Fluminense 1 x 1 Santos

Data: 26/09/2019, terça-feira, 20h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 21ª rodada
Local: Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro, RJ.
Público: 11.032 pagantes
Renda: R$ 141.015,00
Árbitro: Wilton Pereira Sampaoli (GO)
Auxiliares: Fabricio Vilarinho da Silva (GO) e Guilherme Dias Camilo (MG).
VAR: Andre Luiz de Ferreira Castro (GO)
Cartões amarelos: Yuri Lima e Allan (F); Alison, Diego Pituca e Marinho (S).
Cartão vermelho: Digão (F, 26-2), Frazan (F, 47-2) e Marinho (S, 53-2).
Gols: Soteldo (39-1) e Lucas Veríssimo (47-1, contra).

FLUMINENSE
Muriel; Gilberto, Nino, Digão e Caio Henrique; Yuri Lima, Allan, Ganso (Daniel) e Nenê (Frazan); Yony (Wellington Nem) e João Pedro.
Técnico: Oswaldo de Oliveira

SANTOS
Everson; Lucas Veríssimo, Felipe Aguilar (Victor Ferraz) e Gustavo Henrique; Derlis González (Carlos Sánchez), Alison, Diego Pituca e Felipe Jonatan; Eduardo Sasha, Soteldo e Uribe (Marinho).
Técnico: Jorge Sampaoli



Santos fica com dois a mais no fim, mas só empata com o Fluminense em noite de briga de Oswaldo com Ganso

Fluminense e Santos empataram em 1 a 1 na noite desta quinta-feira, no Maracanã, pela 21ª rodada do Campeonato Brasileiro. Os gols foram marcados por Soteldo e Lucas Veríssimo (contra).

O Peixe teve um a mais na segunda metade da etapa final, após a expulsão de Digão, mas não conseguiu desempatar. A noite também contou com discussão áspera entre Oswaldo de Oliveira e Paulo Henrique Ganso. Substituído, o meia chamou o técnico de burro. A resposta foi “vagabundo”. A torcida ficou com o jogador e pediu a saída do treinador.

Com o empate em casa, o Fluminense sai da zona de rebaixamento e é o 16ª, com 19 pontos. O Santos segue em terceiro, com 38, a sete do Palmeiras e a 10 do Flamengo, cada vez mais longe da briga pelo título.

O jogo:

O Santos foi melhor durante a maior parte do primeiro tempo. O Peixe ficou perto de abrir o placar aos 10 minutos, quando Derlis González recebeu de Eduardo Sasha, não viu Uribe sozinho e finalizou em cima de Muriel. Aos 13, Felipe Jonatan invadiu a área, ganhou de Digão e também parou no goleiro do Fluminense.

Após a pressão inicial do Alvinegro, o Tricolor equilibrou as ações e assustou quando o placar marcava 25: Ganso viu Gilberto sozinho e o lateral-direito chutou torto.

E quando tudo parecia caminhar para o empate sem gols no intervalo, Soteldo apareceu. O camisa 10 recebeu pela esquerda, passou por Nino e Gilberto e deslocou Muriel. Um golaço no Maracanã.

O Fluminense sentiu o gol, a torcida passou a protestar e, mesmo assim, os donos da casa empataram. E num acaso. Derlis foi fominha no ataque, puxou o contra-ataque do rival e Nenê cruzou. Lucas Veríssimo cabeceou para trás e balançou as redes de Everson.

A etapa final começou morna e só teve emoção aos 17 minutos – e fora de campo. Ganso foi substituído para a entrada de Daniel e discutiu feio com Oswaldo de Oliveira. O meia chamou o técnico de “burro”. A resposta veio com “vagabundo”.

Aos 19, a primeira chance do Fluminense. Allan arriscou de longe e Everson espalmou para escanteio. E no minuto 26, uma boa notícia para o Santos: Digão deu um chute em Marinho e foi expulso após checagem no VAR.

O Peixe se lançou ao ataque e quase desempatou aos 33: Felipe Jonatan dribla Frazan e para novamente em Muriel, dessa vez com cavadinha na pequena área.

Aos 43, em escapada de Allan, o Tricolor quase virou. No minuto seguinte, Sasha recebeu passe de Sánchez e, livre, bateu por cima. Ainda deu tempo de Veríssimo cabecear para fora aos 46 e Frazan ser expulso aos 47. Marinho recebeu o segundo amarelo no último lance. No fim das contas, porém, o empate no Maracanã persistiu.

Auxiliar de Sampaoli vê ‘posição boa’ do Santos: “Felizes por entregar tudo”

O auxiliar Jorge Desio, responsável por dirigir o Santos contra o Fluminense por causa da suspensão de Jorge Sampaoli, minimizou o empate no Maracanã na noite desta quinta-feira, pela 21ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O Peixe venceu uma vez nos últimos oito compromissos, é terceiro colocado e está a 10 pontos do Flamengo. O argentino, porém, nega abatimento do elenco.

“Quando íamos primeiro não pensávamos no título, também não pensamos agora. É dia a dia e pensar no próximo rival. Estamos em terceiro, posição relativamente boa, mas temos que melhorar. E fizemos coisas boas que temos que voltar a fazer”, disse Jorge Desio.

“Não há crise. Quando termina o jogo sempre estamos felizes por entregar tudo na parte anímica, física. E depois temos sempre o que corrigir, até na vitória. Equipe está em posição boa, há coisa a melhorar e isso já ocorria quando éramos os primeiros”, completou o auxiliar.

Desio vê a necessidade de equilibrar a ânsia pelo resultado sem perder a organização tática. O auxiliar, porém, vê lado positivo nesse “amor próprio”.

“O resumo é esse. Santos começa bem e depois se desorganiza um pouco. Santos não ganha há alguns jogos, com ansiedade e um pouco de vontade em buscar o resultado, e acabamos um pouco desorganizados. Desorganização é fruto da busca pelo resultado positivo. Função é equilibrar isso. Temos ansiedade e amor próprio para buscar o resultado”, concluiu.

Gustavo Henrique vê falta de frieza e diz que má fase do Santos é “inexplicável”

Capitão do Santos, Gustavo Henrique não encontrou explicações para o empate do Santos em 1 a 1 com o Fluminense, no Maracanã, e a manutenção da má fase do Peixe no Campeonato Brasileiro: uma vitória nos últimos oito jogos.

O Alvinegro segue na terceira colocação, mas agora está a 10 pontos do Flamengo e cada vez mais distante da briga pelo título.

“É inexplicável. Não é o que queremos. Nos cobramos muito para voltar a ser o time das sete vitórias seguidas. Vamos continuar lutando. Explicação no futebol é complicado. Vamos até o final com a filosofia do nosso treinador”, disse Gustavo, ao Premiere.

“Difícil falar porque não entramos em campo para perder ou empatar. Desde a chegada do Sampaoli implantamos a filosofia dele. Tentamos fazer o máximo. Hoje faltou mais frieza para fazer o gol e trabalhar a bola. Soteldo estava bem e direto livre no um contra um, mas forçamos muito”, completou.