Santos 2 x 1 Paysandu

Data: 25/11/1995, sábado, 16h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 2º turno – 10ª rodada (antepenúltima)
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 13.496 pagantes
Renda: R$ 119.125,00
Árbitro: Carlos Eugênio Simon (RS).
Cartões amarelos: Narciso e Ronaldo Marconato (S); Oberdan, Barbosa e Catanha (P).
Cartões vermelhos: Marcos Adriano (S) e Bezerra (P).
Gols: Carlinhos (05-1), Giovanni (22-1) e Catanha (24-2, de pênalti).

SANTOS
Edinho; Marcelo Silva (Camanducaia), Narciso, Ronaldo Marconato e Marcos Adriano; Gallo, Carlinhos, Vagner e Robert; Giovanni e Jamelli.
Técnico: Cabralzinho

PAYSANDU
Marcelo Valença; Balu, Augusto, Paulo Roberto. Biro-biro, Alexandre Pinho (Oberdan), Rubens Cesar (Barbosa), Chiquinho (Gilmar Serafim) e Bezerra; Catanha e Flavio Costa.
Técnico: Lula Pereira



Santos vence Paysandu e se torna líder

O Santos se tornou líder do Grupo B do Campeonato Brasileiro, ontem, ao bater o Paysandu por 2 a 1, na Vila Belmiro.

Os gols foram marcados por Carlinhos e Giovanni, para o Santos. Catanha descontou, de pênalti, para o Paysandu.

O resultado deixou a equipe santista com 21 pontos. Superou, assim, o Atlético-MG, seu maior adversário na luta para alcançar a fase semifinal da competição.

O Santos fez 1 a 0 logo aos 5min. Carlinhos bateu falta da intermediária e a bola entrou no ângulo, sem chance para o goleiro Marcelo Valença.
Aproveitando-se da fragilidade da defesa paraense, o Santos se mantinha no ataque.

Aos 7min, Giovanni superou dois zagueiros e tocou por cobertura. Valença se esticou e conseguiu espalmar para escanteio.

Aos 21min, porém, Giovanni teve sucesso. Livre da marcação individual feita por Balu, escorou, de cabeça, bom cruzamento de Marcos Adriano. Foi o segundo do Santos no jogo e o 11º do jogador no campeonato.

O favoritismo da equipe aumentou ainda mais aos 36min, quando Bezerra foi expulso após fazer falta em Marcelo Silva.

Na segunda etapa, Catanha assustou aos 2min, chutando uma bola cruzada na trave de Edinho, batido no lance.

Cinco minutos mais tarde, Jamelli deu o troco, chutando também na trave uma bola que sobrou na linha da grande área paraense.

Mas o Santos arrefeceu o ritmo e começou a dar espaço para o adversário. E, aos 23min, Marcos Adriano acabou evitando o gol com a mão, na pequena área.

O pênalti foi marcado e, como manda a regra, o lateral foi expulso. Catanha bateu e deixou o placar em 2 a 1.

O gol empolgou a equipe do Paysandu, que acabou crescendo no jogo. Mas o Santos conseguiu segurar o resultado.

Sucesso impulsiona comércio

A possibilidade de disputar um título após 11 anos tem levado centenas de torcedores aos treinos do Santos, na Vila Belmiro. O comércio já registra aumento nas vendas de camisas.

Nas principais lojas de artigos esportivos da cidade, o aumento nas vendas também foi registrado.

“Só na semana passada vendi mais de cem camisas. Um aumento de mais de 50%. O que você imaginar com o símbolo do Santos está estourando de vender”, disse o ex-centroavante do Santos Aluísio Guerreiro, 38.

Dono de uma loja de artigos esportivos no centro da cidade, Guerreiro disse que o Santos está recuperando a sua credibilidade . “Os torcedores voltaram a acreditar no futuro”, disse.

Na rede de lojas A Esportiva, a venda de artigos do Santos triplicou, segundo o sub-gerente Márcio Rogério Santos, 26.

“Na segunda-feira, recebemos 60 camisas. Vendemos tudo em dois dias. Tenho cliente na fila de espera. Tentei pegar camisas com outras lojas da rede e todas também venderam tudo”, disse.