Victor Ferraz diz que Santos “pagou pela ofensividade” em empate na Vila

Victor Ferraz acha que o Santos “pagou pela ofensividade” no empate em 3 a 3 com o Fortaleza neste sábado, na Vila Belmiro, pela 16ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O Peixe fez 3 a 0 no primeiro tempo e permitiu o empate na etapa final. O último gol saiu aos 49 minutos do segundo tempo.

“Tivemos chances e não fizemos, poderíamos ampliar. A gente paga pelo estilo de jogo ofensivo. Inexplicável. A gente quer fazer mais e mais. O importante é não deixar cair, ainda somos líderes do campeonato”, disse Victor Ferraz, à Globo.

“Não vou dizer que faltou atenção, todo mundo se cobra, futebol às vezes acontece isso. A gente quer atacar o tempo inteiro, o treinador que fala, a gente poderia ter posicionado um pouco mais, não ter dado certas brechas, mas isso é coisa para falar depois”, completou.

Sampaoli se preocupa com Aguilar e pode blindar zagueiro no Santos

O técnico Jorge Sampaoli está preocupado com Felipe Aguilar. O zagueiro do Santos perdeu a confiança após sucessão de erros no Campeonato Brasileiro.

O colombiano fez um pênalti e escorregou em gol de Alexandre Pato no clássico contra o São Paulo. Suspenso, não enfrentou o Cruzeiro e retornou diante do Fortaleza no último domingo, quando comprometeu novamente – mais uma penalidade e erros de marcação nos outros dois gols.

Aguilar estava abatido no vestiário e recebeu o apoio dos companheiros. Sampaoli costuma optar pela sequência de jogos para reabilitar um atleta, mas no caso do defensor o caminho pode ser não atuar diante da Chapecoense no sábado, na Arena Condá, pela 17ª rodada do Campeonato Brasileiro. A decisão será tomada após o treinador analisar a reação do jogador durante a semana no CT Rei Pelé.

“São momentos. Aguilar fez um jogo muito bom, mas teve erros pontuais que interferiram no resultado. Isso desfigura um pouco a atuação. Confio muito nele, é nobre, que deixa tudo e se entrega totalmente. Ele está no último terço e erros aparecem mais. Ainda mais quando se convertem em gols. Temos que levantar quem não vive o melhor momento”, disse Sampaoli, em entrevista coletiva.