Santos 4 x 1 Botafogo

Data: 03/11/2019, domingo, 19h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 30ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 7.524 pagantes
Renda: R$ 295.827,00
Árbitro: Rodrigo Dalonso Ferreira (SC)
Auxiliares: Alex dos Santos e Éder Alexandre (ambos de SC).
Árbitro de vídeo: Andre Luiz de Freitas Castro (GO)
Cartões amarelos: Marinho (S).
Gols: Eduardo Sasha (02-1), Marinho (12-1) e Igor Cássio (33-1); Soteldo (22-2) e Soteldo (23-2).

SANTOS
Everson; Pará, Lucas Veríssimo, Gustavo Henrique e Jorge; Diego Pituca, Evandro (Jobson) e Carlos Sánchez; Marinho (Venuto), Soteldo e Eduardo Sasha (Tailson).
Técnico: Jorge Sampaoli

BOTAFOGO
Gatito Fernández; Fernando, Joel Carli, Gabriel e Yuri; Wenderson, João Paulo e Gustavo Bochecha (Alex Santana); Marcinho (Leonardo Valencia), Igor Cássio e Victor Rangel (Vinicius Tanque).
Técnico: Alberto Valentim



Santos goleia o Botafogo na Vila Belmiro com show de Marinho e Soteldo

O Santos venceu o Botafogo por 4 a 1 na noite deste domingo, na Vila Belmiro, pela 30ª rodada do Campeonato Brasileiro. Os gols foram marcados por Soteldo (2), Eduardo Sasha e Marinho. Os cariocas fizeram o de honra com Igor Cássio.

O Peixe contou com alto nível de Soteldo e Marinho para construir a goleada. O camisa 10 fez dois gols, enquanto o dono do “mini míssil” anotou um e deu uma assistência.

Com a vitória, o Alvinegro da Vila segue na terceira colocação do Brasileirão, agora com 58 pontos, a cinco do Palmeiras e a 13 de distância para o líder Flamengo. Ameaçado pelo rebaixamento, o Fogão é o 14º, com 33.

O jogo

O Santos começou a partida on fire. O Botafogo foi acuado logo nas primeiras ações do Peixe e o gol não demorou a sair. Carlos Sánchez cobrou escanteio, Lucas Veríssimo escorou e Eduardo Sasha apareceu no segundo pau para abrir o placar no segundo minuto de jogo.

O Alvinegro seguiu em cima do Botafogo e Marinho marcou o segundo, em mais um gol de fora da área. O atacante fez seu primeiro diante dos cariocas, no primeiro turno, também da intermediária ofensiva.

O Santos diminuiu o ritmo após ampliar e o Fogão, aos poucos, equilibrou. As melhores jogadas foram criadas pelo alto. E foi assim que Igor Cássio marcou aos 33, depois de saída ruim de Everson em escanteio.

O Peixe “acordou” e criou chances com Evandro e Eduardo Sasha, mas parou em Gatito. 2 a 1 no intervalo.

O Santos voltou para a etapa final como começou a inicial. Aos 5, Soteldo cruzou e Marinho quase fez. No minuto 8, Marinho fez fila e chutou forte. Gatito defendeu essa finalização e também o rebote de Soteldo.

O Botafogo voltou a assustar quando o placar marcava 21. Jobson errou, João Paulo roubou e chutou para Everson espalmar. Jorge fez corte providencial no rebote. E aí brilhou a estrela de Soteldo.

O camisa 10 aproveitou passe de Marinho no contra-ataque e fez o terceiro. Um minuto depois, recebeu pela esquerda, driblou e fez um golaço no ângulo de Gatito. 4 a 1. O venezuelano ainda acertou a trave aos 27.

Os dois gols em dois minutos acabaram com qualquer chance do Botafogo. O Santos seguiu em cima e poderia ter feito ainda mais. Vitória merecida dos donos da casa.

Bastidores – Santos TV:

Sampaoli se emociona com goleada e revela “dívida” com o Santos

O técnico Jorge Sampaoli ficou emocionado com a goleada do Santos por 4 a 1 sobre o Botafogo neste domingo, na Vila Belmiro, pela 30ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O argentino destacou a superioridade do Peixe em relação ao Fogão e a busca incessante por mais gols.

“Não conhecia o torneio, tratei de aprender. Estou muito feliz pelo que a equipe fez em 11 meses. Não só pelos pontos, mas pela campanha com jogadores novos, jovens. Fomos primeiro, segundo ou terceiro ano. Por partidas como a de hoje, que emocionam. Equipe poderia ter feito cinco ou seis. Foi muito superior ao rival, não renuncia ao ataque por nada. Tomara que isso fique marcado com o tempo. Equipe que representa bem o Santos e a eles mesmos em campo e também a cidade. Esse tipo de jogo é o que nos entusiasma. Não negociar a forma. É o mais importante e que nos levou a esse lugar”, disse Sampaoli, em entrevista coletiva.

Sampaoli fez elogios, mas também alertou a equipe sobre a queda do ritmo. O Santos fez 2 a 0, sofreu o primeiro e quase se complicou na Vila.

