Novorizontino 1 x 0 Santos

Data: 17/03/1994, quinta, 20h30.
Competição: Campeonato Paulista – 1º turno – 15ª rodada
Local: Estádio Jorge Ismael de Biasi, em Novo Horizonte, SP.
Público: 3.016 pagantes
Renda: CR$ 9.072.000,00
Árbitro: Flávio de Carvalho
Gol: Kel (28-2).

NOVORIZONTINO
Maurício; Jorge Luís, Válter, Luís Carlos e Nelsinho; Luís Carlos Goiano, Pereira, Edmílson (Geraldo) e Genílson; Alessandro e Romildo (Kel).
Técnico: José Teixeira

SANTOS
Edinho; Índio, Júnior, Marcelo Fernandes e Luciano; Gallo, Dinho, Cerezo (Luciano Nunes) e Ranielli; Macedo (Neizinho) e Guga.
Técnico: Serginho Chulapa



Técnico Serginho sofre primeira derrota

A invencibilidade do técnico Serginho no Santos acabou na noite de quinta-feira em Novo Horizonte.

O time não deu sequência à série de bons resultados iniciada com a saída de Pepe e a entrada do novo treinador e acabou derrotada por 1 a 0 pelo Novorizontino, com um gol de cabeça do ex-corintiano Kel, aos 28 minutos do segundo tempo.

O Santos perdeu assim a oportunidade de terminar o primeiro turno no bloco intermediário do Campeonato Paulista.



Equipe promete ofensividade na última partida do primeiro turno ( Em 17/03/1994 )

Motivado por três vitórias consecutivas sob o comando de Serginho Chulapa, o Santos enfrenta hoje o Novorizontino prometendo vitória. A equipe jogará reforçada com o retorno do lateral-direito Índio e do meia-esquerda Ranielli, que cumpriram suspensão automática contra o Bragantino.

Segundo o treinador, esse é o time-base que o Santos trabalhará para o 2º turno –a partida de hoje é a última da equipe no 1º turno.

“Aguardamos a recuperação do lateral Piá. Com ele no time, formamos o conjunto básico”, disse.

A esquematização tática armada por Serginho está estruturada a partir do meio-de-campo formado por Gallo, Dinho, Carlinhos e Ranielli.

Todos atuam na marcação, ficando Ranielli com a função adicional de preparar as jogadas para os atacantes –Macedo e Guga.

“Desse jeito a gente começa a criar um padrão de jogo”, afirmou Serginho. Segundo ele, isso só foi possível com a tranquilidade que o time obteve com os últimos bons resultados. Desde que assumiu a direção do Santos, em 8 de março, a equipe não perdeu. Foram três vitórias e um empate, sete gols a favor e três contra.

Para o volante Dinho, a armação tática com quatro homens no meio-campo não significa que o Santos será defensivo hoje em Novo Horizonte. “À exceção do Gallo, os demais jogadores terão liberdade para ir ao ataque”, disse.

Ele afirma que o objetivo do time é fechar o 1º turno com vitória, mantendo a moral da equipe em alta, visando recuperar o terreno perdido no início do 1º turno.



Fonte: Estadão