Flamengo 1 x 0 Santos

Data: 14/09/2019, sábado, 17h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 1º turno – 19ª rodada – (última)
Local: Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro, RJ.
Público: 62.510 pagantes (68.243 total)
Renda: R$ 3.328.050,95
Árbitro: Braulio da Silva Machado (SC)
Auxiliares: Kleber Lucio Gil e Henrique Neu Ribeiro (ambos de SC).
VAR: Rafael Traci (SC)
Cartões amarelos: Gustavo Henrique, Lucas Veríssimo, Marinho, Jorge Sampaoli, Cueva e Soteldo (S); Gabriel, Bruno Henrique e Jorge Jesus (F).
Gol: Gabriel (43-1).

FLAMENGO
Diego Alves; Rafinha, Rodrigo Caio, Pablo Marí e Filipe Luis (Renê); Willian Arão, Gerson, Éverton Ribeiro e Arrascaeta (Berrio); Bruno Henrique e Gabriel.
Técnico: Jorge Jesus

SANTOS
Everson; Lucas Veríssimo, Lucas Peres (Uribe) e Gustavo Henrique; Victor Ferraz, Alison, Carlos Sánchez (Felipe Jonatan) e Jorge; Marinho, Eduardo Sasha (Cueva) e Soteldo.
Técnico: Jorge Sampaoli



Santos sofre com Gabigol e Flamengo disparara na ponta do Brasileirão

Gabriel Barbosa ganhou o apelido de Gabigol ainda nas categorias de base do Santos. Na tarde/noite desse sábado, o atacante colocou toda sua categoria em prática para reforçar a fama de matador justamente contra o clube que o criou para o futebol.

Com uma batida cavada, de fora da área, a la Ronaldo Fenômeno contra o mesmo Santos, o artilheiro do Campeonato Brasileiro encobriu Everson, chegou a 16 gols na competição – 30 no ano – e garantiu a vitória do Flamengo por 1 a 0 frente a 68.243 pessoas no estádio do Maracanã.

O triunfo também deu ao Rubro-Negro o título simbólico do primeiro turno. Com 42 pontos, os cariocas deixaram o Santos para trás, agora estacionados com 37 pontos depois de 19 rodadas e com a segunda colocação a perigo.

No próximo sábado, o líder do Brasileirão visita o Cruzeiro, no Mineirão, às 17h (de Brasília), enquanto os santistas recebem o Grêmio na Vila Belmiro no mesmo dia, mas às 21 horas.

O triunfo flamenguista nesse sábado saiu de um confronto marcado pelo equilíbrio. A etapa inicial teve os donos da casa com mais posse de bola, mas os visitantes com contra-ataques perigosos. Em oportunidades claras de gol, porém, os dois ficaram devendo.

O intervalo se aproximava quando Sasha deu a bola de presente para Éverton Ribeiro ainda no meio de campo. O meia rapidamente ligou Gabriel na ponta direita. Sem muita companhia e com Gustavo Henrique na marcação, o camisa 9 limpou para a canhota e bateu por cima de Everson, que estava adiantado no lance. Caprichosamente, a bola ainda tocou o travessão antes de balançar as redes.

“É uma vergonha tomar um gol desse. A gente tem que ter mais atenção no jogo”, cobrou o lateral Jorge, logo após acusar seu xará, técnico do Flamengo de lhe ter dado tapas no rosto. O princípio de confusão foi resolvido na sequência, com Jorge Jesus se desculpando e explicando que não teve má intenção.

Com os ânimos quentes, mas sem exageros dessa vez, o segundo tempo teve cartões para os dois técnicos gringos, muitas substituições, mas pouco a se falar sobre lances de gol. Uma jogada de futsal de Bruno Henrique em cima de Victor Ferraz e que acabou com a defesa de Everson foi o máximo que se viu de brilho nesse sentido.

O último apito do árbitro surgiu para pôr fim ao jogo e dar de vez a liberação para uma enorme festa dos flamenguistas, tanto dentro quanto fora de campo. O Santos, restou lamentação pelo resultado negativo em uma das ‘finais’ do Campeonato Brasileiro.

Everson atribui gol por cobertura a estilo de jogo do Santos

Everson levou um dos gols mais bonitos do Campeonato Brasileiro nesse sábado. Adiantado, o goleiro do Santos foi surpreendido por Gabigol, que de fora da área encobriu o arqueiro e, assim, deu a vitória ao Flamengo no Maracanã.

