Santos 1 x 1 Santo André

Data: 22/07/2020, quarta-feira, 19h15.
Competição: Campeonato Paulista – 1ª fase – 11ª rodada (penúltima)
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: fechado devido a pandemia de Covid-19.
Árbitro: Thiago Luis Scarascati.
Auxiliares: Herman Brumel Vani e Vitor Carmona Metestaine
Cartões amarelos: Alison (S); Marlon e Baggio (SA).
Cartão vermelho: Carlos Sánchez (S).
Gols: Rodrigo (18-1) e Soteldo (47-1).

SANTOS
Everson; Pará (Madson), Lucas Veríssimo, Luan Peres e Felipe Jonatan; Alison, Diego Pituca e Carlos Sánchez; Arthur Gomes (Raniel) (Tailson), Soteldo e Kaio Jorge (Marinho).
Técnico: Jesualdo Ferreira

SANTO ANDRÉ
Ivan; Ricardo Luz, Willian Goiano, Rodrigo e Marlon (Julinho); Nando Carandina, Vitinho, Rondinelly (Vitinho Mesquita) e Branquinho (Garré); Douglas Baggio e Ramon (Rafhael Lucas).
Técnico: Paulo Roberto Santos



Santos arranca empate com o Santo André após expulsão de Sánchez

O Santos empatou com o Santo André em 1 a 1 na noite desta quarta-feira, na Vila Belmiro, pela 11ª rodada do Campeonato Paulista. O Ramalhão abriu o placar com Rodrigo. O Peixe empatou com o Soteldo. Foi o primeiro jogo desde março por causa da paralisação no futebol em função do novo coronavírus.

O resultado classifica o Santo André para as quartas de final do Paulistão com uma rodada de antecedência. O Peixe é o líder do Grupo A, com 16 pontos, e ainda necessita de um ponto para depender apenas de si mesmo ou de Oeste e Água Santa não vencerem. O Ramalhão é o primeiro no Grupo B, com 20.

O Peixe precisou superar a expulsão de Carlos Sánchez, aos 42 minutos da etapa inicial, para arrancar o empate em casa. O Alvinegro também mostrou poder de reação após processos de Everson e Eduardo Sasha na Justiça do Trabalho e protestos contra o presidente José Carlos Peres.

O Santos volta a campo para enfrentar o Novorizontino no domingo, às 16h (de Brasília), na Arena Corinthians. O Santo André receberá o Ituano no mesmo dia e horário no Canindé.

O jogo

O Santos iniciou bem a partida e dominou as ações. As chances criadas esbarraram em Arthur Gomes. O atacante perdeu pelo menos três oportunidades e acabou substituído no intervalo.

Na primeira chegada do Santo André, Rodrigo marcou. Willian Goiano, livre, cabeceou na trave. O zagueiro da equipe visitante estava ligado no lance e só empurrou.

O gol esfriou o Peixe, que passou a tocar a bola sem muita objetividade. Aos 42 minutos, Carlos Sánchez recebeu o segundo cartão amarelo e foi expulso. E nos acréscimos, Soteldo empatou em bonita jogada individual.

O Santos se reorganizou para o segundo tempo e pouco sofreu. O Peixe, inclusive, esteve mais tempo no campo de ataque adversário.

O cansaço bateu depois da longa inatividade e os últimos minutos foram de poucas ações e nenhuma oportunidade clara de gol.

Jesualdo, do Santos, vê expulsão exagerada de Sánchez: “Bom senso é importante”

O técnico Jesualdo Ferreira vê a expulsão de Carlos Sánchez exagerada no empate do Santos em 1 a 1 com o Santo André na noite desta quarta-feira, na Vila Belmiro.

Sánchez levou dois cartões amarelos em lances semelhantes ainda no primeiro tempo. O Peixe também teve Jobson expulso na última partida antes da pausa em função do novo coronavírus, contra o São Paulo, no Morumbi.

