Fortaleza 2 x 1 Santos

Data: 28/11/2019, quinta-feira, 20h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 35ª rodada
Local: Arena Castelão, em Fortaleza, CE.
Público: 33.925 pagantes
Renda: R$ 271.260,00
Árbitro: Diego Pombo Lopez (BA)
Auxiliares: Eduardo Gonçalves da Cruz (MS) e Elicarlos Franco de Oliveira (BA).
VAR: Rodrigo D’Alonso Ferreira (SC)
Cartões amarelos: Felipe, Juninho e Rogério Ceni (F); Luan Peres, Pará, Derlis González, Eduardo Sasha, Lucas Veríssimo, Jorge Sampaoli, Evandro, Jean Mota e Soteldo (S).
Cartão vermelho: Soteldo (S).
Gols: Edinho (04-2), Osvaldo (19-2) e Carlos Sánchez (23-2).

FORTALEZA
Felipe Alves; Gabriel Dias, Paulão, Quintero e Bruno Melo; Felipe (Araruna) e Juninho; Romarinho, Edinho (Tinga), Osvaldo (Kieza) e Wellington Paulista.
Técnico: Rogério Ceni

SANTOS
Everson; Pará, Lucas Veríssimo, Luiz Felipe (Jean Mota) e Luan Peres (Evandro); Alison, Carlos Sánchez e Diego Pituca (Felipe Jonatan); Derlis González, Soteldo e Eduardo Sasha.
Técnico: Jorge Sampaoli



Sánchez perde pênalti no fim, e Fortaleza acaba com invencibilidade do Santos

Em jogo muito movimentado do início ao fim, o Fortaleza venceu o Santos por 2 a 1 na noite desta quinta-feira, no Castelão, em jogo válido pela 35ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Os donos da casa abriram 2 a 0 no segundo tempo com Edinho e Osvaldo. O Peixe diminuiu com Carlos Sánchez e teve chance para pontuar quando o uruguaio desperdiçou pênalti perto do fim.

O Fortaleza acaba com uma invencibilidade de sete jogos do Alvinegro no Brasileirão. A última derrota santista havia sido contra o Atlético-MG, em 20 de outubro. Além disso, foi a primeira vitória diante desse adversário na história, depois de 14 encontros.

O Tricolor assume a 10ª colocação do Nacional, com 46 pontos. O Santos segue na vice-liderança, com 68. O Palmeiras perdeu para o Fluminense no Maracanã.

O jogo

O Santos quase abriu o placar antes mesmo do placar marcar um minuto. Eduardo Sasha roubou a bola do goleiro Felipe Alves e ela sobrou limpa para Carlos Sánchez, de canhota, errar o gol aberto.

No minuto 10, novamente Sánchez: o uruguaio recebeu na direita, cortou e tentou de novo com a perna esquerda. Felipe Alves espalmou de mão trocada.

O Fortaleza equilibrou as ações e só voltou a levar susto aos 33, quando Derlis González foi acionado por Diego Pituca no contra-ataque e cruzou. Quintero fez corte providencial antes de Sánchez aparecer para marcar o gol.

Na sequência, os donos da casa ficaram perto de abrir o placar. Edinho ganhou de Luan Peres e cruzou, Luiz Felipe cortou mal e Osvaldo tentou voleio. A bola pintou, encobriu Everson e raspou o travessão.

Ainda deu tempo do Peixe, mais perigoso na etapa inicial, obrigar Felipe Alves a fazer outra boa intervenção em cabeceio de Luan Peres no minuto 33.

O Fortaleza voltou mais agressivo para a etapa final e foi recompensado logo aos quatro minutos, em cobrança de falta bem batida por Edinho. Everson foi mal no lance, tocou na bola e não conseguiu evitar o gol.

O Santos buscou a reação e esteve perto no minuto 8, quando Sánchez foi derrubado na área e o árbitro marcou pênalti. O uruguaio, porém, estava impedido. Aos 12, Derlis perdeu enorme oportunidade depois de cruzamento de Pituca.

E depois das chances perdidas pelo Peixe, o Fortaleza ampliou no minuto 19. Romarinho fez boa jogada pela direita e cruzou, Luiz Felipe falhou e Osvaldo deslocou Everson. 2 a 0.

O Alvinegro mostrou poder de reação e diminuiu aos 23. Diego Pituca botou a bola na cabeça de Sánchez e o uruguaio foi preciso para marcar o primeiro.

O Santos se lançou inteiro ao ataque e quase foi surpreendido em contragolpe aos 30. Osvaldo tabelou com Romarinho, adiantou demais e chutou para fora. Na sequência, o Peixe ficou perto de buscar o empate.

