Santos 1 x 0 Bahia

Data: 31/10/2019, quinta-feira, 19h15.
Competição: Campeonato Brasileiro – 29ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 5.634 pagantes
Renda: R$ 209.580,00
Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhaes (RJ)
Auxiliares: Rodrigo Figueiredo Henrique Correa e Carlos Henrique Alves de Lima Filho (ambos do RJ).
VAR: Pathrice Wallace Corrêa Maia (RJ)
Cartões amarelos: Pará, Alison, Marinho, Jean Mota e Lucas Veríssimo (S); Gregore, João Pedro e Ronaldo (B).
Gol: Carlos Sánchez (08-2, de pênalti).

SANTOS
Everson; Pará, Lucas Veríssimo, Gustavo Henrique e Jorge; Alison, Evandro e Carlos Sánchez; Marinho (Tailson), Soteldo (Felipe Jonatan) e Eduardo Sasha (Jean Mota).
Técnico: Jorge Sampaoli

BAHIA
Douglas Friedrich; Nino Paraíba, Lucas Fonseca, Juninho, Moisés; Gregore (Ronaldo), Flávio e João Pedro (Marco Antonio); Élber (Rogerio), Artur e Gilberto.
Técnico: Roger Machado



Santos sofre susto, mas vence o Bahia e fica mais perto da Libertadores

O Santos venceu o Bahia por 1 a 0 na noite desta quinta-feira, na Vila Belmiro, pela 29ª rodada do Campeonato Brasileiro. O gol foi marcado por Carlos Sánchez, de pênalti.

O Peixe não foi brilhante, mas pouco sofreu na defesa e teve uma leve melhora na etapa final, suficiente para conquistar os três pontos em casa. O Tricolor teve um gol de Juninho anulado após auxílio do VAR.

O Alvinegro segue na terceira colocação, agora com 55 pontos, a seis do São Paulo e cada vez mais perto da Libertadores da América em 2020. O Bahia é o nono, com 41, distante da maior competição do continente.

O jogo:

O Santos passou longe de ter a mesma intensidade de outros momentos no Campeonato Brasileiro. O Peixe parecia achar que faria o gol a qualquer momento.

As principais chances do Alvinegro vieram em jogadas individuais. Soteldo, Sánchez e Jorge passaram perto e fizeram Douglas trabalhar. Eduardo Sasha, aos 17, marcou após bate-rebate, mas o árbitro de vídeo anulou por impedimento.

O Bahia marcou bem e só assustou o Santos uma vez, em finalização cruzada de Gilberto no quinto minuto da partida.

O Santos aumentou um pouco o ritmo na etapa final e abusava dos cruzamentos. Quando entrou na área por baixo, Marinho sofreu pênalti claro de Juninho. Carlos Sánchez converteu com categoria aos oito minutos.

O Peixe seguiu em cima do Bahia e esteve perto de abrir o placar aos 19, quando Sasha chutou na defesa do Tricolor duas vezes. Na sequência, Marinho cruzou e Evandro isolou.

O Alvinegro não soube administrar a vantagem como poderia e levou um susto. No minuto 38, Moisés ajeitou de cabeça e Juninho fez um golaço. O árbitro de vídeo anulou o lance por impedimento do lateral-esquerdo.

O Santos se recompôs nos minutos finais e garantiu a vitória suada na Vila Belmiro. Peixe longe do título, mas cada vez mais perto da Libertadores em 2020.

Bastidores – Santos TV:

Sánchez admite “um pouco de raiva”, mas entende opção de Sampaoli no Santos

Reserva no clássico contra o Corinthians, Carlos Sánchez voltou a ser titular e fez o gol do Santos na vitória por 1 a 0 sobre o Bahia nesta quinta-feira, na Vila Belmiro, pela 29ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Ao Esporte Interativo, Sánchez admitiu “um pouco de raiva”, mas disse entender o rodízio feito pelo técnico Jorge Sampaoli.