“Foram dois momentos diferentes, mas dois momentos de importância no jogo e provavelmente nos resultados. Hoje, particularmente, árbitro foi demasiado exigente na forma como mostrou segundo cartão amarelo. Em jogo de início do ciclo. Seria difícil para qualquer equipe jogar com um a menos por quase uma hora. Ele sabe disso. Foi exigente. Eu jamais daria o segundo cartão amarelo. Não houve nada durante o jogo que desse origem a isso. Cumpriu a lei, mas na minha opinião o bom senso é importante”, disse Jesualdo.

O treinador português também avaliou o empate.

“Não precisamos achar que tudo foi bom no primeiro jogo. Digo que nada vai ser como antes. Recuperar estilo e hábitos. Bom não esquecer que jogamos contra a equipe com mais pontos. Santo André é uma boa equipe”, concluiu.

Bastidores – Santos TV:

Jesualdo se preocupa com bola parada do Santos: “Arma muito forte”

O técnico Jesualdo Ferreira está preocupado com a bola parada defensiva do Santos. O time sofreu gol pelo alto no empate em 1 a 1 com o Santo André na última quarta-feira, na Vila Belmiro.

O cenário se repetiu na derrota por 2 a 1 para o São Paulo, no Morumbi, antes da paralisação em função do novo coronavírus.

“Temos trabalhado. Bola parada é arma muito forte. Santo André é muito forte nas bolas paradas. Fizeram dois ou gols três por baixo e o resto por bola parada. Foi mais infelicidade nossa que mérito deles. Bola bate na trave e rebote foi praticamente de quem cabeceou. Vamos ter atenção, continuar trabalhando. Até o jogo contra o São Paulo tínhamos sofrido um, do Defensa y Justicia. E no Morumbi jogamos com 10”, disse Jesualdo.

Jesualdo explica Marinho reserva do Santos: “Segurança física e emocional”

O técnico Jesualdo Ferreira, do Santos, explicou a opção por deixar Marinho no banco de reservas no empate em 1 a 1 com o Santo André na última quarta-feira, na Vila Belmiro.

Arthur Gomes foi titular e foi substituído no intervalo. Marinho entrou aos 15 minutos da etapa final.

“Marinho teve uma lesão grave. Seis ou sete meses sem jogar e precisa ir gradativamente para o jogo para garantir segurança física e estabilidade emocional”, disse o treinador.

Marinho fraturou o pé esquerdo na primeira rodada do Paulistão, contra o Red Bull Bragantino. Ele pode voltar a ser titular diante do Novorizontino, domingo, na Arena Corinthians, pela última rodada da primeira fase do Estadual.

Jesualdo, sobre processos de Everson e Sasha: “Santos é real, outros projetos ainda não”

O técnico Jesualdo Ferreira, do Santos, comentou sobre os processos de Everson e Eduardo Sasha na Justiça do Trabalho em busca da rescisão unilateral do contrato.

O técnico português contou como conversou com o restante do elenco depois desse fato. E valorizou o projeto do Peixe.

“Cada pessoa é livre para tomar suas responsabilidades. A única coisa que fizemos foi falar de união, dizer que muito da carreira dos jogadores está em jogo. Que é antes refletir antes de qualquer decisão. Falamos do projeto Santos, Santos sempre foi muito mais importante que essas reuniões. Vivo Santos, é um projeto real, eu existo. Outros projetos não são reais ainda e podem ser só no futuro. É juntar força e ânimo para equipe fazer cinco bons jogos para poder ganhar o título. Vamos brigar por ele”, disse Jesualdo.

Jesualdo Ferreira também foi questionado sobre pensar em desistir. A resposta foi direta.

“Nunca pensei. Estou aqui para ganhar o Paulistão”, concluiu.

O Santos acredita que não haverá outras ações. Na visão do Peixe, os casos de Everson e Sasha são específicos em função do Atlético-MG.