Santos 1 x 1 Novorizontino

Data: 15/04/1995, sábado, 20h00.
Competição: Campeonato Paulista
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 9.680 pagantes
Renda: R$ 76.136,00
Árbitro: Alfredo dos Santos Loebeling
Cartão vermelho: Samarone (N, 18-1).
Gols: Giovanni (45-1); Vital (13-2).

SANTOS
Edinho; Silva, Marcelo Fernandes, Narciso e Marcos Paulo (Demétrios); Cerezo, Rogério (Ranielli), Giovanni e Marcelo Passos; Macedo (Camanducaia) e Jamelli.
Técnico: Joãozinho Rosa

NOVORIZONTINO
Maurício; Jorge Luís, Walter, Luís Carlos e Samarone; Genílson, Marildo, Geraldo (Carlos Zara) e Pereira; Roger (Alessandro, depois Luciano) e Vital.
Técnico: José Teixeira



Novorizontino empata com Santos em erro de Edinho

O Alvinegro perde a chance de ser vicer-líder do campeonato

Um erro do goleiro Edinho, do Santos, tirou de seu time a oportunidade de vencer o Novorizontino, anteontem à noite, e voltar à liderança do Campeonato Paulista.

Com um empate em 1 a 1 na Vila Belmiro, Edinho saiu de campo vaiado.

O Santos dominou a partida no primeiro tempo. O Novorizontino jogou com um homem a menos desde os 18min, quando o lateral Samaroni foi expulso, por cometer uma falta violenta.

Aos 45min, Giovanni fez o gol santista, aproveitando a sobra de uma disputa de bola entre o goleiro Maurício e o atacante Macedo.

Mas, aos 12min do segundo tempo, o juiz Alfredo dos Santos Loebeling marcou sobrepasso (infração do goleiro que dá mais de quatro passos com a bola nas mãos antes de chutá-la), quando Edinho recolocava a bola em jogo.

A cobrança desse tipo de infração é feita em dois toques dentro da grande área. O meia Geraldo rolou para o atacante Vital chutar forte e empatar.

A partir daí, o nervosismo tomou conta dos jogadores do Santos e da torcida. A cada bola atrasada para o goleiro Edinho, os torcedores gritavam e vaiavam.

O Santos cedeu espaço para o adversário. O técnico Joãozinho pediu tempo aos 25min e instruiu o time a jogar mais no ataque.

O Santos perdeu chances de marcar com o meia Giovanni e os atacantes Marcelo Passos, Jamelli e Camanducaia, que substituiu Macedo, machucado.

O Novorizontino passou a aproveitar, em contra-ataques, os espaços deixados pela defesa santista. Mas só teve duas chances de gol, em um chute fraco de Geraldo, defendido por Edinho, e em uma falta cortada pelo zagueiro Narciso.

Goleiro pede explicação a juiz

Após a partida de sábado à noite, o goleiro Edinho, do Santos, foi cobrar uma explicação do juiz sobre a infração que cometeu. Segundo Edinho, a arbitragem prejudicou o Santos. Alfredo Loebeling deixou o campo sem dar declarações.

“Procuro sair com a bola (tocá-la para os zagueiros) mas, se não dá, eu chuto para frente”, disse Edinho.

“Acontece que os juízes são imprevisíveis. Uns marcam o sobrepasso e outros não. Se fosse uma regra estipulada, eu não faria aquilo”, justificou ele.

Antes de entrar nos vestiários, Edinho ouviu o coro da torcida: “Eiro, eiro, eiro, queremos um goleiro” e “Joãozinho tira o Edinho”.

O goleiro reagiu. “Criticar o Edinho é mais fácil. Não sei se estas pessoas acham que ele não tem direito de jogar futebol e deveria estar nos Estados Unidos porque o pai dele tem dinheiro”, declarou Edinho, que é filho de Pelé.

“Mas eu nasci para jogar futebol e amo o Santos”, completou.



Joãozinho exige ‘determinação’ à noite contra o Novorizontino ( Em 15/04/1995 )

O técnico Joãozinho pretende começar o segundo turno do Campeonato Paulista com “o pé direito”. Para isso, quer uma vitória de sua equipe na noite de hoje, na Vila Belmiro, contra o Novorizontino. A partida começa às 20h.

No primeiro jogo entre os dois times, em Novo Horizonte (SP), o Santos perdeu por 2 a 1. Apesar da derrota, Joãozinho disse que não há um clima de vingança para o jogo de hoje. “Os jogadores estão tranquilos, concentrados em apresentar um bom futebol”, afirmou.

Joãozinho não acha que a má colocação do Novorizontino no campeonato (penúltimo colocado, com 14 pontos ganhos) facilite as coisas para o Santos.

“Ninguém está esperando um jogo fácil. No Paulistão não podemos falar em partidas tranquilas”, declarou.

Joãozinho pediu ao time para entrar em campo com muita “determinação”, buscando a vitória e mais três pontos na tabela. “Temos que marcar o campo todo, disputar todos os lances, para que comecemos o returno com vitória.”

Se o Santos vencer, pode assumir a liderança do torneio, caso Palmeiras e Portuguesa empatem. O Santos tem 27 pontos, ao lado do Palmeiras. A Portuguesa lidera o campeonato, com 28.

Mesmo prometendo um futebol ofensivo, Joãozinho optou por manter as características do time nos últimos jogos, com dois volantes no meio-campo.

Depois do treino coletivo de ontem, Rogério foi confirmado como titular e jogará ao lado de Cerezo. Ranielli, preterido, fica no banco de reservas.

Rogério só jogou duas vezes no campeonato, improvisado na lateral direita, e não levou sorte. Foram as únicas derrotas do Santos, uma para o Rio Branco e outra para o próprio Novorizontino. Os jogos aconteceram no interior do Estado.

Esta noite, na Vila Belmiro, o Santos terá volta de Giovanni, artilheiro do time com dez gols. Giovanni não enfrentou o São Paulo, no empate do último sábado em 1 a 1, porque cumpria suspensão automática.

Novorizontino joga recuado

O Novorizontino optou por um esquema defensivo para enfrentar o Santos.

O técnico José Teixeira, 58, afirma que preferiu escalar Marildo no lugar de Marcelo Prates no meio-campo para dar mais força de marcação para o time. Genílson é o outro volante utilizado no meio-campo. Teixeira quer fortalecer a defesa e segurar o empate.

Se a competição tivesse terminado, o Novorizontino seria rebaixado para a segunda divisão, porque está entre os três últimos. Apesar da situação ruim, Teixeira afirma que a equipe tem condições de reagir na classificação.

O meia-esquerda Geraldo, que cumpriu suspensão pelo terceiro cartão amarelo, reforça o Novorizontino. Geraldo se destaca pela habilidade na armação de jogadas de ataque e pela eficiência na marcação.



Fonte: Estadão