Santos 2 x 0 Palmeiras

Data: 09/10/2019, quarta-feira, 21h30.
Competição: Campeonato Brasileiro – 24ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 11.408 pagantes
Renda: R$ 592.000,00
Árbitro: Flavio de Souza
Auxiliares: Danilo Manis (Fifa) e Neuza Back (Fifa).
VAR: José Filho
Cartões amarelos: Carlos Sánchez (S); Felipe Melo e Carlos Eduardo (P).
Cartão vermelho: Willian (P).
Gols: Gustavo Henrique (12-1) e Marinho (17-1).

SANTOS
Everson; Pará, Lucas Veríssimo, Gustavo Henrique e Jorge; Diego Pituca, Carlos Sánchez e Jean Mota; Marinho, Tailson (Lucas Venuto) e Eduardo Sasha.
Técnico: Jorge Sampaoli

PALMEIRAS
Jailson; Marcos Rocha, Luan, Vitor Hugo e Diogo Barbosa; Felipe Melo, Bruno Henrique e Gustavo Scarpa (Zé Rafael); Dudu, Willian e Luiz Adriano (Carlos Eduardo).
Técnico: Mano Menezes



Santos toma 2º lugar do Palmeiras, e Fla pode abrir oito pontos

O Santos assumiu a vice-liderança do Campeonato Brasileiro na noite desta quarta-feira. No Estádio da Vila Belmiro, o time alvinegro impôs a primeira derrota de Mano Menezes no Palmeiras ao ganhar por 2 a 0, resultado que permite ao Flamengo aumentar a vantagem na ponta.

Santos e Palmeiras contabilizam os mesmos 47 pontos, mas o time alvinegro possui uma vitória a mais (14 a 13) e detém o segundo lugar. Já o Flamengo soma 52 pontos e, com a chance de abrir oito de diferença, encara o Atlético-MG às 20 horas (de Brasília) desta quinta-feira, no Maracanã.

O jogo

Pouco depois de Jailson salvar em cobrança de falta de Jean Monta, o Santos conseguiu inaugurar o marcador na Vila Belmiro. Aos 12 minutos do primeiro tempo, Sanchez levou na área e Gustavo Henrique cabeceou para o gol. Marcos Rocha deu condição e o zagueiro, sem ser encodado, subiu entre Luan e Vitor Hugo.

Apoiado por sua torcida, o Santos ampliou a vantagem ainda aos 17 minutos do primeiro tempo. Jailson rebateu chute de Pituca e, no rebote, Marinho completou para o gol. A assistente Neuza Back marcou impedimento, mas o VAR confirmou o gol corretamente.

Com dores na coxa direita, Luiz Adriano acabou substituído por Carlos Eduardo. Em uma rara aproximação do gol santista no primeiro tempo, Dudu passou pela marcação e bateu cruzado para defesa parcial de Everson. No rebote, Willian não conseguiu aproveitar.

Com vantagem segura no marcador, sem se expor no campo de defesa, o Santos passou a jogar de maneira mais cadenciada na etapa complementar. O Palmeiras, lento na transição, até conseguiu levar a bola até o ataque, mas tinha dificuldades para ameaçar o gol de Everson.

A vida do Santos na partida ficou ainda mais tranquila aos 27 minutos do segundo tempo, quando Willian deu entrada dura sobre Diego Pituca. Alertado pelo VAR, o árbitro Flavio de Souza viu a jogada pelo monitor e resolveu expulsar o atacante palmeirense.

Em superioridade numérica, o Santos procurou trocar passes para manter a posse de bola durante os minutos finais. Sem correr riscos, o time mandante garantiu o triunfo que precisava para assumir a vice-liderança do Campeonato Brasileiro.

Bastidores – Santos TV:

Sampaoli diz que Santos merecia vitória em clássico: “Nos dará muita força”

O técnico do Santos, Jorge Sampaoli, ficou muito feliz com o desempenho na vitória por 2 a 0 sobre o Palmeiras nesta quarta-feira, na Vila Belmiro, pela 24ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O treinador diz que o Peixe merecia uma vitória como essa após tanto trabalho na temporada, com amplo domínio. O Alvinegro agora é o segundo colocado no Brasileirão.

“Santos demostrou que pode ser competitivo jogando contra time poderoso como o Palmeiras. Grupo merecia triunfo depois de tanto trabalho e ano difícil, de altos e baixos. Se aproveitarmos esse jogo como ponto de partida, nos dará muita força. Em novembro veremos qual situação o Santos brigará na tabela. Não é considerável pensar agora pelo torneio. São rivais fortes brigando pelo mesmo”, disse Sampaoli, em entrevista coletiva.

“Se a gente não se manter com esse nível de jogo, que é o que treinamos todos os dias, será complicado. Não estamos preparados para jogar com transições. Quando não jogamos bem, passamos mal. O que nos resta é jogar bem”, completou o treinador.

