Santos 2 x 2 Vasco

Data: 02/09/2020, quarta-feira, 21h30.
Competição: Campeonato Brasileiro – 7ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: fechado devido a pandemia de Covid-19.
Árbitro: Rodrigo Dalonso Ferreira (SC)
Auxiliares: Helton Nunes e Éder Alexandre (ambos de SC).
VAR: Heber Roberto Lopes (SC)
Cartões amarelos: Jobson e Diego Pituca (S); Miranda e Guilherme Parede (V).
Gols: Lucas Veríssimo (20-1) e Fellipe Bastos (45-1); Marinho (13-2) e Cano (22-2).

SANTOS
João Paulo; Pará, Lucas Veríssimo, Alison (Lucas Braga) e Felipe Jonatan (Jean Mota) (Arthur Gomes); Jobson (Luan Peres), Diego Pituca e Carlos Sánchez; Marinho, Soteldo e Raniel (Kaio Jorge).
Técnico: Cuca

VASCO
Fernando Miguel; Yago Pikachu, Miranda, Marcelo Alves e Henrique; Juninho (Ribamar), Fellipe Bastos (Carlinhos), Andrey e Benitez (Neto Borges); Ygor Catatau (Bruno César) e Cano (Guilherme Parede).
Técnico: Ramon Menezes



Santos sofre novamente com o VAR e empata com o Vasco na Vila

O Santos empatou em 2 a 2 com o Vasco na noite desta quarta-feira, na Vila Belmiro, pela sétima rodada do Campeonato Brasileiro. Os gols do Peixe foram de Lucas Veríssimo e Marinho. O Cruzmaltino empatou com Fellipe Bastos e Cano.

O Alvinegro sofreu novamente com o VAR – contra o Flamengo, dois gols foram anulados. O gol de Fellipe Bastos foi invalidado corretamente por impedimento. A consulta ao vídeo fez o lance ser validado após cinco minutos.

No segundo tempo, os visitantes empataram com pênalti convertido por Cano. O juiz não havia marcado a penalidade. Ao olhar a tela, apontou toque no braço de Alison – a bola bateu antes na cabeça do volante.

Com mais um tropeço em casa, o Santos vai para a 11ª colocação, com oito pontos. O Vasco é o terceiro, com 11 somados na tabela.

O jogo

O Vasco criou a primeira chance do jogo. E com menos de um minuto! Felipe Jonatan errou na saída de bola, Cano invadiu a área e acertou o travessão.

O Santos só teve uma oportunidade de gol quando abriu o placar. Soteldo recebeu uma sobra de escanteio, entortou a marcação e cruzou na cabeça de Lucas Veríssimo aos 20 minutos. 1 a 0.

O jogo estava truncado e com pouco espaço nas defesas. Até que o Cruzmaltino aproveitou bem a bola parada. Fellipe Bastos recebeu no segundo pau e marcou. A princípio, a arbitragem marcou impedimento. Cinco minutos depois, o VAR confirmou o empate dos visitantes.

O Santos voltou para a etapa final com Luan Peres na vaga de Jobson. Cuca “corrigiu” a escalação após entrar com Alison como zagueiro.

O Peixe teve um início melhor. Aos dois minutos, Pará bateu de fora da área com perigo. No minuto 4, Soteldo cobrou falta e Fernando Miguel fez boa defesa.

Aos 13 minutos, o Santos desempatou. Marinho cobrou falta com perfeição. O goleiro Fernando Miguel nem se mexeu. 2 a 1 na Vila.

Quando o placar marcava 22, Alison afastou cobrança de escanteio com toque na braço (antes ele tocou com a cabeça). Após nova consulta no VAR, a arbitragem marcou pênalti. Cano converteu aos 17. 2 a 2.

Pilhado com os gols sofridos e bem marcado, o Santos não criou nenhuma chance clara até o apito final. O Vasco administrou o empate e quase virou no fim, com Carlinhos.

Cuca, do Santos, desabafa contra o VAR: “P… Dá uma a favor pelo menos”

Cuca voltou a criticar a arbitragem e, principalmente, o VAR, após o empate do Santos em 2 a 2 com o Vasco nesta quarta-feira, na Vila Belmiro, pela sétima rodada do Campeonato Brasileiro.

