Santos 4 x 0 Ponte Preta

Data: 26/03/2014, quarta-feira, 19h30.
Competição: Campeonato Paulista – Quartas de final
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 10.039 pagantes
Renda: R$ 280.532,00
Árbitro: Vinicius Furlan (SP)
Auxiliares: Danilo Ricardo Simon Manis e Alex Ang Ribeiro (ambos de SP).
Cartões amarelos: Alison (S).
Gols: Cícero (21-1); Geuvânio (04-2), Gabriel (15-2) e Diego Cardoso (34-2).

SANTOS
Aranha; Cicinho, Neto, David Braz e Mena; Arouca, Cícero e Geuvânio; Gabriel (Alison), Thiago Ribeiro e Leandro Damião (Diego Cardoso).
Técnico: Oswaldo de Oliveira

PONTE PRETA
Roberto; Ferrugem, César, Diego Sacoman e Magal; Bruno Silva, Fernando Bob e Adrianinho (Bida); Silvinho (Neílson), Antônio Flávio e Alemão (Rossi).
Técnico: Vadão



Santos passa fácil pela Ponte Preta e garante vaga na semifinal do Paulistão

Jogando na Vila Belmiro, time de Oswaldo de Oliveira goleou e agora encara o Penapolense por um lugar na decisão

O dono da melhor campanha do Campeonato Paulista não teve dificuldade para chegar à semifinal. Na noite desta quarta-feira, o Santos comprovou sua superioridade e derrotou a Ponte Preta por 4 a 0, em jogo realizado na Vila Belmiro, com até gritos de ‘olé’ da torcida.

Com poucas ameaças dos visitantes, o time da casa abriu o placar ainda no primeiro tempo, com gol de Cícero. A Macaca ainda se lançou ao ataque para tentar reagir, mas não conseguiu furar o bloqueio dos mandantes. Assim, no início da etapa complementar, Geuvânio aproveitou boa jogada de Leandro Damião e fez o segundo.

Já o terceiro foi marcado por Gabriel, pouco antes de ter sido substituído por Alison. O garoto Diego Cardoso, que entrou no lugar de Leandro Damião no decorrer da etapa, assinalou o quarto gol dos anfitriões.

Com o resultado favorável, o Santos reafirma sua melhor campanha no Estadual e vai enfrentar o Penapolense na semifinal, que será disputada no fim de semana.

O jogo

O Santos começou a partida apostando em seu ponto forte: a velocidade. Assim, logo aos dois minutos, em rápido avanço, Gabriel recebeu cruzamento da esquerda e só não conseguiu balançar as redes porque Roberto saiu na hora certa para abafar. Para viabilizar suas jogadas na frente, o time também pressionou a saída de bola da Ponte, conseguindo desarmar os defensores de forma até fácil em alguns momentos, mas sem aproveitar de forma efetiva para balançar as redes.

Enquanto os donos da casa buscavam com mais afinco o ataque, a Macaca desperdiçava as oportunidades por conta do elevado número de passes errados na frente. Em nova chance do Peixe, Geuvânio fez boa jogada individual pela direita da área e arrematou na rede pelo lado de fora. Na primeira resposta de verdade dos visitantes, Alemão aproveitou vacilo da defesa santista e apareceu completamente livre na área, cabeceando para fora.

No lance seguinte, Roberto quase se complicou para segurar batida forte de Thiago Ribeiro, mas se recuperou. Pouco depois, Leandro Damião driblou o defensor na meia-lua e arrematou bem, exigindo nova defesa do goleiro. Mas Roberto não conseguiu se segurar por muito tempo.

Aos 21 minutos, depois de cobrança de escanteio, Neto desviou de cabeça, e Ferrugem tentou afastar, mas o rebote sobrou para Cícero, que, com liberdade na área, finalizou para fazer o gol. Com a vantagem no placar, em vez de pressionar para buscar o segundo, o Peixe recuou e passou a cometer muitas faltas em sua intermediária.

Com Vadão dando broncas à beira do gramado, a equipe campineira se acertou aos poucos. Adrianinho e Silvinho foram os encarregados pelas cobranças de faltas para a área, mas Aranha e a zaga se saíram melhor. Na única chance em que os santistas não afastaram, Diego Sacoman cabeceou para muito perto da meta adversária.

No entanto, antes do fim da etapa, o Santos quase ampliou. Gabriel recebeu cruzamento da direita na área e desviou de primeira, exigindo defesa do goleiro. No rebote, Geuvânio finalizou para fora.