Famoso pela capacidade em jogar com os pés, Everson reconheceu que poderia defender o arremate, caso estivesse posicionado sem se preocupar em ter de sair.

“Se eu tivesse debaixo do gol, com certeza seria defensável, mas temos um estilo de jogo. Eu tenho que jogar adiantado pelo nosso estilo de jogo, tinha um jogador deles fazendo o facão e que poderia receber (a bola), mas se eu tivesse debaixo do gol seria defensável, sim. Mas mérito do Gabigol”, disse, ao Premiere, na saída do campo.

“Agora é colocar as coisas no lugar, sabíamos que seria difícil aqui, tomamos um gol no detalhe, viemos de dois empates na Vila, sabemos que somos fortes na Vila, nada melhor que descansar e voltar à Vila contra o Grêmio para retomar as vitórias”, concluiu, já projetando a próxima rodada do Campeonato Brasileiro.

Jorge Sampaoli aprova atitude do Santos em derrota para o Flamengo

O técnico do Santos concedeu uma tranquila entrevista coletiva após perder para o Flamengo em um confronto direto na briga pelo título do Campeonato Brasileiro. A postura do treinador argentino teve total relação com o que a equipe alvinegra apresentou no Maracanã, apesar da derrota.

“Enfrentamos um rival com muita moral, fora de casa. Não nos apequenamos, não tivemos medo, tentamos jogar. Competimos de maneira intensa. A forma que a equipe se portou me deixa tranquilo. Existem formas de perder, mas a de hoje não me preocupa. Santos perdeu o jogo, mas não perdeu sua identidade”, analisou, reforçando a tese de que o Peixe não teve um resultado melhor no Rio de Janeiro por causa do poder de decisão individual.

“Diante da igualdade que se deu hoje, apareceu um jogador que fez um gol que ninguém esperava. Foi muito equilibrado. Existem individualidades que resolvem, não tínhamos muito o que fazer. Nosso time foi valente, não teve medo. Fizemos o que correspondia. Faltou mais pensar na última jogada para tentar um resultado melhor. Viemos buscar a ponta do campeonato e não conseguimos. Foi um jogo igual contra uma equipe que vive um grande momento”, concluiu.

Capitão do Santos já projeta reencontro com Flamengo: “Na Vila o bicho pega”

O Santos saiu de campo derrota pelo Flamengo nesse sábado. O revés causou um distanciamento da liderança justamente na última rodada do primeiro turno. Ainda assim, o capitão santista, Victor Ferraz, preferiu enxergar o lado positivo que o confronto direto apresentou para os paulistas no Maracanã.

“Foi um grande jogo. Eles jogaram muito bem, estão confiantes, com ritmo forte. A gente veio com a proposta de atacar bastante também, pode ver que eles não tiveram muitas chances claras, foi um jogo parelho, de líderes”, analisou o lateral, ao Premiere.

“A gente sai chateado, porque queria ganhar, mas vamos melhorar. Claro que nosso objetivo era acabar (o primeiro turno) em primeiro. Deixamos alguns ‘pontos ganhos’, mas foi um grande primeiro turno e o torcedor pode ficar tranquilo, porque vamos fazer um grande segundo turno e, quem sabe, a gente não pode encontrar o Flamengo na última rodada de novo, e a gente sabe que lá na Vila o bicho pega também”, avisou.

Santos faz melhor turno no Campeonato Brasileiro desde 2016

Com a derrota para o Flamengo, o Santos não conseguiu terminar a primeira metade do Campeonato Brasileiro na liderança. No entanto, o clube ainda alcançou uma marca importante. Com 37 pontos conquistados nas 19 rodadas iniciais, este foi o melhor turno do Peixe desde o Brasileirão de 2016, vencido pelo Palmeiras.

Na ocasião, o Alvinegro Praiano somou 38 pontos no segundo turno da competição, em campanha que culminou no vice-campeonato. Em relação apenas à pontuação do primeiro turno, o desempenho do Santos é o melhor desde 2004, quando a equipe conseguiu 41 pontos. No entanto, o Brasileirão da época era composto por 24 times na primeira divisão, com 23 rodadas por turno.

Desse modo, o aproveitamento nas 19 rodadas iniciais do Campeonato Brasileiro de 2019 é o melhor do Peixe na primeira metade da competição em toda a história dos pontos corridos. Com 64,91% de eficiência, a equipe comandada por Jorge Sampaoli ultrapassou os 59,42% de 2004 e os 63,76% de 2003, quando o Alvinegro Praiano fez 44 pontos nas 23 primeiras rodadas.