Santos 2 x 1 Ceará

Data: 17/10/2019, quinta-feira, 19h15.
Competição: Campeonato Brasileiro – 26ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 7.804 pagantes
Renda: R$ 305.445,00
Árbitro: Rafael Traci (SC)
Auxiliares: Guilherme Dias Camilo (MG) e Johnny Barros de Oliveira (SC).
Cartões amarelos: Carlos Sánchez, Jobson e Gustavo Henrique (S); William Oliveira, Thiago Galhardo, Samuel Xavier e Fabinho (C).
Gols: Lima (17-1); Eduardo Sasha (10-2) e Gustavo Henrique (38-2).

SANTOS
Everson; Lucas Veríssimo, Gustavo Henrique e Luan Peres (Jorge); Carlos Sánchez, Jobson (Pará), Evandro (Jean Mota) e Diego Pituca; Tailson, Soteldo e Eduardo Sasha.
Técnico: Jorge Sampaoli

CEARÁ
Diogo Silva; Samuel Xavier, Luiz Otávio, Tiago Alves e João Lucas; Fabinho (Valdo), Pedro Ken, William Oliveira e Felipe Baixola; Thiago Galhardo (Juninho Quixadá) e Lima (Bergson).
Técnico: Adilson Batista



Sampaoli corrige escalação, e Santos vence o Ceará de virada na Vila

O Santos venceu o Ceará por 2 a 1 na noite desta quinta-feira, na Vila Belmiro, pela 26ª rodada do Campeonato Brasileiro. O gol do Vozão foi marcado por Lima. Eduardo Sasha e Gustavo Henrique viraram para o Peixe.

O Alvinegro entrou em campo sem laterais e a formação não funcionou. Jorge Sampaoli colocou Pará e Jorge nos lugares de Jobson e Luan Peres na etapa final e a equipe melhorou.

Com a vitória, o Santos segue na terceira colocação, com 51 pontos, a dois do Palmeiras e a 10 do Flamengo. Os rivais também venceram na rodada. Ceará é o 16º, com 26.

O jogo

O Santos começou bem, com todos os jogadores no campo de ataque como de costume, mas aos poucos o Ceará equilibrou a partida, cedeu poucos espaços e o Peixe só assustou em finalizações de longe de Tailson, Sánchez e Luan Peres.

No minuto 17, na primeira boa chegada do Ceará, Lima fez um golaço de fora da área. Diego Pituca errou na origem do lance, Jobson deu bote errado e Lucas Veríssimo, sozinho contra dois, não conseguiu interceptar.

O Ceará cresceu após abrir o placar e terminou a primeira etapa muito melhor. Aos 24, Samuel Xavier bateu mascado e quase encobriu Everson. O Peixe saiu para o intervalo vaiado.

O Ceará voltou para a etapa final como na inicial: marcando bem e perigoso nos contra-ataques. Aos 4, Felipe Baxola arriscou de fora da área e Everson fez grande defesa.

O técnico Jorge Sampaoli corrigiu a escalação, colocou Pará e Jorge em campo e o Santos melhorou. No minuto 10, Sánchez cruzou na cabeça de Sasha. O atacante deixou Diogo parado para empatar.

O jogo passou a ficar favorável aos donos da casa e Tailson, aos 14, quase virou. A bola sobrou na entrada da área e o atacante bateu raspando a trave. No minuto 33, Soteldo cruzou e Gustavo Henrique cabeceou perto.

Aos 38 minutos, a pressão funcionou. Sánchez deu outra assistência para Gustavo Henrique virar, de cabeça. O Santos não fez um jogo brilhante, mas o suficiente para vencer. O reconhecimento do erro de Jorge Sampaoli na escalação surtiu efeito.

