Corinthians 0 x 0 Santos

Data: 26/10/2019, sábado, 17h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 28ª rodada
Local: Arena Corinthians, o Itaquerão, em São Paulo, SP.
Público: 32.142 pagantes (32.416 total).
Renda: R$ 1.518.582,30
Árbitro: Luiz Flavio de Oliveira (SP)
AUxiliares: Marcelo Carvalho Van Gasse e Danilo Ricardo Simon Manis (SP).
VAR: Rodrigo Guarizo Ferreira do Amaral (SP)
Cartões amarelos: Mauro Boselli e Gil (C); Jobson (S).

CORINTHIANS
Cássio; Michel, Manoel, Gil e Danilo Avelar; Ralf e Júnior Urso (Sornoza); Pedrinho, Mateus Vital (Janderson) e Vagner Love; Boselli (Gustavo).
Técnico interino: Leandro Silva (Cuca)

SANTOS
Everson, Pará, Luiz Felipe, Gustavo Henrique e Jorge; Diego Pituca (Jobson), Evandro e Jean Mota; Tailson (Marinho), Soteldo (Felipe Jonatan) e Eduardo Sasha.
Técnico: Jorge Sampaoli



Corinthians e Santos ficam no zero em clássico fraco na Arena

Corinthians e Santos fizeram um clássico na tarde desse sábado que nem de longe lembrou os tempos áureos do duelo paulista alvinegro. O empate por 0 a 0 não foi bom para nenhuma das equipes, mas representou bem o que se viu em campo, na Arena de Itaquera, no duelo válido pela 28ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O Peixe foi quem esteve mais perto do tão esperado gol. Soteldo acertou a trave e Marinho exigiu boa defesa de Cássio, ambas as tentativas em finalizações de média distância. Felipe Jonatan ainda chutou para fora uma oportunidade incrível nos acréscimos.

O Corinthians repetiu os velhos problemas. Teve pouco a bola, mal incomodou o goleiro adversário e sofreu coletivamente para criar qualquer coisa no ataque. Uma cobrança de falta de Sornoza e um chute de Love, já na parte final, foi tudo que os mandantes conseguiram na busca pelo gol.

Nem os desfalques de Lucas Veríssimo, Bruno Méndez e Fagner justificam o futebol apresentando por Corinthians e Santos.

Fábio Carille não pôde sequer ficar no banco de reservas em função de uma suspensão automática, o que não livra a barra do técnico corintiano, que teve toda a semana livre para tentar acabar com o jejum de vitórias do time. Em vão. Agora, são seis jogos em sequência sem sair de campo com os três pontos.

O resultado é pior ao Corinthians, que pode assistir o São Paulo abrir vantagem e ainda foi ultrapassado pelo Internacional, que venceu o Bahia. O Timão está fora do G4, com 45 pontos. Já o Peixe tem 52, confortável na terceira posição, mas com a chance desperdiçada de colar no Palmeiras.

Bastidores – Santos TV:

Sampaoli elogia Santos no clássico e justifica Sanchez na reserva

Com o uruguaio Carlos Sanchez na reserva, o Santos empatou com o Corinthians por 0 a 0 na tarde deste sábado, pelo Campeonato Brasileiro. O técnico Jorge Sampaoli, elogioso em relação ao desempenho de sua equipe em Itaquera, justificou a presença do experiente meio-campista no banco.

“Seria importante falar dos que atuaram. Jogaram atletas que se encaixavam muito a esse jogo. O Santos disputou uma grande partida e teve o controle. Precisávamos de jogadores de mais controle. Quando atuamos de outra forma, com atletas como o Carlos, que, em alguns momentos, acaba acelerando muito, iríamos ir e voltar”, disse.

Durante a partida, Jorge Sampaoli trocou Diego Pituca, Tailson e Soteldo por Jobson, Marinho e Felipe Jonatan – o primeiro saiu por entorse no tornozelo esquerdo. Assim, Carlos Sanchez acabou sem entrar em campo no clássico contra o Corinthians.

“A ideia era ter controle com Jean Mota e Evandro. Por isso, decidimos essa característica. Para dominar o jogo, como dominamos e, através do domínio, gerar situações. Sabemos da importância do Carlos. Não é que você desvaloriza (o atleta), mas sim valoriza o plano do jogo, de imposição e que se viu refletido no campo”, disse Sampaoli.

O Santos foi quem esteve mais perto de movimentar o marcador. Soteldo acertou a trave e Marinho exigiu boa defesa de Cássio, ambas em finalizações de média distância. Felipe Jonatan ainda chutou para fora uma oportunidade incrível já nos acréscimos da partida.

“Foi um dos melhores jogos do Santos como visitante no ano. Contra um time grande, fora de casa, com toda a torcida e se impôs do começo ao fim”, disse Sampaoli. “Carecemos um pouco do gol. Se não, com certeza, teríamos vencido. Mas a intenção do jogo tem a ver com dominar e foi isso que o time fez”, completou.

Marinho parabeniza Cássio por defesa e vê Santos ainda na luta

O atacante Marinho teve uma das principais chances no clássico entre Corinthians e Santos, encerrado com empate sem gols em Itaquera. Após a partida disputada na tarde deste sábado, o jogador parabenizou o goleiro Cássio e disse que seu time segue em busca do Campeonato Brasileiro, apesar da vantagem do Flamengo.