O Peixe teve dois gols anulados na derrota para o Flamengo. E viu o Vasco ter dois gols a favor depois de consulta ao árbitro de vídeo: Fellipe Bastos em posição legal e pênalti de Alison convertido por Cano.

“Acho que éramos para ter vencido, até pelo tamanho da posse de bola, mas não tem como vir aqui e não falar do VAR. Eu nem queria vir aqui falar. Temos tanta falta de sorte. Se está o Heber (Roberto Lopes, árbitro de vídeo) no domingo, ele dava gol nosso, porque ele não considerou ombro do Vasco impedido, coisa que o André (Luiz Ferreira de Castro), VAR do jogo passado, considerou ombro do Raniel. O frame do VAR é colocado na hora que querem, não temos certeza do momento do toque, e não é reta, pega outro ângulo. No domingo tem dois gols dentro da casa na dúvida cruel. Dois desfavoráveis. E hoje tem dois lances em casa, na dúvida cruel. E hoje favoráveis contra outro time. P…, dá uma a favor de nós pelo menos. Está chato falar do VAR. Não virei falar mais de arbitragem, desgasta muito e fico marcado. Isso aqui é minha vida, não há outra defesa, sou eu. Não vem o vice ou presidente, não podem, vem eu defender. E brincou de novo, agora o Heber”, disse Cuca.

“Falta coerência, não adianta. Árbitro diz que não tem culpa, que vem de cima. Falta tudo, sei lá. A gente fica batendo na mesma tecla, fica chato vir na entrevista e falar, mas vou falar. Assim como árbitro contra o Sport fez arbitragem preciosa, deixou todo mundo tranquilo, rápido no VAR. Não porque ganhamos, mas porque foi tudo calmo. Tudo está tenso. Temos que ajudar, de repente dar uma acalmada, entender que vão demorar. Jogador também entender. Mas não pode perder interpretação de campo, vai ficar robotizado. É para chamar por coisas grandes. Árbitro está a poucos metros, há o lance real e o do vídeo. O real entendeu que é interpretativo, não precisa chamar. Não é porque foi pênalti contra, mas a favor também deixa interpretação do juiz em campo”, completou.

Cuca diz que Santos não pode vender Marinho: “Tem sido fundamental”

Cuca não trabalha com a possibilidade do Santos negociar Marinho, principal destaque da equipe desde a retomada do futebol no Brasil.

“Marinho é muito importante, tem sido fundamental. Momento financeira é difícil, não podemos contratar. Mas não podemos vender também. Enfraqueceríamos o time. Campeonato é duro, quarta e domingo. Vai ser assim até fevereiro, com Libertadores e Copa do Brasil. Pretendo fazer com que todo mundo fique inteiro. É na conta do chá, não daremos conta sem lesões. Temos que tomar cuidado. Mesmo com proposta, não podemos vender”, disse Cuca, em entrevista coletiva.

Marinho tem quatro gols no Campeonato Brasileiro, um a menos que Cano, Fellipe Bastos, do Vasco, e Thiago Galhardo, do Internacional.

Cuca admite poupar no Santos: “Não se aguenta assim”

O Santos pode ter alguns jogadores poupados para a partida contra o Ceará, sábado, no Castelão, pela oitava rodada do Campeonato Brasileiro.

O técnico está preocupado com o desgaste físico e analisa a sequência de jogos pela frente: Ceará (fora), Atlético-MG e São Paulo (em casa) e Olímpia-PAR (na Vila Belmiro, pela Libertadores da América). Tudo em 10 dias.

“Amanhã vamos reavaliar o grupo, mas não se aguenta assim, com essa intensidade domingo e quarta, com viagens. Não conseguimos. Por isso temos que rodar plantel. Vamos avaliar com calma. Não conseguimos fazer os caras renderem tudo com muitos jogos em poucos dias. Jogador é igual um carro, tem hora que carro precisa de reparo, revisão, checagem geral. Para não te deixar na mão. Jogador precisa de treino, dar uma parada, se recuperar. Não conseguem nessa batida”, disse Cuca.