Bastidores – Santos TV:

Sampaoli explica 3-2-5 do Santos com Jobson e prevê disputa entre Tailson e Marinho

O técnico Jorge Sampaoli explicou a decisão equivocada de escalar o Santos com três zagueiros e sem laterais, num esquema 3-2-5 na vitória do Santos por 2 a 1 sobre o Ceará nesta quinta-feira, na Vila Belmiro, pela 26ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O treinador colocou Pará e Jorge no início do segundo tempo, o Peixe melhorou e virou o placar. O estreante Jobson foi sacado no intervalo.

“O plano era jogar num 3-2-5, estabelecer três centrais para parar transições que sofremos contra equipes que jogam muito atrás. Pituca de lateral para volante e ter cinco jogadores à frente da bola. Não incomodamos muito o rival, depois mudamos o plano para gerar mais profundidade pelas bandas. Esperávamos controlar dessa forma, mas tomamos gol em jogada esporádica e tínhamos que mudar para transformar o resultado”, disse Sampaoli, antes de comentar sobre Jobson.

“Jobson era uma ideia da partida que era o homem livre no esquema 3-2-5. Necessitávamos do passe dele. Na preparação para entrar na equipe era a partida adequada. Mas com as linhas fechadas a bola não chegou bem em Evandro e Sánchez e resolvemos colocar um lateral, com Pituca de 5 para gerar uma equipe ainda mais ofensiva nas relações coletivas. Creio que o passo do Jobson na equipe será não só agora, mas tem condição de se adequar num torneio que não conhece tanto e será importante quando se acomodar”, afirmou.

Por fim, Sampaoli previu disputa entre Tailson e Marinho no ataque do Santos. Marinho esteve suspenso diante do Ceará e retorna contra o Atlético-MG, domingo, em Belo Horizonte.

“São dois extremos que jogam abertos, normalmente não se juntam. Tailson e Soteldo. Extremos de um contra um, tentamos que eles tivessem isso. Tailson virou um jogador a mais nessas quatro partidas, que tem potencial. Marinho volta e não sei. Com essa sequência tratamos de mudar um pouco, há jogadores desgastados. Vamos ver como se recupera Soteldo, Tailson mesmo, que não fez pré-temporada… Vamos ver o que se decide. São jogadores que determinaram muito”, concluiu.

O Santos segue na terceira colocação do Brasileirão, com 51 pontos, a dois do Palmeiras e a 10 do líder Flamengo.

Sampaoli reclama de “desrespeito” a Everson e lamenta situação de Gustavo Henrique no Santos

O técnico Jorge Sampaoli criticou o “desrespeito” de parte da torcida do Santos com Everson durante a vitória por 2 a 1 sobre o Ceará nesta quinta-feira, na Vila Belmiro.

Após o primeiro gol do Vozão, alguns santistas pediram por Vanderlei, reserva do Peixe sob o comando de Sampaoli.

“Uma falta de respeito. Nos momentos de crise sempre aparecem essa situação. Ao invés de apoiar equipe para virar, criticam alguém. Everson é chave dessa campanha. Isso é responsável. Não respeitam meu trabalho e Everson ao fazer isso. É um ano incrível no Santos. É vergonhoso. Podem pedir outro técnico amanhã, se aproveitam de momento de dor para pedir outro depois de tudo que fez Everson para que essa campanha seja possível. Vanderlei foi muito reconhecido aqui, mas Everson mostrou o motivo de defender o Santos. História é de grande reconhecimento, mas não desmerece o que esse goleiro fez neste ano”, disse Sampaoli, em entrevista coletiva.

O treinador também comentou sobre a “novela” Gustavo Henrique. O zagueiro tem contrato até o fim de janeiro e ainda não renovou.

“Gustavo Henrique demonstra crescimento enorme e clube não tomou decisões a tempo. Clube permitiu que um jogador que cresceu muito possa ser livre. É lamentável perder um patrimônio. Eu cuido do esportivo, ele é nosso e vamos aproveitar até onde esteja. Que disputem com outros clubes a possibilidade dele ficar”, afirmou.

