Santos 1 x 0 San Lorenzo

Data: 11/10/2006
Competição: Copa Sul-Americana – Oitavas-de-final – Partida de volta
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 6.824 pagantes
Renda: R$ 17.265,00
Árbitro: Jorge Larrionda (URU)
Auxiliares: Walter Rial e Líber Prudente (ambos do URU).
Cartões amarelos: Domingos e Carlinhos (S); Orión, Rivero, Hirsig e Lavezzi (SL).
Gol: Wellington Paulista (37-1).

SANTOS
Felipe; Paulo (Denis), Manzur, Domingos e Carlinhos; Heleno, Fabinho (Zé Roberto), André Oliveira e Rodrigo Tabata; Leandro (Jonas) e Wellington Paulista
Técnico: Vanderlei Luxemburgo

SAN LORENZO
Orion; Tula, Méndez, Quattrocchi e Jonathan Bottinelli; González, Rivero, Husain e Hirsig (Dario Bottinelli); Lavezzi (Jimenez) e Silvera (Acevedo)
Técnico: Oscar Ruggeri



Santos vence, mas é eliminado pelo San Lorenzo

Agora o Santos pode se concentrar totalmente na briga pelo título do Campeonato Brasileiro. Não existe mais o “problema” Copa Sul-Americana. Na noite desta quarta-feira, na Vila Belmiro, a equipe alvinegra venceu o San Lorenzo, da Argentina, por 1 a 0, mas não avançou às quartas-de-final da competição. Isso porque na partida de ida, na casa do rival, o time amargou uma derrota por 3 a 0.

A indiferença santista pela Sul-Americana, existente desde o começo do certame e principalmente após o tropeço na Argentina, aumentou depois de uma boa seqüência no Brasileirão. Com três vitórias consecutivas no Nacional, o Santos assumiu a vice-liderança e voltou a sonhar com o tricampeonato, mesmo o líder São Paulo estando sete pontos à frente. Tal motivação fez o técnico Vanderlei Luxemburgo escalar uma equipe reserva esta noite.

A atitude do treinador indiciou que não fazia parte dos planos do clube da Baixada realizar uma viagem ao México (para pegar o Toluca, agora adversário do San Lorenzo, pelas quartas-de-final da Sul-Americana). No entanto, os jogadores que entraram em campo demonstraram vontade, apesar de faltar criatividade na armação das jogadas.

O San Lorenzo, por sua vez, adotou uma postura normal para um time que tem uma vantagem de três gols: atuou com cautela e sem se arriscar no ataque. E a proposta do time argentino, primeiro campeão da Sul-Americana, em 2002, deu certo.

“Faltou um pouco mais de finalizações e jogadas pelos lados. Nós sabíamos que eles viriam fechados porque já tinham o resultado da Argentina. Agora é pensar no Brasileiro. Estamos em um bom momento e podemos encostar no líder”, disse Zé Roberto – o meia, Denis e Jonas foram os titulares que entraram no decorrer do jogo.

O jogo entre San Lorenzo e Toluca-MEX, pelas quartas-de-final da Copa Sul-Americana, ainda não tem data marcada. Porém, a primeira partida será na Argentina. Já o Santos, eliminado, se concentra no Campeonato Brasileiro, competição pela qual pega o Botafogo, no sábado, às 18h10, no estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro.

O jogo
Precisando vencer por uma diferença de quatro gols para ir para a próxima fase da Copa Sul-Americana sem necessitar dos pênaltis, o Santos iniciou a partida dominando o San Lorenzo. No entanto, teve a posse da bola e não conseguiu criar.

Bem postado na defesa e apostando no contra-ataque, foi o time argentino que quase marcou primeiro. Aos 20min, Lavezzi recebeu dentro da área, dominou e chutou cruzado, procurando o ângulo esquerdo de Felipe. Mas a bola foi para fora.

Aos 31min, Silvera aproveitou cruzamento da direita, em cobrança de escanteio, e cabeceou sozinho dentro da área. Porém, mais uma vez a bola foi para fora. Seis minutos depois, o Santos conseguiu abrir o placar para dar ânimo à equipe. Carlinhos cruzou da esquerda e Wellington Paulista desviou de cabeça, para o fundo das redes argentinas.

Mesmo depois do gol, o Santos continuou explorando as jogadas aéreas e abusou dos chutes de longa distância, que não deram resultado.

No segundo tempo, o Santos voltou com a mesma formação, e continuou sem criatividade para chegar ao gol adversário. E pior. O San Lorenzo começou a sair de trás e atacar a equipe da casa. Com isso, Luxemburgo resolveu colocar alguns titulares.

Com Dênis, Jonas e Zé Roberto em campo, a equipe alvinegra voltou a pressionar. Porém, com mais criatividade. Diferentemente da primeira etapa, quando o Santos abusou das bolas aéreas e de chutes de longa distância, o time conseguiu tabelar mais perto da área e chegar perto do gol.

Prova disso foi uma bola na trave, aos 34min. Zé Roberto fez uma bela jogada pela direita, rolou para o meio da área e André chegou para chutar de primeira. Mas a bola explodiu no travessão e o Santos perdeu a chance de diminuir a vantagem rival, o que deixaria a equipe de Luxemburgo a um gol de levar a decisão para os pênaltis.

Denis preocupa Santos
O Santos pode ter uma baixa significativa para a reta final do Campeonato Brasileiro. O lateral-direito Denis torceu o joelho esquerdo na segunda etapa da vitória alvinegra sobre o San Lorenzo e é dúvida para o compromisso frente ao Botafogo, no Rio de Janeiro, pelo Nacional.