Vitória 2 x 0 Santos

Data: 01/11/1997, sábado, 21h40.
Competição: Campeonato Brasileiro
Local: Estádio Manoel Barradas, o Barradão, em Salvador, BA.
Público: 9.160 pagantes
Renda: R$ 67.825,00
Árbitro: Carlos Eugênio Simon (RS).
Cartão vermelho: Kléber (V).
Gols: Kléber e Narcizio.

VITÓRIA
Nilson; Russo, Flávio, Moas, Esquerdinha; Bebeto Campos, Preto, Uéslei e Kléber; Petkovic e Túlio (Narcizio).
Técnico: Evaristo de Macedo

SANTOS
Zetti; Ânderson Lima (Baiano), Jean, Ronaldão e Dutra; Narciso, Marcos Assunção, João Santos (Alexandre) e Caíco; Macedo (Arinelson) e Caio.
Técnico: Vanderlei Luxemburgo



Santos continua sem vencer fora de casa

O Santos perdeu ontem para o Vitória, em Salvador, por 2 a 0. Com o resultado, a equipe baiana totalizou 36 pontos e manteve as possibilidades de ser a oitava colocada na primeira etapa do Brasileiro. Os oito primeiros passam para a próxima fase.

O Santos, apesar da derrota, continua em sétimo, com 37 pontos, e muito perto da classificação.

Com o Vitória, brigam Juventude, que pega hoje o Fluminense, e América-RN, que enfrenta o São Paulo. O time paulista, que torcia ontem pelo Santos, acabou sendo eliminado da competição.

Para o Santos, o insucesso em Salvador manteve o tabu de praticamente quatro meses que o time não vence fora de casa.

A última vitória da equipe fora da Vila Belmiro foi em 6 de julho, no Maracanã, 3 a 2 contra o Flamengo, justamente em sua estréia no Brasileiro.

O jogo

No primeiro tempo, o time de Wanderley Luxemburgo optou por um esquema marcado pelo excesso de cautela. O Santos criou apenas duas boas chances de gol, uma com o lateral-esquerdo Ânderson, outra com o zagueiro Jean.

Antes de abrir o placar, o Vitória estivera, em mais de uma ocasião, muito próximo de sair na frente.

O atacante Túlio, que tem perdido diversos gols fáceis de marcar nas últimas partidas, só não fez o primeiro do Vitória porque o santista Narciso salvou quase em cima da linha.

O primeiro gol do time da casa saiu aos 38min do primeiro tempo, anotado pelo atacante Kléber.

No segundo tempo, com desvantagem no marcador, o Santos partiu para o ataque. O Vitória recuou, deixando apenas Túlio na frente.

Aos 31min, o Santos perdeu uma grande chance de empatar, quando Caíco desperdiçou um pênalti em favor de sua equipe, muito contestado pelo time da casa e, principalmente, pelo técnico Evaristo de Macedo.

Já nos descontos, Narcízio, entrando no lugar de Túlio, que saiu vaiado, completou o placar.



Santos busca quebrar tabu de 117 dias ( Em 01/11/1997 )

O Santos enfrenta o Vitória hoje, às 21h40, no estádio Manoel Barradas, em Salvador, precisando vencer para garantir matematicamente sua vaga para a próxima etapa do Campeonato Brasileiro.

A vitória também serve de estímulo à equipe, que há 117 dias não vence fora da Vila Belmiro -em 6 de julho derrotou o Flamengo por 3 a 2, no Maracanã (RJ), em sua estréia no Campeonato Brasileiro.

Fora de casa, acumulou seis derrotas e quatro empates na competição -além de três derrotas na Supercopa, torneio que foi disputado paralelamente ao nacional.

Em caso de classificação, o Santos não poderá mais levar os jogos em que tem o mando para a Vila Belmiro. O estádio não tem capacidade para 40 mil torcedores, como exige o regulamento. No clássico com o São Paulo, chegou-se à capacidade máxima -23 mil.

A diretoria santista vai pressionar a CBF para poder jogar em Santos. Tem o apoio do Vasco, que também pretende levar seus jogos para o estádio de São Januário.

O técnico Wanderley Luxemburgo tem conversado com o grupo de atletas sobre a necessidade de aproveitar a última oportunidade de vencer fora de casa na fase classificatória.

“O professor Wanderley explicou que a vitória dará moral para o grupo encarar a próxima fase. O Santos tem de mostrar que joga bem dentro e fora de casa”, afirmou o lateral-esquerdo Dutra.

O treinador disse que não altera o esquema tático contra o Vitória -mesmo sem contar com Müller, suspenso.

“Time que eu dirijo entra em campo para vencer. Lógico que na atual circunstância o empate não é um mau resultado”, afirmou.

Narciso se diz adaptado

Destaque do Santos desde que o técnico Wanderley Luxemburgo resolveu improvisá-lo como volante, o zagueiro Narciso diz que já está adaptado à nova posição.

Repórter – Foi preciso trocar de posição para voltar a jogar bem?
Narciso – As mudanças táticas e técnicas feitas pelo professor Luxemburgo deram certo. O Santos está perto da classificação e tudo isso contribuiu para melhorar meu futebol.

Repórter – Você prefere jogar de volante ou zagueiro?
Narciso – Nos últimos anos, joguei como zagueiro, mas comecei minha carreira atuando como volante. Como volante, voltei a ter boas atuações e isso tem agradado ao Luxemburgo.

Repórter – Quais as diferenças entre as posições?
Narciso – Como volante, tenho mais liberdade para sair jogando e armar algumas jogadas de ataque. Como zagueiro, minha posição dentro de campo é mais limitada.

Repórter – Por que o Santos ainda não mostrou fora de casa o mesmo futebol apresentado na Vila Belmiro?
Narciso – Na Vila, contamos sempre com o apoio da torcida e somos mais ofensivos. Mesmo assim, o Santos está encarando de igual para igual qualquer adversário fora de casa.



Fonte: Estadão