Evandro roubou a bola de Juninho na área e sofreu o pênalti confirmado depois do auxílio do vídeo. Carlos Sánchez bateu e acertou a trave de Felipe Alves. O Santos insistiu nos minutos finais, mas não conseguiu fazer o gol. 2 a 1 para o Fortaleza no apito final.

Sampaoli se irrita, despista sobre futuro no Santos e reclama de “vergonha” em Fortaleza

Jorge Sampaoli concedeu uma entrevista coletiva no “modo pistola” após a derrota do Santos por 2 a 1 para o Fortaleza na noite desta quinta-feira, no Castelão, pela 35ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Na primeira pergunta, ele interrompeu o repórter durante fala sobre as escolhas de Sampaoli: Luan Peres na lateral, depois Diego Pituca e por fim Felipe Jonatan.

“Você está me contando do jogo? Me pergunte… Coloquei o primeiro Luan, depois Pituca e depois Felipe Jonatan. Isso se responde sozinho”, disse o técnico.

No segundo questionamento, despistou sobre o futuro no Peixe e reclamou da “vergonha do século passado” com as bolas murchas no estádio.

“Expliquei mil milhões de vezes. Penso em ganhar cada jogo. Hoje se escapou resultado em cenário difícil, perdemos sem merecer. Parecia jogo do século passado, murcharam bolas. Uma vergonha. É como atrasar o jogo em 50 ou 100 anos”, disse Sampaoli, antes de interromper mais pergunta, dessa vez sobre a ausência de Jorge, cortado por “incômodo no joelho direito.

“Não está em condições. Se estiver recuperado, sim (joga). Hoje não está em condições”, afirmou.

Na sequência, o suposto interesse do Palmeiras foi levado em pauta. E mais uma resposta seca do argentino.

“Especulações midiáticas. Não falaria com nenhum clube estando nessa instituição”, concluiu.

Jean Mota diz que gandulas murcharam bolas em derrota do Santos

Jean Mota disse que gandulas furaram bolas nos minutos finais da vitória do Fortaleza por 2 a 1 sobre o Santos na noite desta quinta-feira, no Castelão.

O Peixe reclamou demais da arbitragem por causa dos cartões amarelos recebidos. Pará e Soteldo foram expulsos no fim da partida.

“O jogo parou seis minutos e ele deu seis de acréscimo. O Felipe Alves ficou quatro minutos para ser atendido, e os gandulas murcharam as bolas e a gente ficou mais três minutos parados. Aí ele deu mais um minuto. Não existe. Essa foi a reclamação”, disse Jean Mota, ao Premiere.

Sánchez admite nervosismo do Santos por causa da falta de “categoria” do árbitro

Carlos Sánchez admitiu o nervosismo do Santos e justificou com a “falta de categoria” do árbitro Diego Pombo Lopez (BA) na derrota por 2 a 1 sobre o Fortaleza na noite desta quinta-feira, no Castelão, pela 35ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O Peixe reclamou demais da arbitragem por causa dos cartões amarelos recebidos e falta de acréscimos. Pará e Soteldo foram expulsos no fim da partida.

“Sim, ficamos nervosos. Árbitro não tem categoria e não pode trabalhar neste jogo. Era só amarelo para nós. Tomou muito o protagonismo”, disse Sánchez, ao Premiere.

O uruguaio diminuiu o placar, mas perdeu pênalti aos 39 minutos do segundo tempo.

Santos tem cinco desfalques por suspensão para enfrentar a Chape: “Arbitragem horrível”, diz Pará

O técnico Jorge Sampaoli, o zagueiro Luan Peres, o lateral-direito Pará, o meia Jean Mota e o atacante Soteldo desfalcarão o Santos na partida contra a Chapecoense, domingo, na Vila Belmiro, pela 36ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Sampaoli, Luan e Jean Mota receberam o terceiro cartão amarelo na partida contra o Fortaleza desta quinta-feira, no Castelão. Sampaoli, mais uma vez, por reclamação. Luan e Jean por faltas fortes na defesa. Soteldo e Pará levaram duas advertências e foram expulsos.

“Arbitragem horrível. Não disse nada, ele só fez uma arbitragem horrível”, disse Pará, ao Premiere.

O auxiliar Jorge Desio substituirá Sampaoli mais uma vez na área técnica. Na defesa, Gustavo Henrique retorna depois de cumprir suspensão e Victor Ferraz deve atuar. Jean Mota seria provável reserva. Soteldo tem Felipe Jonatan, Tailson, Derlis González e Venuto como possíveis suplentes.

Outra novidade do Peixe será Marinho. Em ótima fase, o atacante também foi desfalque em Fortaleza por causa dos cartões.