Sampaoli defende Soteldo após crítica de Gustavo Henrique contra “firula” no Santos

O técnico Jorge Sampaoli e o capitão Gustavo Henrique discordaram sobre os dribles de Soteldo nos minutos finais da vitória do Santos por 2 a 1 sobre o Ceará nesta quinta-feira, na Vila Belmiro, pela 26ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Soteldo driblou no fim e acabou intimidado por Samuel Xavier, que recebeu cartão amarelo e gerou uma pequena confusão no gramado.

“Eles enrolaram o jogo inteiro. Tomei cartão por cobrar isso, mas não aceito e não concordo com firula. Tem que ser drible para frente, tem que respeitar adversário que estava perdendo e numa situação difícil. Achei desrespeito e falei que ele poderia ter soltado a bola antes para não gerar essa confusão”, disse Gustavo, ao Esporte Interativo.

“Sobre Soteldo, ele dribla sempre. Perdendo, empatando, no final… Nós nunca fazemos tempo. É um mérito, jogador não cai, a gente joga bola. Soteldo dribla sempre. Ele não faz isso para demorar. A raiva é estranha para quem se irrita, não para Soteldo”, avaliou Sampaoli.

Santos supera campanha de 2018 com 12 rodadas de antecedência

O Santos superou campanha da última edição do Campeonato Brasileiro com 12 rodadas de antecedência após vencer o Ceará nesta quinta-feira, na Vila Belmiro, pela 26ª rodada da competição.

“Entramos na história porque somamos um monte de pontos. Superamos por um ponto a temporada interior. Esse elenco fez em pouco tempo a gente pensar que o projeto momentaneamente funcionou”, disse Jorge Sampaoli.

O Peixe fez 50 pontos em 2018 e terminou na 10ª colocação, classificado para a Sul-Americana. Agora, o Alvinegro é o terceiro colocado, com 51 pontos e ainda sonha com o título.

O aproveitamento do Santos de Sampaoli no Nacional é de 65,4%. Em 2018, primeiro com Jair Ventura e depois com Cuca, o Peixe terminou com 43,8% dos pontos.

O Alvinegro está a 10 pontos de distância do líder Flamengo. As equipes se enfrentarão no jogo final do campeonato, na Vila Belmiro.

Galhardo relata ato racista de torcedor do Santos na vitória sobre o Ceará

Thiago Galhardo relatou suposto ato de racismo e xenofobia de um torcedor do Santos na vitória por 2 a 1 sobre o Ceará nesta quinta-feira, na Vila Belmiro.

A reportagem do Esporte Interativo relatou na transmissão os gritos contra Fabinho e Galhardo após a virada do Peixe. Galhardo comentou e ironizou a falta de entendimento de geografia.

“Acho que eles vem ver o espetáculo, que foi bonito, parabéns pela vitória do Santos. Mas querem menosprezar o Fabinho, a mim, fazer auto racismo chamando de negão, vagabundo… Futebol perde sua essência. Brasileiro tem que se controlar mais. Não pode ter isso, o cara ficar, ao meu ver, embriagado, xingar a gente… Tinha que estudar um pouco mais, conhecer a geografia no Brasil, falar que o Ceará joga no Norte, ou eu que não entendo muito, estudei de sacanagem… Parabéns ao Santos pela virada. Nosso time fez um bom jogo, infelizmente tomamos um gol dentro da pequena área com três zagueiros em campo, realmente um lance muito rápido. É lamentar. Infelizmente tomei o terceiro amarelo, vou descansar e me recuperar o mais rápido possível para que sábado que vem possa estar em campo e ajudar meu time”, disse Galhardo.

Em entrevista coletiva, o técnico Jorge Sampaoli foi questionado sobre o racismo no futebol levantado em declaração de Roger Machado, comandante do Bahia.