Sampaoli elogia Jean Mota e Marinho e compara Tailson a Rodrygo no Santos

O técnico do Santos, Jorge Sampaoli, avaliou a atuação de três jogadores especificamente após a vitória por 2 a 0 sobre o Palmeiras nesta quarta-feira, na Vila Belmiro: Jean Mota, Marinho e Tailson.

Jean Mota substituiu Evandro e foi um dos destaques do clássico, assim como Marinho, autor do segundo gol.

“No lugar do Evandro Jean Mota jogou muito bem, foi o eixo do jogo e nos deu segurança. Essa competição do grupo dá oportunidade de eleger quem está melhor”, disse Sampaoli.

“Ajuda muito energeticamente. Energia ajuda muito, às vezes acelera muito por causa disso e não terminamos de se ajeitar no campo rival. Era anárquico e agora começa a entender como mexe o outro jogador. É desequilibrante, faz gols e nos ajuda como hoje, de nos dar a vantagem”, avaliou o técnico, sobre Marinho.

Por fim, o argentino avaliou a evolução de Tailson, titular nas vitórias sobre Vasco e Palmeiras.

“Fez dois jogos à altura das partidas. Substituiu um dos jogadores mais determinantes, Soteldo, e fez muito bem. Necessita rodagem, não alcança manter o ritmo porque esteve muito tempo parado. Esperamos que ganhe confiança e nos dê alegria de um jogador que recordará do clube como Rodrygo. Tem esse tipo, 1×1, velocidade, gol. Que nos possa ajudar daqui para o futuro”, concluiu.

Jorge diz que Diogo Barbosa não tem humildade e relata xingamentos de Felipe Melo

O lateral-esquerdo Jorge reclamou de Diogo Barbosa e Felipe Melo após a vitória do Santos por 2 a 0 sobre o Palmeiras nesta quarta-feira, na Vila Belmiro.

Jorge disse que Diogo não tem humildade e Felipe o xingou nos minutos finais do clássico, enquanto a torcida gritava “Olé”.

“Na primeira partida, que perdemos para eles (4 a 0 no Pacaembu, no primeiro turno), e estávamos conversando sobre o Diogo Barbosa. Tem que ficar mais atento na humildade, ele não tem nenhuma. Felipe Melo é uma pessoa incrível, mas se transforma em campo. Diogo deu risadinha pro Victor Ferraz, tocou de letra e ria. Hoje não fizemos para provocar, jogo estava acabando, estávamos tocando, normal. Dei um passe para trás e Felipe Melo me xingou de vários nomes. Fiquei tranquilo. Professor deve ter acabado o jogo rápido para não expulsar. Mas enfim, temos que comemorar a vitória e descansar para jogar contra o Inter lá dentro”, disse Jorge, ao Esporte Interativo.

Diogo Barbosa teve má atuação e perdeu quase todas para Marinho. Felipe Melo ouviu provocações, fez gesto obsceno e depois provocou o torcedor santista.

Melo ouve provocações, faz gesto obsceno e diz: “Não enchem estádio”

O volante Felipe Melo, como de costume, não passou despercebido no clássico entre Santos e Palmeiras, disputado na noite desta quarta-feira. No Estádio da Vila Belmiro, o veterano ouviu provocações da torcida local, fez gestos obscenos no intervalo e, no fim, alfinetou os adversários.

Dominado pelo Santos, o Palmeiras encerrou o primeiro tempo já perdendo por 2 a 0. Posicionados perto da entrada do vestiário visitante, torcedores hostilizaram os jogadores do time alviverde. Diferentemente dos companheiros, Felipe Melo reagiu com gestos obscenos, cena documentada e publicada em redes sociais.

No segundo tempo, torcedores entoaram o coro de “Não é mole, não! Felipe Melo afundou a Seleção!”. No momento em que o árbitro Flavio de Souza mostrou o cartão amarelo ao meio-campista palmeirense, os santistas vibraram na Vila Belmiro, ocupada por 11.408 pagantes.

Em entrevista ao Esporte Interativo, logo após o apito final, Felipe Melo também provocou. “O ambiente, cara? Tem 11 mil pessoas. Em um clássico, eles não conseguem encher o estádio. Um clube mítico como esse. Não tem condições de eu falar de uma torcida que…”, disse, fazendo uma careta.

Ao falar sobre a partida, porém, Felipe Melo foi elogioso em relação ao time comandado pelo técnico Jorge Sampaoli. Para o volante, os dois gols sofridos em 17 minutos, anotados por Gustavo Henrique e Marinho, comprometeram o Palmeiras no clássico.

“Jogamos contra um time muito forte e bem treinado, que tem uma movimentação muito importante. Nos primeiros 20 minutos, nós pecamos. Voltamos para o segundo tempo e, inclusive com um a menos (Willian foi expulso), tivemos um trabalho em equipe muito importante, mas perdemos em 20 minutos”, analisou.