“Trabalho no dia a dia para que o técnico me escale. Depende dele. Temos que trabalhar sempre bem, sem cruzar os braços. Um pouco de raiva, mas temos que ter tranquilidade. Lutar, fazer um bom trabalho e depende da gente assimilar se jogar ou não”, disse Sánchez.

“Eu falo sempre com ele (Sampaoli). Temos boa relação. Se ele pensa em outro jogador que pode estar melhor ou com outra característica, tudo bem. Depende dele me colocar ou não. Quero somar. Apoiamos o trabalho dele”, completou.

Sánchez é artilheiro (com 15 gols) e garçom (com oito assistências) na temporada. O Santos voltará a campo para enfrentar o Botafogo, domingo, novamente na Vila.

Sampaoli pede “novo” Santos para 2020: “Não me encontro capacitado para fazer o que fiz neste ano”

O técnico Jorge Sampaoli voltou a fazer fortes críticas à diretoria do Santos na noite desta quinta-feira, após a vitória sobre o Bahia por 1 a 0, na Vila Belmiro, pela 29ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O treinador disse que não se preparado para repetir o trabalho deste ano, sem ter os pedidos atendidos pelo presidente José Carlos Peres na montagem do elenco.

“Se os melhores saírem e Santos precisa fazer um time novo com incapacidade financeira desse ano, será uma loteria. Não me encontro capacitado para fazer o que fiz nesse ano. Sofreria muito”, afirmou Sampaoli, em entrevista coletiva.

O treinador coloca o futuro em aberto. Seu contrato termina em dezembro de 2020, mas a permanência, neste momento, parece improvável.

“Expliquei na coletiva anterior que não sabemos onde estaremos. Por decisão da diretoria, que rompe contratos, ou por decisão do próprio treinador. Nunca se sabe a realidade. É um clube que nesse ano me deu possibilidade e felicidade de estar aqui. Tenho muita alegria por passar ano aqui, me sinto um cidadão a mais, me fazem sentir assim, parte do povo de Santos. Essa felicidade me dá um grande compromisso com o clube e os jogadores que lutamos todos os dias para continuar acima”< disse Sampaoli. Minha realidade é vir ao Brasil, criar uma história e tratar de em dois anos o Santos ser campeão. Esse é meu sonho. Não sei o que passará ainda, não tenho tempo para pensar também. Temos que pensar no próximo jogo. Ninguém acreditava e esse grupo faz coisas muito importantes para o clube. Me obrigo a pensar no agora, não no depois. Há uma realidade que como pessoa física adoraria estar aqui. Viver em Santos foi o melhor que ocorreu comigo. Depois está o profissional, não quero enganar a torcida, vender situações que não existem”, emendou o treinador. Sampaoli ainda não teve uma conversa clara com o superintendente Paulo Autuori sobre reforços para 2020. Uma coisa até aqui é clara: o Santos tem pouco dinheiro para investir. “Tentei me reunir com Paulo (Autuori), mas não temos claro ainda o próximo ano, necessidades, balanço. Na próxima semana livre conversaremos sobre os jogadores que pensarão, não tenho claro. Me apresentaram projeto com dificuldade para 2020, mas não sei se clube pode gerar recursos para fazer essa campanha, para mim excelente, se transforme em título. Não tenho claro. Há diferença como cidadão de Santos e de resolver com sensatez e profissionalismo meu futuro”, concluiu. Sampaoli se frustra com Cueva e diz que peruano não era prioridade no Santos

Jorge Sampaoli disse na noite desta quinta-feira que Cueva não era prioridade no Santos e lamentou o descomprometimento do peruano.

O treinador admitiu não ter conseguido fazer o meia ser parte do processo e destacou a atuação do Flamengo no mercado da bola.

