Palmeiras 2 x 1 Santos

Data: 09/02/2002
Competição: Torneio Rio SP
Local: Estádio Parque Antarctica, em São Paulo, SP.
Público: 10.551 pagantes
Renda: N/D
Árbitro: Cleber Wellington Abade (SP)
Gols: Alex (35-1), William (08-2) e Arce (19-2, de pênalti).

PALMEIRAS
Marcos; Arce, Alexandre, Thiago Matias e Adauto; Fernando, Magrão, Lopes (Juliano), Alex (Galeano); Itamar e Christian (Muñoz).
Técnico: Wanderley Luxemburgo

SANTOS
Fábio Costa; Odvan, Preto e Cléber (Elano); Michel, Paulo Almeida, Marcelo Silva, Diego (William) e Léo; Robert (Esquerdinha) e Oséas.
Técnico: Celso Roth



Ataques falham, e Palmeiras ganha o clássico na bola parada

Palmeiras e Santos entraram em campo para tentar firmar seus ataques, mas os titulares do setor ofensivo de cada equipe fracassaram e o clássico foi decidido nas bolas paradas. O time do Parque Antarctica levou a melhor e venceu por 2 a 1, na tarde deste sábado, em casa.

Alex, em cobrança de falta, e Arce, de pênalti, marcaram respectivamente o quinto e sexto gols palmeirenses em bola parada neste Torneio Rio-São Paulo. William, autor do gol da vitória santista contra o Corinthians, voltou a marcar, mas não impediu a derrota da equipe litorânea.

Com a vitória, o Palmeiras chegou aos dez pontos e passou a dividir a vice-liderança do Torneio Rio-São Paulo com a Ponte Preta _o primeiro colocado é o Botafogo, com um ponto a mais. O Santos se distanciou das primeiras posições e continuou com sete.

A equipe comandada pelo técnico Wanderley Luxemburgo foi absoluta no primeiro tempo do clássico. As primeiras chances foram criadas com cobranças de faltas e escanteio de Arce. Em um desses “corners” cobrados pelo paraguaio, Itamar fez de cabeça, mas o juiz marcou uma duvidosa falta de Christian em Cléber e anulou o gol.

Os santistas tiveram dificuldades para passar do meio-campo. Os dois armadores do time, Robert e Diego, sofreram forte marcação de Magrão e Fernando e não conseguiram levar a bola para Oséas.

De tanto pressionar, o Palmeiras abriu o placar aos 35min. Alex cobrou falta da entrada da área com perfeição e colocou a bola no canto direito de Fábio Costa.

Na volta para a segunda etapa, Celso Roth tirou Diego e colocou William. O time melhorou e equilibrou a partida. O herói santista no clássico com o Corinthians voltou a brilhar e logo aos 6min empatou, após passar por Magrão e chutar forte de fora da área.

Mas 11 minutos depois, Itamar invadiu a área e foi agarrado por Cléber. Arce cobrou bem o pênalti e colocou o Palmeiras novamente à frente no placar.

O Santos não desanimou e foi para cima. O zagueiro Odvan acertou uma bola na trave antes de outro polêmico lance. Depois de cobrança de falta de Robert, Cléber ajeitou para o meio da área e Marcelo Silva desviou de cabeça. Marcos fez a defesa em cima da linha e os santistas pediram o gol. O juiz mandou o jogo prosseguir.

No final os visitantes pressionaram e quase chegaram ao empate. Aos 43min, Elano cobrou falta próximo da área e a bola saiu perigosamente à direita de Marcos. Dois minutos depois, Michel cruzou da direita, Marcelo Silva subiu mais que a zaga palmeirense e cabeceou rente à trave esquerda do goleiro palmeirense, que só observou a bola sair.