Fluminense 1 x 1 Santos

Data: 16/03/2002
Competição: Torneio Rio SP
Local: Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro, RJ.
Público: 8.861
Renda: R$ 64.995,00
Árbitro: Valdomiro da Silva Filho (PE)
Cartões amarelos: Murilo, Maurício Fernandes, Fabinho e Flávio (F); Odvan, André Luís e Oséas (S).
Gols: Roger (17-1) e André Luis (11-2).

FLUMINENSE
Murilo; Flávio, Maurício, Régis, Júnior César (Alex); Fabinho, Paulo Cesar, Bismarck, Fernando Diniz, Roger; Magno Alves e Julio Cesar (Marco Brito).
Técnico: Oswaldo de Oliveira

SANTOS
Fábio Costa; Michel, André Luis, Odvan e Léo; Paulo Almeida (Douglas), Marcelo Silva, Renato e Robert; Esquerdinha (Wellington) e Oséas (William).
Técnico: Celso Roth



Santos e Fluminense só empatam e se complicam no Rio-São Paulo

O empate em 1 a 1 entre Santos e Fluminense, no Maracanã, não foi bom para nenhuma das duas equipes. Com esse resultado as duas equipes tornaram mais difícil a classificação para as semifinais do Torneio Rio-São Paulo. O Santos está na 8ª posição com 15 pontos e o Fluminense na 11ª colocação com 12 pontos.

O Santos ainda teve a chance de sair com a vitória em um pênalti sofrido por Oséas no final da partida, mas o zagueiro André Luis chutou a bola por cima do gol do Fluminense.

“Tentei tirar ela do Murilo, mas peguei muito embaixo da bola e ela subiu demais”, tentou se explicar André Luis.

O primeiro tempo da partida começou com amplo domínio do Fluminense, que chegava com velociade ao gol do Santos, mas pecava nas finalizações.

O meia Roger armava as principais jogadas e abriu o placar em um lance de bola parada. Aos 17min do primeiro tempo Roger cobrou falta com perfeição da entrada área e fez 1 a 0.

O Santos sentiu o gol e não conseguiu diminuir a vantagem do Fluminense no primeiro tempo. Na volta do intervalo a equipe santista voltou melhor e se lançou no ataque.

Esquerdinha e Robert empurraram o time ao ataque, mas o gol de empate só saiu em um lance de bola parada. O zagueiro André Luis cobrou a falta, a bola desviou na barreira e acabou enganando o goleiro Murilo.

Para o técnico Celso Roth faltou tranquilidade na hora da conclusão. “Tivemos grandes chances para conseguir a vitória, mas na hora de finalizar não fomos felizes”, disse Roth.

“Precisamos ter paciência com essa equipe que está em formação”, completou o técnico Celso Roth.