“Isso me surpreende. Se você me diz, creio que não seja um tema de racismo, mas de decisões momentâneas, casuais. Somos todos iguais, não é a cor. Se formos pela cor, os mais talentosos da história são negros. Talento vem desse lugar. Tenho um grande respeito e o que você me diz que mude e que todos tenham a mesma oportunidade. É um país livre e igualitário. Seria horrível que existisse racismo”, afirmou o argentino.

Peres entra em contato com o Ceará para repudiar suposta injúria racial

O Santos conseguiu um resultado importante ao derrotar o Ceará, nesta quarta-feira, mas um episódio polêmico fora de campo foi muito debatido após o apito final. O meio-campista Thiago Galhardo afirmou que seu companheiro de equipe Fabinho foi alvo de insultos racistas por parte da torcida do Peixe. Nesta sexta-feira, o Alvinegro Praiano garantiu que tomará providências em relação às supostas injúrias raciais.

O perfil do Santos publicou nas redes sociais que “entrou em contato com o volante Fabinho e o presidente do Ceará, Robinson de Castro, para reforçar o repúdio do clube e da torcida sobre o lamentável episódio da última quinta. Uma sindicância interna já foi aberta para apuração total dos fatos”.

O acontecimento envolvendo a torcida do Santos só foi tornado público em entrevista de Thiago Galhardo após a partida. Além de relatar as ofensas raciais, o meio-campista ainda revelou que os jogadores do Vozão foram alvo de preconceito regional.

Luan Peres agradece confiança de Sampaoli e comemora estreia na Vila

O técnico Jorge Sampaoli é conhecido por modificar algumas peças no Santos e tornar os jogadores versáteis. Contratado como zagueiro, Luan Peres vem atuando como lateral-esquerdo, como aconteceu na última quinta-feira, na vitória diante do Ceará, a primeira dele como titular dentro da Vila Belmiro.

“Estou feliz por começar a ganhar o meu espaço dentro do qualificado elenco do Santos. Contente também pela confiança do Jorge Sampaoli em mim. Ele vinha contando comigo em partidas fora de casa, tive a oportunidade de ir bem contra gigantes como Flamengo, Vasco e Internacional. Agora, tive a chance de estrear em casa e fomos abençoados com uma bela vitória. Espero continuar sendo útil ao time”, disse o jogador.

Ainda não se sabe se ele estará em campo no próximo duelo do alvinegro praiano, neste domingo, às 16h (de Brasília), diante do Atlético-MG, no Estádio Independência, mas uma coisa é certa: enquanto esteve em campo, o Santos sofreu apenas dois gols.

“É sempre bom para um defensor saber que o time sofre poucos gols com ele em campo, mas o Sampaoli é um treinador que cobra mais detalhes nossos como, por exemplo, a saída de bola qualificada e quando atuo como lateral também procuro ser eficiente ofensivamente”, iniciou.

“Diante do Ceará tive uma chance de gol. Essa versatilidade tem me ajudado a crescer de produção e vou procurar manter essa evolução para ter um equilíbrio ofensivo e defensivo”, completou. Ele já havia atuado como lateral em outros clubes anteriormente.

Para esse jogo, a provável escalação do Santos deve ter: Everson; Victor Ferraz (Pará), Lucas Veríssimo, Gustavo Henrique e Jorge (Luan Peres); Diego Pituca, Carlos Sánchez e Evandro (Jean Mota); Tailson (Marinho ou Derlis González), Eduardo Sasha e Soteldo.

Como Corinthians e São Paulo não venceram seus últimos compromissos, o Peixe abriu sete e oito pontos de vantagem para os clubes, respectivamente. Para Luan Peres, chegar aos 51 pontos e abrir essa diferença sobre os rivais foi muito importante.

“Ultrapassamos os 50 pontos e abrimos vantagem dos nossos rivais diretos faltando poucas rodadas para o término da competição. Não podemos comemorar ainda a vaga para Libertadores, mas demos um passo importante e nos mantém confiantes para crescermos de produção”, finalizou.