“Tem que ser mais intenso, jogar rápido, passar mais rápido a bola. Demoramos no centro de campo para encontrar o passe seguinte. Isso torna a equipe um pouco lenta. Temos que encontrar quem está bem posicionado para fazer dano. Primeiros 20 minutos foram incríveis, depois 10 minutos que não nos encontramos com o gol sofrido e nos encontramos. É a evolução coletiva, individualmente não acho que faremos diferente do resto. Coletivamente, podemos fazer o que o povo santista quer”, afirmou.

“Volto a sentir que tentamos evoluir nosso estado de ânimo. Nos gerou o gol de bola parada, voltou a nos afetar. Foram 15 minutos quase cegos sem encontrar linha de passe, gerir o jogo. Depois no segundo tempo tivemos clareza conceitual com argumentos que nos permitiram ganhar com diferença”, emendou.

Por fim, Jorge Sampaoli falou sobre a autocobrança para ver o Santos igual na Vila Belmiro ou em qualquer outro lugar. O Peixe enfrentará Avaí e Goiás fora na sequência do Brasileirão. O Alvinegro é o terceiro colocado, com 58 pontos, a cinco do Palmeiras e a 13 do líder Flamengo.

“É uma dúvida pendente comigo, de não desfrutar o ataque em outros lugares como na Vila. Todas minhas equipes jogaram igual em todos os campos. Para nós custa um pouco desenvolver fora. Mandos são fortes no Brasil, se sente um pouco. Muita paixão pela casa e ambientes difíceis. Seguiremos trabalhando. Esses seis pontos são muito importantes. Equipes estão ganhando e nos obrigam a ganhar para irmos para a Libertadores. Então temos que ganhar”, concluiu.

“Fantásticos”: Sampaoli explica opção por Evandro e Sánchez “sócios” no Santos

O técnico do Santos, Jorge Sampaoli, está satisfeito com a presença de Evandro e Sánchez juntos no meio-campo do Santos. Eles atuaram na armação nas vitórias sobre Bahia e Botafogo.

O treinador admite a dificuldade defensiva de escalar a dupla, mas valoriza a construção ofensiva dos experientes jogadores. Evandro tem 33 anos. Sánchez, 34.

“Jogar com Sánchez e Evandro é tratar de jogar com quem gera muito em todo o ano. Sánchez na direita e Evandro na esquerda, a bola chega, não voltam para buscar. Dois jogadores com clareza para o ataque. Sánchez fez grande jogo, faltou o gol, mas gerou muito desconforto a João Pedro, volante central do Botafogo. Evandro teve complicação, não fez o que esperávamos, mas nos dá a clareza que necessitamos. Custa um pouco a marcação no defensivo, podemos sofrer, mas controlamos o jogo, nos dão muito ataque e compromisso com a equipe. São fantásticos e importante que estejam juntos e se complementem, que sejam sócios do ataque do Santos”, disse Sampaoli, em entrevista coletiva.

A complicação citada por Sampaoli foi um corte na nádega de Evandro. Nas redes sociais, vários torcedores alertaram sobre a possibilidade de ser uma hemorroida, inclusive o youtuber botafoguense Felipe Neto – fato negado pela assessoria de imprensa do Peixe.

Marinho desabafa e conta com apoio de Sampaoli no Santos: “Parte da evolução”

Marinho foi um dos destaques em campo e fora dele durante a vitória do Santos por 4 a 1 sobre o Botafogo neste domingo, na Vila Belmiro, pela 30ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O atacante fez um golaço contra o Fogão, no primeiro turno, e classificou o chute como “mini míssil aleatório”. Ao marcar novamente diante dos cariocas, a reportagem do Premiere pediu para ele dar o nome ao gol no intervalo. E a resposta foi surpreendente.

“Hoje não vou dar nome para esse gol, não. Gol é gol. É o trabalho que venho fazendo. Muita gente me conhece só por meme. Então, vocês têm de começar a olhar um pouquinho pra mim também como jogador de futebol, porque sou bom pra c…, entendeu?”, disse Marinho, irritado.

No apito final, Marinho mudou o tom e pediu desculpa ao jornalista. O carismático atleta explicou o desabafo.

“Resultado do trabalho. Peço desculpa, fui um pouco grosso (com o repórter). Nome do gol é trabalho. Me conhecem por ser brincalhão, tudo vira meme. Foi um desabafo. Aqui tem um cara que joga para caramba, se dedica”, afirmou.

Em entrevista coletiva, Jorge Sampaoli concordou com o Marinho e encheu seu jogador de elogios.

“Parte da evolução. Tudo com Marinho é risonho, mas ele é um grande jogador. Aprende a buscar companheiro, habilitar, soma assistências e gols. É importante que se valorize não só por extrovertido, mas pelo potencial como atacante. Espero que esteja assim na próxima partida para ajudar o Santos na classificação para a Libertadores. Aprende a não ser individual e jogar para os companheiros. Ser reconhecido como jogador e não só pelas piadas é um bom passo”, avaliou.

Marinho foi contratado neste ano e tem quatro gols e três assistências pelo Santos. O contrato vai até 2022.