“Difícil. Os elencos são fortes, né? A maioria tem elenco forte. E a gente tem nosso elenco com meninos. Vamos tirar o máximo deles, dar oportunidade, revisar. Para fazer um time forte para enfrentar o Ceará, depois Atlético-MG, São Paulo e terça o Olímpia. Quatro jogos em 10 dias, não sei qual é o mais difícil. Se não der pra estarem 100%, que estejam perto disso. Temos que ter muito cuidado”, completou.

O Santos não vence há três jogos: perdeu para Palmeiras e Flamengo e empatou com o Vasco.

Cuca pede Santos mais “encorpado” e diz não saber sobre desbloqueio na Fifa

Cuca quer um Santos mais “encorpado”. O técnico aposta na ascensão de jogadores jovens, mas vê a necessidade de atletas experientes para a maratona entre Campeonato Brasileiro, Copa do Brasil e Libertadores da América.

Cuca admite que as reposições para titular não são das melhores neste momento.

“Nós, santistas, sabemos da necessidade de encorpar o elenco, pela importância das competições. A gente tem que encorpar. Se perder um Soteldo ou Marinho, reposição não é do mesmo nível. É difícil encontrar esse tipo de reposição no mercado. Perder um Lucas (Veríssimo) também… São fundamentais, o próprio Sánchez. Jogam quarta e domingo sem o mesmo rendimento pelo desgaste”, disse Cuca.

Para contratar, o Santos precisa fazer acordo com o Hamburgo, da Alemanha. A dívida de quase R$ 30 milhões fez a Fifa proibir o Peixe de registrar reforços.

“Para isso tem que desbloquear, não sei como está o desbloqueio na Fifa…”, afirmou o técnico santista.

Mesmo com o transfer ban, Santos está perto de trazer Elias, ex-Atlético-MG. O Peixe ainda negocia com Cazares, também do Galo, e Matheusinho, do América-MG.

Alison assume a responsabilidade pelo pênalti em empate do Santos

O VAR foi protagonista em mais uma partida do Santos na Vila Belmiro. Nesta quarta-feira, o Peixe levou o gol de empate em pênalti polêmico, que só foi confirmado através do árbitro de vídeo, que viu toque de mão de Alison dentro da área. Apesar das reclamações, o próprio volante chamou a responsabilidade pelo lance.

“A gente precisava muito da vitória. Entramos com esse pensamento. Buscamos a vitória o tempo todo. Infelizmente, não conseguimos. Com a participação do VAR novamente. Não estou aqui para reclamar de arbitragem. No lance, a bola realmente tocou no meu braço. Assumo essa responsabilidade. Tínhamos a chance de sair daqui com a vitória. Claro que não foi intencional, mas a bola acabou batendo no meu braço. Não podemos ficar nos lamentando. Temos jogo no fim de semana”, declarou o jogador à TV Globo.

O Santos viu o VAR ser decisivo em mais uma partida. O primeiro gol do Vasco só foi validado pela checagem no vídeo, que confirmou a posição legal de Fellipe Bastos. Já no segundo tento dos cariocas, Alison tentou o corte de cabeça, mas a bola pegou em seu braço. Depois de nova checagem, a arbitragem confirmou o pênalti, convertido por Germán Cano.

No último domingo, o Santos acabou derrotado por 1 a 0 pelo Flamengo, em jogo que o VAR foi crucial para anular dois gols do Peixe. O que mais causou irritação nos jogadores e na torcida santista, tanto na última partida como nesta quarta-feira, foi a demora para a avaliação dos lances.

Jean Mota sente a coxa, é substituído e preocupa Cuca no Santos

Jean Mota pode ser desfalque do Santos nas próximas rodadas do Campeonato Brasileiro em função de possível problema na coxa esquerda.

O meia entrou no segundo tempo do empate com o Vasco na última quarta-feira, na Vila Belmiro, e saiu dois minutos depois. Jean será reavaliado nesta quinta.

O técnico Cuca admite o camisa 41 como desfalque.

“Sentiu um desconforto muscular na coxa esquerda. Será reavaliado amanhã”, disse o treinador.

Jean Mota não é titular, mas entrou no segundo tempo de três das últimas quatro rodadas do Brasileirão.