“Pedidos podem ter chegado a 100. Clube não conseguiu contratar as prioridades e fomos decantando. Para brigar por um campeonato precisamos fazer o que fez Flamengo. Trazer as necessidades e conservar os melhores. O resto é tudo mentira, enganar. Lamentavelmente Cueva não conseguimos colocar dentro desse universo comprometido com cidade, equipe e projeto. Tentamos, mas não conseguimos. Teve inconveniente pessoal que não fez com que fizesse parte de nós. Não concordo contigo sobre as contratações. A desordem é o que não pode ocorrer no próximo ano. Não podemos brigar até o último minuto para saber quem pode vir. Enquanto isso, outros se preparam muito bem para o campeonato”, disse Sampaoli, em entrevista coletiva após a vitória contra o Bahia.

Fora dos planos do Peixe, Cueva viajou ao Peru e ficará pelo menos uma semana em seu país para resolver problemas pessoais e procurar clubes interessados.

Sampaoli explica discussão com torcedor do Santos e lamenta preço do ingresso na Vila

O técnico Jorge Sampaoli discutiu com um torcedor do Santos após o apito final da vitória por 1 a 0 sobre o Bahia na noite desta quinta-feira, na Vila Belmiro, pela 29ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O santista reclamou durante todo o tempo. Depois do Peixe confirmar a vitória, Sampaoli e o auxiliar Jorge Desio tiraram satisfação e pediram apoio.

“Sobre o torcedor, me incomodei porque qualquer pessoa que tente provocar alguém do Santos me incomoda. Esse torcedor é seguramente do Bahia com a camisa do Santos. Por isso fiquei incomodado”, disse Sampaoli, em entrevista coletiva.

O treinador também criticou a diretoria pelo preço do ingresso na Vila – o mais barato foi R$ 40. O estádio recebeu 5.634 torcedores.

“A Vila estava no 50%, cada vez que vamos jogar fora diminuem os preços dos ingressos e aqui não. Há distância institucional com a torcida. Necessitávamos da Vila cheia, gente fervorosa apoiando a equipe. Temos limitações, mas precisamos da torcida e não contamos com isso”, completou o treinador.

Sampaoli não deve definir futuro no Santos antes do fim do Brasileirão; permanência é improvável

O técnico Jorge Sampaoli não deve definir o futuro no Santos antes do fim do Campeonato Brasileiro. O último adversário será o Flamengo, em 8 de dezembro.

Sampaoli espera saber quanto o Peixe poderá investir para 2020 e prioriza as últimas rodadas do Brasileirão em busca da vaga direta na Libertadores da América – o título é sonho distante.

Neste momento, pelas informações iniciais passadas pelo Alvinegro à comissão técnica, a tendência é de saída antes do fim do contrato, que termina em dezembro de 2020. Mais do que reforços, Jorge Sampaoli não vê chance de manutenção do atual elenco.

“Há uma realidade que como pessoa física adoraria estar aqui. Viver em Santos foi o melhor que ocorreu comigo. Depois está o profissional, não quero enganar a torcida, vender situações que não existem. Tentei me reunir com Paulo (Autuori), mas não temos claro ainda o próximo ano, necessidades, balanço. Na próxima semana livre conversaremos sobre os jogadores que pensarão (para reforçar o elenco), não tenho claro. Me apresentaram projeto com dificuldade para 2020, mas não sei se clube pode gerar recursos para fazer essa campanha (atual), para mim excelente, se transformar em título. Não tenho claro. Há diferença como cidadão de Santos e de resolver com sensatez e profissionalismo meu futuro”, disse Sampaoli, em entrevista coletiva na última quinta-feira.

O Santos tem sérios problemas financeiros e deve, atualmente, dois meses em direito de imagem. O Peixe precisa diminuir a folha salarial para 2020 e não prevê grandes investimentos. Para piorar, precisa vender pelo menos um titular – Lucas Veríssimo e Soteldo são os mais cotados. Gustavo Henrique, em fim de contrato, e Jorge, emprestado pelo Monaco (FRA), devem sair.