As duas equipes voltaram sem alterações para a etapa final, e logo o Santos fez o segundo. Leandro Damião fez uma assistência de bicicleta para Geuvânio, que avançou pela direita, invadiu a área, driblou Diego Sacoman e finalizou no canto, para superar o goleiro Roberto.

Com a desvantagem, a Ponte se lançou no desespero ao ataque, mas sem trabalhar a bola de forma consistente. Assim, sofreu o terceiro gol. Aos 15 minutos, Gabriel domino pela meia-direita, puxou para o meio e arrematou rasteiro, no canto, para fazer o gol. Com o placar tranquilo, Oswaldo de Oliveira tirou Gabriel para colocar Alison.

Já Vadão apostou no que pôde, tirando Alemão e Adrianinho para as entradas de Rossi e Bida. Enquanto isso, Oswaldo ainda teve a tranquilidade de poupar Damião, colocando o garoto Diego Cardoso. Em pouco tempo em campo, o jovem atleta quase balançou as redes depois de jogada de Thiago Ribeiro.

Mas o garoto não deixou o jogo sem comemorar. Aos 34, Diego Cardoso recebeu cruzamento com liberdade e mandou sem dificuldade para a rede. A partir daí, a torcida santista pôde até gritar ‘olé’ nas trocas de passes.

Aranha celebra equilíbrio do Santos em goleada sobre a Ponte Preta

“Estamos no caminho certo e temos que dar continuidade ao trabalho”, afirmou o goleiro alvinegro

O goleiro Aranha exaltou o desempenho do Santos na goleada por 4 a 0 sobre a Ponte Preta , nesta quarta-feira, pelas quartas de final do Campeonato Paulista. Quase sem ter sido ameaçado pela equipe campineira, o arqueiro se mostrou satisfeito com o equilíbrio do Peixe na Vila Belmiro.

“Nossa equipe fez uma partida muito boa, porque nós criamos bastante e demos pouquíssimas oportunidades para a Ponte. Estamos no caminho certo e temos que dar continuidade ao trabalho”, afirmou.

O Peixe abriu o placar no primeiro tempo, com Cícero, e ainda sentiu um pouco dos avanços da Macaca. Porém, na segunda etapa, o time do técnico Oswaldo de Oliveira teve amplo domínio e balançou a rede com Gabriel, Geuvânio e Diego Cardoso.

“Todo mundo está de parabéns, e nossa pegada tem de ser assim mesmo. Temos de focar o próximo jogo, porque não acabou ainda”, declarou Cícero, reforçando o discurso do goleiro.

O meio-campista inaugurou a contagem ao aproveitar bola espirrada em cobrança de escanteio, depois de desvio de Ferrugem. “Eu me afastei um pouco do pessoal, a bola sobrou e fui feliz por fazer o gol”, explicou.

Dono da melhor campanha deste Campeonato Paulista, o Santos aguarda o complemento das quartas de final para saber quem será seu adversário na semifinal, no fim de semana.

“Exímio ciclista”, Damião revela treinamentos de passe de bicicleta

Atacante deu assistência diferente para Geuvânio marcar o quarto gol do Santos sobre a Ponte Preta na Vila Belmiro

Dos quatro gols do Santos na vitória por 4 a 0 sobre a Ponte Preta, o grande destaque ficou para a jogada finalizada por Geuvânio para a rede. Além de o garoto ter mostrado mais uma vez velocidade e precisão, o lance também começou de um jeito diferente, com assistência de bicicleta de Leandro Damião.

“Nós já estamos bem entrosados, e o Geuvânio é um menino muito rápido. Estamos sempre treinando esta jogada e deu certo no jogo. Não foi fácil, mas ele driblou o zagueiro e fez o gol”, explicou.

Na jogada em questão, Leandro Damião estava na intermediária quando a bola chegou pelo alto e, pressionado por dois marcadores, emendou uma bicicleta, acionando Geuvânio pela direita.O garoto, então, avançou em velocidade, driblou um zagueiro e arrematou para superar o goleiro Roberto. Com bom humor, o técnico Oswaldo de Oliveira exaltou a jogada de Damião no terceiro gol.

“Ele é um exímio ciclista, tem um aproveitamento muito bom. Já vimos fazendo isso no Inter. Ele gosta de lambreta também, ou seja, gosta de duas rodas. É claro que é um recurso. Antes, tentou em outra jogada e falou para o Geuvânio ficar atento. Assim, conseguiu na segunda vez”, elogiou.

Além do gol de Geuvânio, os outros tentos do Santos foram marcados por Cícero, Gabriel e Diego Cardoso. O resultado eliminou a Ponte e classificou o time à semifinal do Paulistão.