Colocado no lugar de Tailson no segundo tempo, Marinho bateu de fora da área e viu Cássio espalmar de mão trocada. O Santos esteve mais perto de inaugurar o marcador e também levou perigo ao gol corintiano por meio de Soteldo, que chegou a acertar a trave.

“Achei que seria gol. Uma batida daquela diferente, mas a gente sabe que tem um grande goleiro do outro lado e fez uma boa defesa. Achei que não fosse chegar, mas, pela envergadura… É muito rápido também nessas bolas. Parabéns para ele”, disse Marinho ao Premiere, sobre Cássio.

Com 52 pontos ganhos, o Santos permanece instalado na terceira colocação do Campeonato Brasileiro, atrás de Flamengo (64) e Palmeiras (54). Neste domingo, ainda pela 28ª rodada, o time rubro-negro recebe o CSA e a equipe alviverde pega o Avaí, o que pode aumentar a desvantagem do concorrente praiano.

Com mais 10 jogos por fazer no Campeonato Brasileiro, Marinho evita jogar a toalha. “A gente continua na luta, buscando ainda. Sabemos que o Flamengo está muito à frente, mas continuamos lutando, porque isso aqui é Santos”, declarou o atacante, otimista.

Pela 29ª rodada do Campeonato Brasileiro, o Santos entra em campo para encarar o Bahia às 19h15 (de Brasília) desta quinta-feira, no Estádio da Vila Belmiro. Dirigido por Roger Machado, o time de Salvador faz boa campanha e briga por uma vaga no G6.

Sampaoli deixa futuro em aberto no Santos: “Se não for útil, não estarei”

O técnico Jorge Sampaoli falou sobre seu próprio futuro após o jogo contra o Corinthians, encerrado com empate sem gols na tarde de sábado, pelo Campeonato Brasileiro. O argentino se disse satisfeito em Santos, mas aparentou certo incômodo pela falta de planejamento sobre 2020 e deixou no ar a possibilidade de sair.

“Na verdade, não conversei com o presidente sobre minha continuidade ou não. O presidente fala que o time no ano que vem tem que ser campeão, mas também fala que precisa diminuir o orçamento, porque o clube vai ter inconvenientes econômicos. Ainda não tenho claro”, disse Sampaoli, em Itaquera.

“Preciso ter claro o que clube quer fazer no próximo ano, o que quer fazer comigo, um planejamento com tempo. Se puder ser útil ao Santos no projeto que vem, estarei. Se não puder ser útil no que o clube quer fazer, não estarei”, esclareceu o treinador.

Jorge Sampaoli assumiu o comando do Santos após uma passagem turbulenta pela seleção argentina, encerrada com a Copa do Mundo da Rússia 2018. Atualmente, o time dirigido pelo treinador estrangeiro tem 52 pontos e figura no terceiro lugar do Campeonato Brasileiro, atrás de Flamengo e Palmeiras.

“Estou encantando com o lugar que tenho e com a cidade. Mas o Santos merece brigar pelo campeonato e, para isso, precisa do planejamento adequado que neste ano não teve. Devemos gerar um projeto promissor e contagiante, com uma ordem adequada”, disse Sampaoli, que ouviu de Paulo Autuori sobre as “dificuldades” esperadas para 2020.

“Tenho contrato por dois anos. Estou a cada partida animado por ver o Santos atuar como fez aqui, com os jogadores que temos. Depois, quando haja alguma reunião sobre o futuro, eu contarei. Mas, até agora, não existe nenhuma reunião comigo do presidente sobre o futuro”, reiterou.

Sampaoli cita Rodrygo e manifesta preocupação com lado financeiro

No dia em que empatou contra o Corinthians, além de falar sobre seu futuro no Santos, o técnico Jorge Sampaoli deixou transparecer preocupação com lado financeiro do clube para 2020. Ao comentar o assunto, ele lembrou a negociação do jovem Rodrygo com o Real Madrid.

“Não esqueçam que, nesse ano, o time teve a venda do Rodrygo e, no ano que vem, não terá. Economicamente, desconheço a situação do clube para ver quem terá que sair, quem terá que chegar e quanto se pode gastar. Não falei diretamente com o presidente para saber realmente o que ele vai fazer no próximo ano”, afirmou.

Contratado pelo Santos após passagem turbulenta pela seleção argentina, encerrada na Copa do Mundo da Rússia 2018, Sampaoli se disse satisfeito na cidade. Por outro lado, reiterou que ainda não teve um encontro com o presidente José Carlos Peres para planejar a próxima temporada e deixou seu futuro em aberto.

“Precisa corrigir um monte de erros desse ano e ver como aproveitar o dinheiro que o clube tem para enfrentar o ano que vem. Se não puder trazer ninguém e, ainda por cima, tiver que vender… Por isso, desconheço a realidade e não posso ficar falando de hipóteses”, afirmou.

Atualmente, o Santos tem 52 pontos e figura no terceiro lugar do Campeonato Brasileiro, atrás de Flamengo e Palmeiras. Pela 29ª rodada do Campeonato Brasileiro, o time dirigido por Jorge Sampaoli entra em campo para encarar o Bahia às 19h15 (de Brasília) desta quinta-feira, no Estádio da Vila Belmiro.

“Com o plantel que temos, estou feliz com o que fizemos neste ano. É minha primeira experiência no Brasil, não é fácil para um treinador argentino. Em quase 10 meses, consegui que o time jogue de uma determinada forma. Estou em uma cidade que me respeita muito, mas há que analisar muito bem o plantel”, ponderou.