Goleiros:
Edinho
Gilberto
Robson


Laterais:
Marquinhos Capixaba
Marcos Adriano
Marcelo Silva
Marcos Paulo
Piá
Ronaldo


Zagueiros:
Narciso
Ronaldo Marconato
Jean
Marcelo Moura
   


Volantes:
Gallo
Carlinhos
Pintado
Cerezo
Batista
 


Meias:
Giovanni
Robert
Vágner
Marcelo Passos
   


Atacantes:
Jamelli
Macedo
Camanducaia
Whelliton
   


Técnicos:
Cabralzinho
Joãozinho



Santos Futebol Clube

– Presidente: Samir Jorge Abdul-Hak (1994/1995)
– Patrocínio: Lousano e Unicór
– Fornecedor: Amddma

Elenco:

G – Edson Cholbi Nascimento (Edinho)
G – Gilberto Félix Melo
G – Róbson Oliveira Agondi

LD – Marco Antônio Moraes Wandermurem (Marquinhos Capixaba)
LE – Marcos Adriano Gonçalves de Barros
LD – José Marcelo da Silva (Marcelo Silva)
LE – Marcos Paulo dos Santos
LE – Marcus Vinícius Pedro Nogueira (Piá)
LD – Ronaldo José Coelho Barbosa

Z – Narciso dos Santos
Z – Paulo Ronaldo Marconato
Z – Jean Carlo Witte
Z – Marcelo Moura Fernandes

V – Alexandre Tadeu Gallo
V – Carlos Eduardo de Gouveia (Carlinhos)
V – Vágner Rogério Nunes
V – Luís Carlos de Oliveira Preto (Pintado)
V – Ivanir Antônio dos Santos (Cerezo)
V – Batista

MD – Giovanni Silva de Oliveira
ME – Robert da Silva Almeida
M – Paulo Roberto Jamelli Júnior
MA – Marcelo Passos de Oliveira

A – Natanael dos Santos Macedo
A – Marcelo Fernando Domingues de Rezende (Camanducaia)
CA – Whelliton

T – João Rosa (Joãozinho) / Carlos Roberto Ferreira Cabral (Cabralzinho)

Outros:

TI – Antônio Wilson Honório (Coutinho)



Histórico:

No gol o príncipe Edinho, que alternava boas e más apresentações. Na lateral direita, Marquinhos Capixaba, que ficou afastado por muito tempo por contusão dando oportunidade para que os volantes Marcelo Silva ou Vágner jogassem improvisados ali.

Na lateral esquerda o rápido Marcos Adriano, ex-São Paulo e Flamengo tomou conta e tinha o jovem Marcos Paulo como suplente.

Na zaga contávamos com o prata da casa Jean, Ronaldo Marconato que veio da Ferroviária e Narciso, que veio do Paraguaçuense e demonstrava ser um bom zagueiro, embora as vezes se complicasse por querer sair jogando.

Na cabeça de área o capitão Gallo fazia a cobertura auxiliado por Carlinhos. Na meia a grata revelação Giovanni já despontava, neste que seria o seu campeonato. Um cracaço de bola como há muito tempo a torcida santista não tinha oportunidade de admirar de perto. Teve até torcida particular, as “Testemunhas de Giovanni”. Ao seu lado o habilidoso meia Robert, vindo do Rio Branco de Americana ajudava na armação das jogadas.

No ataque o sempre oportunista Macedo tinha como companheiro o voluntarioso Jamelli. Menção honrosa para “reservas” como Marcelo Passos e Camanducaia, que sempre que entravam davam conta do recado. O primeiro com seus chutes venenosos e decisivos e o segundo era o xodó da torcida com dribles, oportunismo e muita correria.